E os outros?

Publicação: 2020-03-31 00:00:00
A+ A-
Itamar Ciríaco - itamar@tribunadonorte.com.br

Muito tem se discutido no País, em meio à crise com o coronavírus, a situação do futebol brasileiro. Como estão as coisas nesse momento, como ficarão, de onde sairão os investimentos que garantam o futuro do esporte. Mas, e as outras modalidades? O futebol, no ano de 2018, movimentou quase 49 bilhões de reais na economia do país, segundo dados de um relatório divulgado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A própria entidade admitiu, já no balanço de 2019, ter lucrado quase R$ 1 bilhão. Então, se diante dessa realidade bilionária, ainda existe temor, imagina como fica a situação do judô, do tênis, do futsal, das ginásticas, da natação, do basquetebol, etc. Essas modalidades que, tradicionalmente, recebem menos investimentos, viverão momentos ainda mais difíceis e precisam, tanto quanto o futebol, de investimentos que as sustentem, pois como o “esporte bretão” geram empregos e renda.

E os outros 1?
A boa notícia, por enquanto, veio para os principais atletas do País. Segundo o ministro da cidadania, Onyx Lorenzoni, os programas Bolsa Atleta e Bolsa Pódio continuarão a ser pagos normalmente e a pasta estuda formas de adaptar os termos da prestação de contas dos benefícios para se ajustar à realidade desse período em que os efeitos da COVID-19 alteram a rotina de competições e treinamentos dos atletas. "O programa Bolsa Atleta, para o governo Bolsonaro, é uma permanente ferramenta de formação e aprimoramento de atletas brasileiros, independentemente de seu nível. Será sempre mantido e ampliado", disse Lorenzoni. "Por tudo o que significam para nossa sociedade, por defenderem e levarem o nome do Brasil aos pódios mundo afora e por serem exemplos para nossas crianças e jovens, nossos atletas merecem todo o apoio, e a saúde dos brasileiros, atletas ou não, é sempre nossa prioridade", completou em entrevista ao site Rede Nacional do Esporte, do governo federal.

E os outros 2?
A XXXIII edição dos Jogos Olímpicos será disputada entre os dias 23 de julho e 8 de agosto de 2021. Já os Jogos Paralímpicos serão realizados entre 24 de agosto e 5 de setembro de 2021. As novas datas, exatamente um ano após os períodos originalmente planejados para 2020 (Jogos Olímpicos: 24 de julho a 9 de agosto de 2020 e Jogos Paralímpicos: 25 de agosto a 6 de setembro de 2020), também têm o benefício de que qualquer interrupção que o adiamento cause ao calendário esportivo internacional pode ser reduzida ao mínimo, no interesse dos atletas e das Federações Internacionais (FIs). Além disso, elas permitirão tempo suficiente para a conclusão do período de classificação dos atletas.

Repercussão 
Apesar de o ABC já ter avisado que deverá rever a decisão sobre a demissão do roupeiro Joca, a repercussão do fato já causou desgastes por todos os lados. Neste domingo (29), foi a vez da TV Globo noticiar o fato. O programa Esporte Espetacular, citou o caso do funcionário que trabalhava no Alvinegro há mais de 50 anos.

Justiça 
“Além da queda o coice”. A Justiça do Trabalho ordenou o ABC a colocar em dia os acordos firmados na área trabalhista, sob pena de que o estádio Maria Lamas Farache – Frasqueirão – volte a ser alvo de possíveis leilões. O clube também não teria respeitado a promessa de executar um orçamento “enxuto” na temporada e apresentou, na própria justiça trabalhista, uma folha de pagamento mensal de R$ 320 mil.

Fala craque
O craque Rivaldo falou à Betfair.net sobre uma eventual volta de Neymar ao Barcelona: “Há muito tempo que eu venho dizendo que acredito muito no Neymar, e que ele se terá equivocado em sair para o PSG, porém se houver a possibilidade de trazê-lo de volta por um valor substancialmente abaixo dos 222 milhões de euros pelos quais ele saiu do Barcelona, vale a pena focar nessa contratação”. “Ele está com 28 anos de idade e ainda tem muito futebol por jogar, então seria uma grande contratação para o Barcelona, pois chegaria alguém que conhece o time e que tem muita personalidade para fazer diferença sempre que necessário sem se amedrontar com a presença do Messi, e o argentino até gostaria de contar novamente com ele”.

E-Sport
Não tem quem segure mesmo o “esporte” digital. O canal SporTV e VIU Hub celebraram recorde de espectadores do e-SporTV com transmissão ao vivo da final do Free Fire. A Live contou com 103 mil pessoas assistindo ao mesmo tempo e mais de 1,5 milhão de visualizações. A equipe do Santos Free Fire, campeã da Série C da Liga Brasileira de Free Fire (LBFF) ficou com o título. Foram 103 mil pessoas assistindo ao mesmo tempo, um aumento de 33% em relação ao recorde anterior do canal. Durante a transmissão o e-SporTV ganhou 42 mil novos inscritos e a final já conta com mais de 1,5 milhão de visualizações. O canal e-SporTV no Youtube é uma co-produção do Esporte da Globo com a VIU Hub, unidade de negócios digitais do Grupo Globo.

E-Sport 1 
Mais de 100 mil jogadores em 1.536 times disputaram a primeira etapa da Série C da LBFF na plataforma Player 1. Após três semanas de competição, 48 equipes chegaram à fase final. Os oito melhores colocados farão parte da Série A da LBFF e outras 34 equipes disputarão a Série B. Para a próxima temporada, a competição terá as Séries A, B e C, sendo as duas últimas operadas dentro da plataforma Player 1.





Deixe seu comentário!

Comentários