Duelo entre Flamengo e Grêmio vale vaga na final da libertadores

Publicação: 2019-10-23 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Flamengo e Grêmio decidem, na noite de hoje (23), às 21h30, no Maracanã, que representará o Brasil na final da Copa Libertadores da América. O Rubro-negro entra em campo com a vantagem de empatar por 0 a 0 e se classificar. Caso o resultado do jogo anterior se repita (1 a 1) decisão nos pênaltis. Empate com mais de um gol favorece aos gremistas. E, claro, em caso de vitória o vencedor avança à decisão do torneio continental. Em uma decisão como a de hoje vários fatores podem ser preponderantes para que um clube saia de campo classificado.

Analisamos fator por fator desse confronto, para os leitores da Tribuna do Norte.

Com ingressos esgotados renda será recorde
O duelo desta quarta-feira (23) com o Grêmio, que colocará uma vaga na final da Copa Libertadores em disputa, já assegurou ao Flamengo uma receita expressiva antes mesmo do início da partida Com ingressos esgotados há cerca de um mês, a expectativa é de que a renda do compromisso agendado para as 21h30 seja de cerca de R$ 7 milhões.

O valor será recorde para o Flamengo e também para o futebol brasileiro em 2019, temporada em que, pelo seu sucesso esportivo, o time vem lotando estádios, tanto que possui média de pouco mais de 50 mil torcedores por jogo como mandante.

A arrecadação expressiva se dá pela presença expressiva dos torcedores, mas também pelo valor cobrado pelos ingressos, com a mais barata entrada para os sócios, o do setor norte do Maracanã, custando R$ 70. E a expectativa é de que mais de 60 mil torcedores estejam presentes ao estádio, sendo quatro mil gremistas.

Até agora, a maior renda do Flamengo em 2019 também se deu em um duelo da Libertadores, o das quartas de final, contra o Internacional, vencido por 2 a 0. Aquele triunfo teve 60.797 torcedores pagantes, com uma renda bruta de R$ 4.758.999,00 e um tíquete médio de R$ 78, valor que será superado nesta quarta-feira.

Embora a arrecadação deva atingir os R$ 7 milhões, todo esse valor não ficará para o Flamengo. O clube, que faz parte da gestão do estádio, terá custos elevados com a operação do jogo. Assim, deve ficar com cerca de 50%, ou um pouco mais, desse valor nos seus cofres.

A carga total de ingressos para a partida é de 68.015 entradas, incluindo gratuidades e cortesias. O jogo também mobilizará um esquema de segurança equivalente a praticamente o dobro do normalmente usado em duelos de risco máximo. Serão cerca de 1 100 agentes de segurança - 800 policiais militares e 300 guardas municipais.

Além disso, serão nove ruas interditadas no entorno do Maracanã, a partir das 18 horas, para que só quem tiver ingresso consiga se aproximar do estádio.

Polícia evita plano de “invasão”
A Polícia Civil do Rio de Janeiro realizou operação nesta terça-feira para prender suspeitos que planejavam invadir o estádio do Maracanã na partida entre Flamengo e Grêmio, marcada para a noite desta quarta-feira e válida pela semifinal da Copa Libertadores. Até o início da tarde, 19 pessoas já haviam sido presas. Segundo as investigações, os suspeitos estavam se articulando para invadir o estádio, vender ingressos falsos e praticar roubos na região do Maracanã.

No total, a operação visava cumprir 27 mandados de prisão. Trata-se de um trabalho de inteligência da polícia com o monitoramento de suspeitos. Há ainda 89 intimações do Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos para que envolvidos não se aproximem do Maracanã nesta quarta. Flamengo e Grêmio começa às 21h30.

Enquanto ocorria a operação, um homem foi baleado na favela do Jacarezinho e acabou morrendo, mas ainda não é possível relacionar os dois casos. A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) instaurou inquérito para apurar as circunstâncias.

Não é a primeira que vez que torcedores do Flamengo se envolvem em confusão antes de um jogo decisivo. Na final da Copa Sul-Americana de 2017 contra o Independiente, da Argentina, o lado de fora do Maracanã se transformou em palco de guerra com invasão em vários portões do estádio carioca.

Fatores importantes:

1 – Desgaste Físico
Com o ano chegando ao seu final, o aspecto físico passa a ser um fator tão relevante quanto o aspecto técnico. Segundo os números do site O Gol, reproduzidos no 90 min, tomando como base as prováveis escalações de rubro-negros e tricolores, o time carioca entra em campo mais desgastado.

Tentando conquistar a “Tríplice Coroa” (Carioca, Brasileiro e Libertadores), o Flamengo tem levado seus atletas ao limite no que hoje se convencionou chamar de “minutagem”, em referência ao tempo de atuações dos atletas. Dos onze que possivelmente iniciarão jogando essa semifinal, oito já ultrapassaram a marca dos 3000 minutos jogados em 2019.

Os mais desgastados são: Diego Alves - 49 partidas (4403 minutos), Willian Arão - 50 partidas (4288 minutos) e Rodrigo Caio - 46 partidas (4034 minutos).

Já no caso do Grêmio, o clube não se intimidou de utilizar equipe alternativa em mais de 40% dos jogos do clube no Brasileirão. Muito em função disso, apenas cinco jogadores do time titular ultrapassaram os 3000 minutos jogados em 2019.

Os recordistas são: Paulo Victor - 45 partidas (4080 minutos), Everton    Cebolinha - 58 partidas (4085 minutos) e Matheus Henrique - 44 partidas (3671 minutos). Em todos os casos, os gremistas jogaram menos que os flameguistas.

2 – Selecionáveis
Não à toa Flamengo e Grêmio estão em alta no futebol do Brasil e esse destaque já vem sendo observado pelo técnico da Seleção Brasileira, Tite. Desde que assumiu o comando do Brasil, em 2016, Flamengo é o clube que teve mais atletas convocados, seguido pelo Grêmio.

Para se ter uma ideia do prestígio das equipes semifinalistas da Copa Libertadores, elas ficam à frente do Barcelona em número de convocados.

No atual momento, Gabigol, Rodrigo Caio, Bruno Henrique, Willian Arão, Diego e o goleiro Hugo estão entre os chamados por Tite e que jogam no Flamengo. No Grêmio, temos Everton, Matheus Henrique, Geromel, Luan e Phelipe.

3 – No ataque
O ataque de Flamengo e Grêmio é destaque na temporada, mas com certeza, dois jogadores se destacam. Com a camisa Rubro-negra, Gabigol virou ídolo da torcida e é um dos mais festejados. No Tricolor, Everton Cebolinha é o nome na mente dos torcedores gaúchos.

Gabigol já marcou na temporada 26 gols (Copa do Brasil, Série A e Libertadores), sem contar com os sete do Campeonato Carioca. Cebolinha tem números mais modestos em relação a bola na rede. São 13 gols (Copa do Brasil, Série A e Libertadores), sem contar com os quatro do Gauchão. Mas, a importância dos dois para suas equipes tem o mesmo peso.

Ambos contam com companheiros de peso na frente, apesar de níveis diferentes de experiência em decisões. No Grêmio, Diego Tardelli leva vantagem no quesito, mas perde quando o assunto é o atual momento. Sem dúvida, Bruno Henrique vive uma fase iluminada na carreira.

4 – Os goleiros
A disputa, no caso dos goleiros, deve ser destacada pelo risco que há em relação a uma disputa nas penalidades. Nesse caso, é missão para Diego Alves e Paulo Victor. Os momentos são diferentes. O gremista vive uma fase de críticas, enquanto que o Flamenguista está em “lua de mel” com o time e com a torcida.

No ano de 2019 Diego Alves teve que ficar sob a trave, para cobrança de pênaltis, por 18 oportunidades. Foram cinco defesas e 12 gols sofridos.

No caso de Paulo Victor, do Grêmio, foram 15 pênaltis dos quais ele foi vencido em 12 oportunidades e defendeu três cobranças.

Os números do ano, no geral, deixam Diego Alves em vantagem: 49 jogos, 38 gols sofridos (0,77 por jogo) - 19 jogos sem sofrer gol (38,7% dos jogos). Paulo Victor: 45 jogos, 26 gols sofridos (0,57 por jogo) - 24 jogos sem sofrer gol (53,3% dos jogos).

5 – Os técnicos

Renato Gaúcho, técnico do Grêmio
"Tem espaço para todo mundo. Só discordo quando tem treinador aqui no Brasil, com dois, três meses, e aí tem gente que opina: o estrangeiro é melhor que o treinador do Brasil. Não, aí discordo. O que Sampaoli e Jesus ganharam até agora? Nada. Então, muita calma nessa hora. Até então os dois estão fazendo um ótimo trabalho".
Renato Gaúcho
Grêmio

Jorge Jesus, técnico Flamengo
“O treinador brasileiro está ultrapassado taticamente. Sabe por quê? Porque sempre tiveram grandes jogadores, e esses resolviam os problemas táticos sozinhos. Os treinadores brasileiros tinham menos necessidade de criar ideias coletivas, por causa disso estão ultrapassados”.
Jorge Jesus
Flamengo





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários