Em Natal, bares e restaurantes com até 300 metros quadrados reabrem a partir do dia 7

Publicação: 2020-07-04 00:00:00
A+ A-
Com cerca de 2 mil estabelecimentos de alimentação, Natal deve observar a reabertura do setor de restaurantes a partir do próximo 7 de julho. De acordo com o Plano de Retomada das Atividades Econômicas do RN, a primeira fase está restrita aos estabelecimentos com até 300 m², que comportem até 4 pessoas por mesa e mantenham o espaçamento de 2 metros entre cada uma delas. Restaurantes, lanchonetes e food parks que se encaixem nesses critérios vão poder abrir as portas, entretanto, o consumo e a venda de bebidas alcoólicas nos estabelecimentos está proibida. No resto do Estado, a abertura para os outros 3 mil estabelecimentos está prevista para iniciar no dia 8 de julho. 

Créditos: ARQUIVO/TNPizzaria esttá pronta para reabrir no que diz respeito às adequações de segurança e higienePizzaria esttá pronta para reabrir no que diz respeito às adequações de segurança e higiene


O presidente local da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Artur Fontes, afirma que a expectativa é que “a maior parte” dos estabelecimentos abra as portas no próximo dia 7 em Natal, e no dia 8 no restante do Estado. De acordo com ele, o setor está "pronto para reabrir há muito tempo" no que diz respeito às adequações de segurança e higiene. "Somos uma das poucas atividades frequentemente vigiadas por órgãos como a vigilância sanitária, então já temos normativas enraízadas no setor que foram aprimoradas", diz Artur. 

"Temos dito muito que não basta apenas os proprietários se adaptarem, eles precisam repassar aos clientes o que estão fazendo de novo, para que as pessoas possam entender de que forma estão sendo protegidas naquele estabelecimento", destaca.

A pizzaria Massa Finna, em Mirassol, foi uma das que já deu início aos novos protocolos de segurança, que vão desde a retirada de 50% das mesas da parte interna do restaurante para garantir o distanciamento, à instalação de novas pias e mudança de protocolos para funcionários do salão e da cozinha. 

"Reduzi mesas e cadeiras em 50% na parte interna, abrimos portas e janelas ao invés de utilizar o ar condicionado, dobramos a quantidade de pontos de álcool em gel no restaurante, que era algo com o que já trabalhávamos. Além disso, fizemos uma pia provisória na parte externa para que os motoboys possam garantir sua higienização, e criei estrados para o recebimento da mercadoria, para que nada fique no chão em nenhum momento", afirma Fernando Popó, proprietário do restaurante.

Além dessas medidas, ele conta que instituiu também a função de um fiscal de limpeza, que vai observar a manutenção das novas regras pela equipe e incentivar lavagens de mãos de hora em hora. Dentre os colaboradores, inclusive os motoboys que fazem as entregas para o restaurante, também foram adotadas algumas medidas. "Demos três máscaras e álcool em gel para todos os motoboys, além da pia que vai permitir que eles higienizem as mãos. Também estabelecemos o distanciamento de 1,5 metro entre eles. O mesmo aconteceu na cozinha, onde mudamos o protocolo para garantir a distância entre os colaboradores. Fora isso, todos os nossos colaboradores estão trabalhando de máscara e óculos, ou viseira, no caso da pessoa que fica no caixa", afirma.

Além disso, ele encomendou novas roupas para que os funcionários do restaurante possam trocar o uniforme de segunda a quinta-feira, garantindo o tempo de lavagem entre um e outro para que a roupa não precise ser repetida. "Fora isso, há algumas outras mudanças: garfos e facas serão embalados, e o garçom só fará a montagem da mesa quando o pedido estiver pronto, para evitar contaminação de qualquer utensílio", completa. Outra tendência que está em vias de ser implantada no estabelecimento é o cardápio por QR Code, que o cliente poderá ver no próprio celular, e inclusive efetuar o pagamento pelo dispositivo. 

De acordo com o presidente da Abrasel, os protocolos de segurança propostos pelo setor visam contemplar dos pequenos aos grandes restaurantes e, para isso, foram pensadas alternativas de baixo custo que podem ser adotadas por todos. “É o caso da utilização da ventilação natural, por exemplo. Também recomendamos a utilização de um totem de álcool em gel na entrada do estabelecimento, além de outros pontos espalhados pelo local. Tudo foi pensado para que possa de fato ser executado, do grande restaurante ao pequeno”, afirma Artur.

A proibição na venda de bebidas alcóolicas, no entanto, será sentida pelos proprietários, de acordo com Fernando. “É uma questão, porque a bebida traz também a comida, e vai prejudicar principalmente os donos de bares”, diz o empresário.

A existência de clientela, por sua vez, não é uma preocupação: de acordo com Artur, desde a quarta-feira, 2, quando ocorreu a reabertura oficial de algumas atividades, clientes ligam para restaurantes e chegaram até mesmo a ir em alguns estabelecimentos por acreditar que eles também estariam abertos. “As pessoas estão exaustas e precisam espairecer, então desde o primeiro dia da reabertura já havia gente procurando os serviços”, afirma. 

Entenda a reabertura:
Fase Alimentação 1
Permitida abertura de restaurantes, lanchonetes e food parks de até 300 m², de mesas de até 4 pessoas, com consumo e venda de bebidas acoólicas proibido nos estabelecimenos. Os locais deverão manter o espaçamento de 2 metros entre cada mesa, e de no mínimo 1m de distância entre os clientes.  Válido a partir do dia 7 de julho em Natal, e 8 de julho no restante do Rio Grande do Norte.

Fase Alimentação 2 
Podem abrir restaurantes, lanchonetes e food-parks com tamanho superior a 300 m², seguindo os mesmos procedimentos de segurança da fase 1. Não está autorizada a promoção de shows, festas e afins. A música ao vivo é permitida, desde que limitada a uma pessoa apenas (um músico com seu instrumento). Prevista para iniciar no dia 28 de julho.

Protocolos gerais para bares e restaurantes
- Aferição de temperatura de clientes e fornecedores antes deles entrarem em contato com os colaboradores
- Uso obrigatório de máscara, com etirada permitida somente para a refeição
- Readequação dos salões, com distanciamento de 2 m entre as mesas 1 m entre cadeiras.
- Higienização reforçada de mesas e cadeiras
- Instalação de áreas de lavabo, disposição de álcool em gel em pontos do local
- Organizar turnos específicos para limpeza, sem contato com as demais atividades do estabelecimento
- Limitar o número de pessoas por mesa a 4, mantendo o distanciamento recomendando
- Cobrir máquina de pagamento de cartão com filme plástico para facilitar a higienização após o uso
- Poribir cumprimentos físicos entre funcionários e clientes