Duplicação da Reta Tabajara será entregue em 2021 e via será privatizada

Publicação: 2020-09-29 00:00:00
Aguardada desde 2014, a duplicação da Reta Tabajara (BR-304) deverá ser concluída em dezembro de 2021. Considerada uma das obras mais importantes para o sistema rodoviário do Rio Grande do Norte, a duplicação da rodovia que liga Natal a Mossoró passando por Macaíba, e interligando a região metropolitana às regiões Central e Oeste do Estado, teve os trabalhos retomados em julho e, seis anos depois do começo das intervenções, encontra-se com 38% do projeto executado. O orçamento atual da obra é de  237.483.334,55. A rodovia deverá ser concedida à iniciativa privada em 2022, conforme projeção do Ministério da Infraestrutura. 

Créditos: Magnus NascimentoObras de duplicação de uma das mais importantes rodovias que cortam o RN estão com menos de 40% de execução efetivadasObras de duplicação de uma das mais importantes rodovias que cortam o RN estão com menos de 40% de execução efetivadas

A obra da Reta Tabajara tornou-se a mais cara ao longo dos anos. O orçamento atual teve um custo acrescido em R$ 50 milhões desde o início da construção, em 2014.  Esse valor atual, abrange a execução da obra, desapropriação e gestão ambiental. Entretanto, o valor final das intervenções poderá passar dos R$ 300 milhões conforme anunciado pelo Ministério da Infraestrutura em 2019. 

De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT), a parcela executada da obra incluiu a construção de quatro viadutos, pontes marginais no Rio Jundiaí, restauração das pistas principais direita e esquerda no trecho já duplicado da rodovia e a terraplanagem e lançamento das camadas que formarão a base e a sub-base em oito quilômetros de extensão da nova pista.

De acordo com o relatório mais recente disponível sobre a obra, atualizado no final de agosto deste ano, está em curso a execução da camada final da placa de concreto da nova pista, a continuação das camadas de sub-base e base nos demais segmentos da rodovia e a sinalização das pistas direita e esquerda no trecho já duplicado.

Além disso, na pista direita, os responsáveis executam a terraplanagem, a colocação da camada sub-base e da placa de concreto. Também estão sendo feitos serviços de drenagem profunda e superficial em determinados eixos, construção de barreiras entre as pistas projetadas e existentes, finalização de superestruturas e soluções especiais de aterro em alguns acessos. 

Terminados esses serviços, será necessário fazer as vias marginais do trecho da rodovia já duplicada, a execução da camada de concreto nos nove quilômetros da nova pista, o viaduto na travessia de Macaíba e a restauração dos 17 quilômetros de pista simples existentes.

Pleito antigo
No total, a rodovia tem extensão de aproximadamente 300 quilômetros em território potiguar. A duplicação é um pleito antigo da população que costuma fazer o trajeto entre Natal e Mossoró, principalmente. 

O diretor da Federação das Empresas de Transportes do Nordeste (Fetronor), Eudo Larajeiras, avaliou que a obra é “urgente”, e já é aguardada pela população potiguar há mais de uma década. “Como ela junta duas BRs, ela torna o trânsito um inferno. Os ônibus que vêm do interior perdem muito tempo por causa da Reta Tabajara e, quanto falamos de acidentes, a situação fica muito pior”, disse Eudo.

De acordo com ele, a conclusão das obras na BR ter grande importância para a logística do Rio Grande do Norte e a circulação de pessoas pelo Estado. “Está se tornando inviável andar na Reta Tabajara em alguns horários. Você não consegue andar direito. O tempo de viagem é quase duplicado em função daquele trecho, e ainda há todos os riscos envolvidos”, afirmou. 

Concessão
Em resposta a um seguidor no Twitter, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse semana passada que estuda conceder a BR-304 à gestão da iniciativa privada, junto com a BR-116 no Ceará. Caso isso ocorra, toda a extensão da BR-304 no Rio Grande do Norte deverá passar por adequações. O lançamento do leilão para concessão da rodovia deverá ocorrer em 2022, conforme escreveu Tarcísio Gomes de Freitas. 

Acidentes
De acordo com dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), de janeiro a setembro de 2020, 14 pessoas morreram em acidentes no local e outras 61 ficaram gravemente feridas. Em 2019, no mesmo período de tempo, foram 18 mortos e 72 feridos, em um total de 235 acidentes de trânsito. Ou seja, nos dois anos, ao menos 30% dos acidentes que aconteceram no local resultaram em pessoas gravemente feridas.

O acidente grave mais recente aconteceu no dia 28 de agosto, quando quatro pessoas morreram e uma ficou gravemente ferida em uma colisão envolvendo uma carreta e um carro de passeio. O acidente aconteceu por volta das 12h, no quilômetro 257 da BR-304. As vítimas foram quatro mulheres, entre elas, duas irmãs, que seguiam para Natal onde deveriam passar o final de semana. Todas usavam cinto na hora do acidente, mas morreram no local.