Efetivo da segurança pública do RN sofre baixa por causa da Covid-19

Publicação: 2020-05-29 00:00:00
A+ A-
Ícaro Carvalho
Repórter

A pandemia do novo coronavírus atingiu em cheio o efetivo das forças de Segurança Pública do Rio Grande do Norte. Somados os policiais civis,  militares e penais, além dos bombeiros com casos suspeitos ou confirmados para a Covid-19, o número de homens e mulheres afastados do serviço público desde o início dos casos no Estado chega a 411. Os dados foram atualizados pelas Secretarias de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED) e Administração Penitenciária (SEAP) nesta quinta-feira, 28.

Créditos: Adriano AbreuSomente entre os policiais penais, que atuam na segurança das unidades prisionais do Estado, existem 65 servidores afastadosSomente entre os policiais penais, que atuam na segurança das unidades prisionais do Estado, existem 65 servidores afastados


A partir do detalhamento dos casos, obtém-se o número de 101 casos confirmados entre todos os trabalhadores da Segurança Pública local. Além disso, o Estado já registra três mortes de policiais militares por Covid-19, sendo dois deles da reserva e um da ativa. 

Na Polícia Militar são 61 casos confirmados, 13 recuperados e 112 suspeitos. Há ainda 235 policiais militares, de patentes diveresas, que chegaram a ser afastados em algum momento da pandemia (a partir de março). Na Polícia Civil, são seis registros positivos, três recuperados, um suspeito e 91 afastamentos. No Corpo de Bombeiros, sete profissionais testaram positivo para doença e quatro deles já voltaram ao trabalho. O Corpo de Bombeiros chegou a isolar outros 20 militares desde que os números de casos de infecção pelo novo coronavírus começaram a aumentar no Rio Grande do Norte.

Os afastamentos dos profissionais de segurança ocorrem pela testagem positiva, suspeita, por pertecerem ao grupo de risco ou conviverem com pessoas inseridas nesse contexto.

De acordo com o secretário de segurança do Rio Grande do Norte, Francisco Araújo, o número de confirmações e afastamentos na Polícia Militar naturalmente é maior em virtude da atuação dos trabalhadores dessa Corporação no combate à criminalidade e também nos cumprimentos dos decretos de isolamento social no Estado e nos municípios, fazendo com que os agentes sejam naturalmente mais expostos ao risco da contaminação.

“A PM, das instituições de segurança, é a que tem mais servidores e é a primeira linha de frente. O PM é o que está no patrulhamento ostensivo, é o que faz a atividade de rua, como o guarda municipal, como um policial rodoviário federal. São os agentes que estão no primeiro contato com as pessoas, tanto contaminadas portadoras da Covid-19 ou de outras doenças. Além do enfrentamento à criminalidade, de ocorrências policiais, trânsito, socorro, no momento da pandemia, a Polícia Militar também é um ente que garante as medidas de isolamento social, barreiras sanitárias ”, disse em entrevista à TRIBUNA DO NORTE.

Ciente das dificuldades das polícias Militar e Civil, ambas com déficits históricos de profissionais, o secretário Francisco Araújo ressaltou que há uma dificuldade  para o fechamento de escalas e a garantia do serviço, classificado como essencial. 

“Há sempre o ajuste porque as instituições possuem seus respectivos planos de férias. O agente não trabalha o ano todo, tem as dispensas. Então está se ajustando, administrativamente, dentro de cada instituição e cada modalidade de trabalho, para atenuar esses que estão saindo a mais, além dos que tiram férias. Porque muitas vezes coincide. Além do pessoal que tira férias e licença, está se ajustando as escalas de serviço para que não tenhamos um desfalque. Se você fizer relação de efetivo com as pessoas que estão afastadas, não é um número excessivo, mas faz falta. E o afastamento não é efetivo, é de cinco, dez, quinze dias”, esclareceu.

Com a formação de soldados de Polícia Militar suspenso em virtude da pandemia, o Governo do Estado esperava colocar cerca de 1.000 novos agentes de segurança nas ruas até o final do ano. Francisco Araújo comentou que o curso de formação desses novos policiais segue suspenso até que a Secretaria de Estado da Educação e da Cultura libere as aulas.

Proteção
Desde o começo da pandemia, a Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social do RN (Sesed) já distribuiu mais de 45 mil máscaras de uso pessoal, além da entrega de remessas de álcool em gel para a higiene, para as suas instituições e os setores que fazem parte da pasta. Também foram disponibilizados 2.040 testes no Hospital da Polícia Militar por parte da Secretaria de Estado da  Saúde Pública (Sesap/RN). Há um protocolo para que o teste seja aplicado nos agentes de segurança.

Créditos: Adriano AbreuFrancisco Araújo detalha dificuldades para fechar as escalasFrancisco Araújo detalha dificuldades para fechar as escalas


Número de presos infectados cresce no RN
O sistema prisional do Rio Grande do Norte tem 10 presos e 27 policiais penais com a Covid-19. Os apenados que testaram positivo para o novo coronavírus cumprem pena nas Cadeias Públicas de Mossoró e Caraúbas, no Oeste. As informações foram repassadas à TRIBUNA DO NORTE pela Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (SEAP). Para evitar novas infecções, todos os detentos com Covid-19 foram concentrados na unidade prisional de Caraúbas.

De acordo com a SEAP, os policiais penais e os presos apresentam sintomas leves da doença. Não há internações ou hospitalizações. No protocolo da Secretaria, ao identificar sintomas de gripe nos apenados e na equipe de policiais, são tomadas  providências: encaminhar os casos suspeitos para realização de teste rápido e, confirmado o resultado, afastar os policiais penais do serviço. Há ainda a comunicação aos familiares dos internos sobre a situação e procedimentos adotados. Os casos são acompanhados pela equipe de saúde prisional das unidades e dos municípios.

“Iniciamos medidas de limpeza e desinfecção de todas as unidades prisionais. Adquirimos pulverizadores e máquinas de lava jato. Diariamente, todas as celas, corredores e acessos aos presídios são limpos”, disse o secretário de Administração Penitenciária, Pedro Florêncio. 

Ainda de acordo com a SEAP, outros 94 policiais penais estãolistados como casos suspeitos e 65 deles são do grupo de risco e foram afastados, fazendo suas atividades por meio de teletrabalho. 

Pedido de nomeação
Com os afastamentos, a SEAP enviou um ofício, assinado pelo titular Pedro Florêncio, à Secretaria de Estado da Administração  (SEAD), solicitando a nomeação de 26 candidatos remanescentes já capacitados no último curso de formação da categoria. A SEAP ressaltou que há 42 cargos de policiais penais vagos no quadro de pessoal da pasta. 

Em nota, a SEAD disse que o “documento complementa processo já em andamento e a próxima etapa, de competência da SEAD, é o estudo de impacto financeiro. O resultado desse estudo será remetido a Secretaria da Administração Penitenciária, que discutirá com a Secretaria de Planejamento e com o Gabinete Civil a viabilidade financeira das nomeações”.

Suspensão
O sistema penal do Rio Grande do Norte começou o isolamento desde o dia 13 de março, suspendendo visitas, assistência religiosa e serviços sociais. O contato com os advogados chegou a ser suspenso, mas a pasta anunciou o serviço de atendimento virtual, garantindo assistência jurídica a distância. O teleatendimento foi viabilizado com a compra de equipamentos de informática exclusivos para o projeto.
“A partir da semana que vem, vamos iniciar o teleatendimento para os familiares para as visitas. O familiar se cadastra e tem um tempo de 10 minutos para falar com o seu parente que está preso”, comentou Pedro Florêncio. 

Estado soma 255 óbitos por Covid
A Sesap/RN atualizou, nesta quinta-feira, 28, parte dos números referentes ao enfrentamento ao novo coronavírus no Estado. Apesar de ainda não estarem disponíveis dados sobre o número de pessoas contaminadas, foram confirmados mais 13 óbitos em decorrência da Covid-19, que ocorreram entre os dias 16 e 27 de maio. Ao todo, são 255 mortes confirmadas e 89 pessoas aguardando leitos de UTI ou UCI.

De acordo com o secretário de Saúde do Estado, Cipriano Maia, a situação de ocupação dos leitos de UTI para Covid-19 segue semelhante à da quarta-feira, 27. Mossoró e Natal têm 100% de ocupação, Pau dos Ferros está com 62,5% (com três dos oito leitos de UTI disponíveis) e Caicó teve uma queda na taxa, com a abertura de novos leitos. Dos 22 disponíveis, nove estão ocupados.

Já na regulação dos pacientes, o Estado tem nove pacientes considerados prioridade 1 (que necessitam de UTI), 26 na prioridade 2 (necessidade de leitos semi-intensivos) e mais 54 pacientes entre as prioridades 3 e 4 (que precisam de leitos clínicos).

Veja como a pandemia afeta as forças de segurança no RN:

Polícia Militar
Confirmados: 61
Recuperados: 13
Suspeitos: 112
Óbitos: 3
Afastados*: 235

Polícia Civil
Confirmados: 6
Recuperados: 3
Suspeitos: 1
Óbitos: 0
Afastados: 91

Corpo de Bombeiros
Confirmados: 7
Recuperados: 4
Suspeitos: não informado
Óbitos: 0
Afastados: 20

Polícia Penal
Confirmados: 27
Recuperados: não informado
Suspeitos: 94
Óbitos: 0
Afastados: 65

Sistema Penitenciário (presos)
Confirmados: 10
Recuperados: não informado
Suspeitos: não informado
Óbitos: 0

*A partir de março até o dia 28 de maio.

Fonte: Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED/RN) e Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (SEAP)










Deixe seu comentário!

Comentários