Eduardo bate em Padang

Publicação: 2019-10-13 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Rubens Lemos Filho
rubinholemos@gmail.com

O presidente do América, Eduardo Rocha, abriu suas baterias contra o ex, Alex Padang e contestou, item por item, a entrevista que a coluna chamou de Titanic, de tão assombrosa em números. Padang falou a um programa de rádio.

Eduardo, entre outras pancadas, revela que Padang se associou ao atacante Isaac  quando este foi envolvido em transação internacional e que o dinheiro não caiu somente na conta do clube.

Segundo Eduardo Rocha, sua gestão será encerrada sem o caos alardeado por Padang, que falou em falta de dinheiro de patrocínios e até de aluguel de parte da sede social da avenida Rodrigues Alves.

Eduardo Rocha disse que, até sua saída, o clube terá uma receita mensal de locação de R$ 180 mil reais, além de mais 22 mil de patrocínio, ou R$ 202 mil por mês. Irritado com Padang, Eduardo afirmou que sua gestão foi prejudicada por ter de pagar débitos anteriores, entre os quais uma transação de jogadores do Flamengo feita por outros dirigentes. “O que mais fiz foi pagar dívidas que não fiz”, simplificou Eduardo Rocha.

O atual presidente, em fim de mandato, declarou também que Padang fez um aditivo com o canal de TV Esporte Interativo pelo prazo de 10 anos, a poucos dias de deixar o cargo em 2013. De acordo com Eduardo Rocha, a medida prejudicou cinco gestões pelo alto valor comprometido, inclusive os próximos dois anos do presidente eleito Leonardo Bezerra. O valor, segundo o dirigente, supera 300 mil reais.

Eduardo Rocha disse que quitou dívidas trabalhistas de antecessores e estimou em 400 mil reais o débito atual. E que, especificamente da administração de Padang, pagou R$ 515.866,51 em processos trabalhistas fora 97 mil ao Flamengo pelo jogador Venício.

Eduardo Rocha, munido de documentação de cada ponto mencionado, partiu para a ofensiva contra Padang e cobra também uma posição do eleito Leonardo Bezerra(primo de Padang), que foi seu vice-presidente e pode confirmar o que disse à coluna.

“Não há Titanic no América, Rubinho”, enfatizou Eduardo Rocha, pintado para a guerra. “Talvez o crime de minha administração tenha sido inaugurado a primeira fase e liberado o estádio para os americanos, além de ter retornado à Copa Nordeste, estar deixando esta receita de 202 mil, o que vai significar 2,4 milhões anuais”, ironizou, acrescentando mais 1,2 milhão de reais da Copa do Nordeste e 450 mil da Copa do Brasil.

Deu ainda uma cutucada sarcástica no desafeto: “ Até hoje o clube se ressente dos 300 mil reais que foram roubados porque ele(Padang), irresponsavelmente, mandou sacar em espécie na CEF do centro da cidade. No mínimo ele deveria ressarcir o clube face seu ato irresponsável.”

Alecrim
Hoje à tarde, quando o sol cruza seus raios com os ventos do Seridó, o Alecrim joga sua sobrevivência. Enfrenta o Centenário de Parelhas pela segunda divisão do Campeonato Estadual no Marizão, estádio bonito  de Caicó. Bonito  e sem serventia, posto que é lastimável Caicó fora do futebol.

Fera
Quase anônima, a partida bem poderia reunir todos os corações em torno do Verdão, segundo time de todo mundo e primeiro dos moicanos da mais simpática torcida do Brasil, a Fera, Fiéis Esmeraldinos Radicais, que de radicais nada tem. Sobra ternura nos homens de resistência verdadeira, iniciada nos idos de Severino Lopes, Clóvis Motta e tantos outros abnegados.

Caminho
O Alecrim chegou primeiro ao ocaso. Está como que a abrir caminhos dolorosos para os rivais ABC e América, formando times horríveis, sofrendo humilhações inconcebíveis e molhando os olhos de quem ainda vê seus jogos, na terra como no céu.

Vitória
Uma vitória sobre o Centenário manterá o Alecrim em condições de disputar e subir para o Campeonato Estadual do próximo ano, resgatando um passado telúrico e retomando uma história belíssima.

Time de Sonhos
Memória  recitada por um time assim imaginário, razão de ser dos sonhadores: César, Saraiva, Cândido, Berilo Castro e Anchieta; Pedrinho, Valdomiro e Vasconcelos; Odilon, Icário e Burunga, mistura dos campeonatos ganhos em 1963/64/68/85 e 86. O Alecrim é uma história a recomeçar e um pavor para os seus rivais. O Alecrim pode ser o amanhã de ABC e América.

Fortaleza
Hoje, o ABC enfrenta o Fortaleza fora de casa em jogo único e eliminatório pela Copa do Nordeste Sub-20. No Sub-17, às 15 horas, pega o Visão Celeste. O América joga às 8 da matina contra o Riachuelo no querido Estádio Juvenal Lamartine, berço do nosso futebol.??

Renovações
O ABC vai dando prioridade à renovação com jogadores que mostraram algo regular no fracasso desse ano. Está correndo o risco de premiar a derrota como estigma. Em paralelo, Diá vai contratando seguindo seu conhecimento e tarimba. Para quem não lembra, foi Diá quem descobriu o meia Geraldo em 1998, dos maiores ídolos da história do ABC e depois campeão português pelo Boavista.

Abuso sexual
Na Comissão de Esporte da Câmara dos Deputados, o repórter Breiller Pires, do jornal El País, alertou sobre a necessidade de ações de prevenção contra a violência sexual contra jovens atletas.








continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários