Empresários fazem protesto contra restrições mais duras em Natal

Publicação: 2021-03-06 00:00:00
Donos de restaurantes, funcionários e trabalhadores do setor de bares e estabelecimentos gastronômicos promoveram, na noite dessa sexta-feira (5), um ato contra o toque de recolher, das 20h às 6h do dia seguinte, que entra em vigor neste sábado em todo o Rio Grande do Norte. A medida foi estabelecida pela governadora Fátima Bezerra como medida de mitigar o avanço da pandemia do coronavírus e suas variantes.

Créditos: Alex RégisTrabalhadores e empresários do setor de alimentos e bebidas protestaram contra ampliação do toque de recolher no Estado do RNTrabalhadores e empresários do setor de alimentos e bebidas protestaram contra ampliação do toque de recolher no Estado do RN

 O ato foi pacífico e aconteceu nas imediações da Feirinha de Artesanato de Ponta Negra, zona Sul de Natal, bairro que concentra a maioria dos restaurantes da cidade. Viaturas da Polícia Militar e da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) estiveram no local.

“Não somos a favor de aglomerações, mas pedir pra gente fechar às 20h é ilógico por duas coisas: vai colocar mais pessoas juntas num mesmo lugar em menos tempo. A gente só quer trabalhar, dialogar com as forças públicas para arrumar uma solução para todo mundo. Fechar às 20h é um lockdown travestido de medida", disse Walter Dantas, consultor gastronômico e um dos coordenadores do ato. 

Com as medidas, bares e restaurantes, que antes podiam funcionar até às 22h, terão de encerrar suas atividades às 20h. Aos domingos, o toque de recolher será integral e apenas serviços essenciais, como supermercados, farmácias, postos de gasolina poderão abrir sem restrições de horário.

Em nota, os presidentes do Sindicato da Indústria dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do RN (SHRBS-RN), Habib Chalita, e da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do RN (Abrasel-RN), Paolo Passariello, informaram que não foram informados, procurados ou convocados para a manifestação.

“Entendemos o momento vivido e também estamos em diálogo com os Poderes na busca de possíveis soluções que pelo menos minimizem os impactos a serem provocados nos setores de hospedagem, alimentação e eventos no Rio Grande do Norte”, destacaram.

Pouco antes das 22h dessa sexta-feira, em outra nota, o  Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Rio Grande do Norte (SHRBS-RN) expôs que “apoia o prefeito de Natal Álvaro Dias na decisão de não fazer o lockdown na capital potiguar e que sejam tomadas medidas para fiscalizar e evitar aglomerações”. A Prefeitura do Natal, porém, não havia comentado o decreto estadual ou editado um próprio com novas restrições ou flexibilização dessas até o fechamento dessa edição.









Leia também: