Quadrantes
Eleve seu coração
Publicado: 00:00:00 - 16/01/2022 Atualizado: 13:30:58 - 15/01/2022
Diogenes da Cunha Lima
 Escritor, advogado e presidente da Academia Norte-rio-grandense de Letras (anL)

Nas missas de antigamente, os padres comandavam “Sursum Corda”, exortando os fiéis para que tenham corações ao alto. É necessário para a celebração do mistério.

Há mais de dois mil anos, o coração, e não o cérebro, é considerado pelo povo a sede dos sentimentos, das emoções.

Pitágoras, o sábio absoluto, há 600 a.C., recomendava a purificação do coração antes de permitir a entrada do amor. Não se pode alojar o amor em recipiente sujo. 

É verdade que outros órgãos foram indicados para sediar os sentimentos, como o fígado e o estômago. Tanto que ainda se diz: não tenho estômago para suportar uma coisa dessas…

A medicina recorre ao grego para qualificar a sua ciência. Karda, em grego, é coração. Daí cardíaco, cardiologista, cardiograma.

Na língua comum, o latim cor, cordis, predomina. São muitas as palavras derivadas em português. Coragem nos veio através do francês courage em verdade, é que ela costuma nascer no coração. Na canção de Gonzaguinha, Coração não tenha medo/Pela porta aberta vai entrar a vida.

Cordialidade que é qualidade do brasileiro, segundo Sérgio Buarque de Holanda, foi assim formado. Da mesma maneira, as crianças do meu tempo diziam saber de cor e salteado. Saber no coração é também expressão inglesa by heart.

O Brasil precisa deixar a cruel polarização política para buscar a grande concordância em favor dos valores superiores da pátria. Isso não quer dizer que não podemos discordar. De múltiplas discordâncias nasce o entendimento. Deixar em sossego o Brasil, que tem forma de um enorme coração.

O caminho da felicidade é iluminado pela bondade e alegria de espírito. Temos que acolher por generosidade as pessoas cujas ações são geradas pelo coração.

Uma coincidência trágica. Guimarães Rosa, no seu discurso de posse da Academia Brasileira de Letras, disse que a sua cidade Cordisburgo era o burgo do coração. Finalizou dizendo estar ali Cordisburgo. Morreu de ataque cardíaco três dias depois.

Uma ilha do Caribe, sob colonização holandesa, tem o nome de coração. Os habitantes falam uma língua mista, que se incluem expressões ibéricas. Os navegadores portugueses, da época do Descobrimento, deixaram traços culturais na região caribenha. Curaçao é certamente coração.

Vejam quantas palavras incorporaram a expressão latina: ser cordial é sempre agir recordando, que é característica do povo brasileiro. Escrevi estas palavras “Ab imo corde”, ou seja, do mais íntimo do meu coração.



Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte