Em greve, terceirizados da Petrobras afirmam que estão recebendo ameaças

Publicação: 2014-04-10 11:47:00 | Comentários: 0
A+ A-
O Sindicato dos Petroleiros e Petroleiras do Rio Grande do Norte (Sindipetro/RN), através do seu diretor em Mossoró, Pedro Idalino, afirmou que tem recebido denúncias por parte do terceirizados em greve de supostas ameaças contra os profissionais. Os funcionários da empresa Empercom teriam sido intimidados para que retornassem ao trabalho. Contudo, os profissionais da empresa, que presta serviço a Petrobras, permanecem de braços cruzados desde ontem (9).

Os terceirizados da sondagem e operação de produção de petróleo reivindicam o pagamentos de salários atrasados, férias e encargos trabalhistas. São aproximadamente 1.200 trabalhadores ligados à empresa Empercom cobrando um montante superior a R$ 1 milhão.

“A paralisação se deu após diversos atrasos nos pagamentos, desde o ano passado. Em uma situação como essa, existem várias implicações. E não é uma problema apenas da Entercom, outras empresas também enfrentam dificuldades em honrar os valores acordados em contrato. Esperamos que a gestão da Petrobras aumente a fiscalização e melhore a construção dos vínculos terceirizados”, destacou Pedro Idalino.

O diretor do Sindipetro em Mossoró também afirmou que os trabalhadores só voltarão aos postos de serviço quando todas as dívidas forem quitadas.

Antes da paralisação, os trabalhadores participaram de uma reunião intermediada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). O último Termo de Acordo entre MPT, Empercom e sindicato foi firmado em janeiro passado. Porém, o documento estava sendo descumprido.

A reportagem tentou o contato com a empresa, através do número divulgado no site da Empercom, mas não obteve resposta.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários