Empresários do RN apontam recuo no gasto dos turistas

Publicação: 2019-12-08 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
No Rio Grande do Norte, 63,6% dos empresários de meios de hospedagem demonstraram percepção de estabilidade na rentabilidade do setor de turismo no destino para o 2º trimestre de 2019 comparado ao mesmo trimestre de 2018. Em relação à demanda pelo destino, 60,6% desses empresários informaram que houve queda, enquanto 30,3% informaram estabilidade. Quanto ao gasto do turista no destino, 66,7% dos empresários indicaram queda e 18,1% estabilidade.

Com relação à perspectiva para os próximos seis meses, 42,4% desses empresários esperam um cenário de queda para a rentabilidade do setor de turismo no destino e 33,4% estabilidade. Quanto à demanda pelo destino, 51,5% dos empresários preveem queda e 36,4% aumento. Outros 54,5% dos empresários pressupõem queda no gasto do turista no destino, para os próximos seis meses, enquanto 30,3%, aumento.
Com relação à perspectiva para os próximos seis meses, 42,4% dos empresários esperam um cenário de queda para a rentabilidade
Com relação à perspectiva para os próximos seis meses, 42,4% dos empresários esperam um cenário de queda para a rentabilidade

O estudo do Ministério do Turismo aponta, ainda, que 60,6% dos empresários de meios de hospedagem do Rio Grande do Norte pretendem investir em seus estabelecimentos nos próximos seis meses, sendo que desses, 12,1% afirmaram que investirão com certeza. Enquanto 39,4% desses empresários informaram que não têm a mesma pretensão de investimento

Otimismo


Uma pesquisa realizada em outubro deste ano pelo Ministério do Turismo com empresas do setor de hospedagem apontou otimismo para os próximos seis meses no setor de acomodações de todo o Brasil. Segundo o boletim, 57,5% dos empresários confirmaram a pretensão de manter o número de funcionários e 25,7% esperam abrir novas vagas de trabalho. Na mesma prospecção, 46,4% preveem aumento no faturamento da empresa e 43,6% dos entrevistados projetam crescimento na demanda pelos serviços ofertados.

Os percentuais, de um modo geral, significam mais empregos, mais faturamento e estabilidade nos estabelecimentos de hospedagem do Brasil até março de 2020. A perspectiva é positiva também quanto ao investimento para os próximos seis meses: quase metade do mercado de hospedagem brasileiro (49,9%) pretende aplicar recursos em seus empreendimentos. Outro número positivo mostra que 16,1% dos empresários responderam que “definitivamente” vão aumentar o investimento em seus estabelecimentos. No total, incluindo aqueles que “provavelmente” vão investir (49,9%), 66% do setor de hospedagem se mostrou favorável a novos aportes em 2020.

Desempenho


O estudo do Ministério do Turismo também apontou números positivos em relação a empregabilidade, demanda por serviços ofertados e faturamento da empresa quando comparados ao mesmo período de 2018. No 3º trimestre deste ano, quase 60% dos empreendedores do setor informaram que houve estabilidade no número de funcionários no setor de hospedagem. Quanto à demanda de serviços ofertados, 36,4% afirmaram que houve estabilidade e 35,8% apontaram aumento no 3º trimestre de 2019. Dos 727 empreendedores do setor de hospedagem que participaram da pesquisa, 34% identificaram aumento no faturamento da empresa.

A Sondagem Empresarial do Setor Hoteleiro no Brasil é realizada pela Subsecretaria de Inovação e Gestão de Conhecimento do Ministério do Turismo. São consultados empreendimentos de hospedagem de todos os portes, dentre os quais hotéis, pousadas, resorts e acampamentos turísticos. O objetivo é apurar as perspectivas dos empresários quanto ao desempenho de seus estabelecimentos e dos destinos onde estão inseridos.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários