Em dois anos, média diária de carros roubados dobrou

Publicação: 2017-08-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A média de veículos roubados por dia em 2017 quase dobrou no Rio  Grande do Norte quando comparado com 2015, quando foram roubados 14 veículos por dia, atualmente a média é de 23. Os meses que registraram a maior quantidade de roubos e furtos foram em 2017 foram maio (797), julho (768) e junho (761).   A média é de um carro, moto ou veículo de grande porte roubado por hora. Esses meses superaram 2016, quando o mês com mais crimes do tipo foi março, com 681 crimes. No primeiro semestre do ano passado, a média foi de 20 veículos roubados e furtados por dia.

Os bairros de Lagoa Nova (275), Capim Macio (111), Alecrim (158), Candelária (116), Nossa Senhora da Apresentação (298) e Potengi (212) foram os locais com o maior índice de roubos e furtos de carros de janeiro a julho de 2017, segundo dados da Sesed.

A maior parte dos roubos,  acontece quando o carro é tomado das mãos da vítima à força, inclusive com a ameaça e uso de arma pelo ladrão, e de furtos, quando a vitima está ausente do veículo. Maior parte é destinada à clonagem para uso em crimes ou desmanche, a fim de que as peças sejam vendidas.

As quadrilhas que furtam e roubam veículos estão sendo identificadas e algumas presas, principalmente receptadores de carros para desmanche e uso de carro “dublê”, que têm placas idênticas, as chamadas “chapas frias”. A maioria dos carros é usada para a prática de atividades ilícitas, depois abandonados pelos criminosos.

 Nesta semana, o registro de 16 roubos e furtos de veículos entre a noite desta terça-feira (8) e a manhã de quarta (9), resultou na antecipação de uma operação que integra as polícias Civil e Militar no combate a incidência desse tipo de crime.  Cerca de 30 policiais, entre agentes da Deprov (Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas), e efetivo da Polícia Militar, BOPE, BPChoque e da Polícia Rodoviária Estadual (CPRE), participaram da ação que fiscalizou oficinas, lojas de autopeças e sucatas que funcionam na Av. Coronel Estevam no bairro de Dix-Sept Rosado, zona Oeste de Natal.

Em entrevista à TRIBUNA DO NORTE em março deste ano, o delegado Licurgo Neto atribuiu o crescimento do número de veículos roubados e furtados, afora a falta de infraestrutura da Polícia para atuar na prevenção, à questão da impunidade: “Prende-se o infrator, mas depois ele é preso novamente mesmo condenado, pois geralmente cumpre pena no regime semiaberto”, disse à época.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários