Elas valem Ouro

Publicação: 2017-08-13 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Dos 18 atletas que representarão o Brasil no Mundial de Natação Paralímpica, que acontecerá entre os dias 30 de setembro e 6 de outubro, na Cidade do México, três são potiguares e destes, todas são mulheres. Cecília Araújo e Joana Neves são natalenses. Edênia Garcia nasceu no Crato/CE, mas é radicada na capital do Rio Grande do Norte.
Nadadoras potiguares lutam por medalhas em mais uma competição internacional
Nadadoras potiguares lutam por medalhas em mais uma competição internacional

Esta será a edição da competição, disputada pela última vez em Glasgow, na Escócia. Na ocasião, o Brasil venceu 23 medalhas - 11 de ouro, oito de prata e quatro de bronze. Neste torneio, Edênia faturou seis medalhas, sendo superada apenas por Daniel Dias, que ganhou uma a mais.

o paulista é o atleta de maior rodagem internacional do grupo. Nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016, ele subiu ao pódio nove vezes (quatro de ouro, três de prata e duas de bronze), conquistou o maior número de medalhas individuais de toda a delegação brasileira e se tornou o homem com o maior número de medalhas na natação em Jogos Paralímpicos.

Dez atletas convocados para a competição no México subiram ao pódio nos Jogos do Rio 2016. O critério para a seleção dos nadadores teve como base índices estabelecidos pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). Os tempos equivalem à sexta marca do ranking mundial do ano passado - mais fortes do que as marcas qualificatórias requeridas pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês).

"A estratégia era a de manter os índices fortes desde o início do ciclo. Quem está classificado certamente tem muita possibilidade de chegar ao México com chance de medalha. Os atletas estão bem posicionados no ranking mundial, já que os índices eram baseados nos resultados dos Jogos Paralímpicos. Quem conseguiu a marca está nadando em altíssimo nível", disse Leonardo Tomasello, técnico-chefe da natação no CPB. 

Esta será a oitava edição do Mundial de Natação Paralímpica. São esperados cerca de 550 nadadores de 60 diferentes países.
Cecília Araújo
»Cecília Araújo »
Nascimento: 13/10/1998, Natal (RN)
Peso: 53kg
Altura: 1,59m
Classe: S8, SM8 e SB8

Principais conquistas: bronze nos 50m e nos 100m livre nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; ouro nos 50m livre, nos 100m livre, nos 100m peito e nos 100m borboleta, e prata nos 400m livre no Parapan de Jovens da Argentina 2013.

História
Por causa de uma gestação complicada da mãe e falta de oxigenação na hora do parto, Cecília teve paralisia cerebral e o movimento do lado esquerdo do corpo ficou prejudicado. Aos dois anos, ainda não andava e nem falava. Começou a fazer fisioterapia para ajudar no desenvolvimento. Aos 4, passou para a hidroterapia e, em seguida, para a natação. Sua primeira competição foi aos 10 anos.
Joana Neves
»Joana Neves »
Nascimento: 14/2/1987, Natal (RN)
Peso: 36kg
Altura: 1,23m
Classe: S5, SB5 e SM5

Principais conquistas: Duas medalhas de prata e uma de bronze nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016; cinco medalhas de ouro nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; dois ouros e um bronze no Mundial de Glasgow 2015; três bronzes no Mundial de Montreal 2013; um bronze nos Jogos Paralímpicos de Londres 2012; quatro ouros nos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara 2011; uma prata e um bronze no Mundial da Holanda 2010.

História
Joana tem acondroplasia (nanismo desproporcional, causado por mutações genéticas). Começou a praticar natação aos 10 anos por recomendação médica e, aos 13, passou a competir. Já aos 14, participou da primeira competição internacional.
Edênia Garcia
»Edênia Garcia »

Nascimento: 30/04/1987, radicada em Natal (RN)
Peso: 67kg
Altura: 1,64m
Classe: S4, SB3 e SM4

Principais conquistas: ouro nos 50m costas e prata nos 50m e 100m livre nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; bronze nos 50m costas no Mundial de Glasgow 2015; prata nos 50m costas no Mundial de Montreal 2013; prata nos 50m costas nos Jogos Paralímpicos de Londres 2012; ouro nos 50m costas nos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara 2011; tricampeã mundial nos 50m costas (Mundiais de 2002, 2006 e 2010); bronze nos 50m costas nos em Pequim 2008; prata nos 50m costas em Atenas 2004.

História
Edênia nasceu com polineuropatia sensitiva motora, doença progressiva que prejudica o movimento dos braços e pernas. Incentivada pelos pais, a atleta escolheu a natação e viu que tinha potencial para ser atleta profissional. Começou a competir em 2001.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários