Edital abarca agenda cultural do Centro

Publicação: 2019-04-23 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter

O Centro Histórico de Natal vive um bom momento de programação cultural, com variadas inciativas artísticas acontecendo e com boa presença de público. Tudo desde o projeto de grafitagem no Beco da Lama, que renovou o interesse pelo local. Um novo edital da Prefeitura de Natal, de formato inédito, promete aquecer ainda mais a área. Trata-se da Seleção Pública “Auxílio financeiro para iniciativas artísticas e culturais com vistas a compor a programação dos eventos do Centro Histórico de Natal”, promovido pela Fundação Capitania das Artes (Funcarte) e com inscrições abertas até 10 de maio.

Tradicional Roda de Samba no Beco da Lama é uma das ações que podem ser beneficiadas pelo edital de ocupação cultural
Tradicional Roda de Samba no Beco da Lama é uma das ações que podem ser beneficiadas pelo edital de ocupação cultural

Serão selecionados até 23 projetos, mas com categorias em que os projetos podem se estender por até dez edições, totalizando auxílio financeiro para um total de até 81 iniciativas. O valor total de investimento da prefeitura é de R$ 198,4 mil. Podem participar pessoas físicas, jurídicas e microempreendedores individuais, desde que não tenham cônjuges, parentes consanguíneos ou afins, até 3º grau, atuando como servidores públicos do Município de Natal. O período de realização dos projetos vai de maio até dezembro de 2019.

Diretor da Funcarte, Dácio Galvão afirma que o edital é voltado para qualquer linguagem artística e que a Fundação não irá interferir no repertório ou formato dos projetos. “No Centro Histórico já acontecem diversas ações, muitas sem apoio. O samba da quinta-feira há dez anos é realizado passando o chapéu. Há outras ações continuadas no Bardallos, no Zé Reeira, tem o pessoal do cordel, a turma da música eletrônica. Estamos chegando para dar apoio. Sabemos que o que prepondera é a música, mas não vamos trabalhar com limitações de linguagem”, ressalta Dácio.

O edital está dividido em quatro categorias e valores. Na Categoria A, que compreende eventos de apenas uma realização, serão selecionados até 13 proponentes, com auxilio financeiro de R$ 2 mil. Na Categoria B, para eventos com até 4 edições, serão selecionados quatro proponentes, com auxílio de R$ 2 mil por edição. Na Categoria C, de eventos com oito edições, serão selecionados quatro proponentes, com auxilio de R$ 2,7 mil por edição. Por fim, a Categoria D, voltada para eventos de dez edições, serão selecionados até dois proponentes, com auxílio de R$ 2,7 mil por edição do evento.

“Esse edital é um modelo de ação público privada numa área específica. Não sabemos se esse movimento no Beco será constante ou apenas um boom que depois vai serenar. Dependendo do resultado, podemos replicar o edital para outras áreas criativas da cidade”, comenta o diretor da Funcarte.

Autorregulação
No edital está escrito que o apoio será preferencialmente para projetos voltados para o Beco da Lama e adjacências. Perguntado sobre como será distribuída a agenda de eventos no Beco, uma vez que o local já conta com uma intensa programação, sobretudo nos sábados, Dácio comentou que acredita que os próprios produtores da área saberão cuidar da agenda para que não haja conflitos.

“O Beco tem um histórico de autorregulação. Ali há uma entropia cultural que não cabe a gente tomar conta. Até porque essa responsabilidade nunca foi nossa. Se formos chamados pra mediar, a gente entra, mas de forma democrática”, observa o gestor. “Acho que o protagonismo é de quem já faz a militância cultural na área, com poesia, música, literatura de cordel, os donos de bares que dão ao Beco uma identidade própria, diferente do que se vê em Ponta Negra, por exemplo. Quem está chegando agora deveria respeitar quem está há mais tempo nessa militância. São essas pessoas que fazem o jornal falar do Beco, que fizeram a Prefeitura ir lá”.

Para além do Beco
Ao longo de 2019 a Prefeitura de Natal pretende implementar outras ações no Centro Histórico, segundo Dácio, tudo com o objetivo de valorização, preservação e fortalecimento econômico da área, inclusive firmando o bairro como ponto de turismo histórico e cultural da cidade.

“Temos um projeto já pronto na Urbana de reforma do Espaço Cultural Ruy Pereira. Envolve a repaginação do piso, do palco, jogar a entrada para a rua Princesa Isabel, criar novo projeto de grafitagem”, informa Dácio. “Outro projeto é o de reurbanização da Praça João Maria. É algo maior, que vai da praça até o final da rua João Pessoa, na Catedral [Metropolitana], trabalhando a iluminação, as calçadas, implantação de bancos, talvez palco”. O gestor também anuncia que as ações de grafite no Beco irão se estender para além da Rua Coronel Cascudo. O edital pode ser acessado pelo Blog da Funcarte.










continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários