Empresários pedem ações de segurança e competitividade

Publicação: 2018-08-10 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A Associação dos Supermercados do Rio Grande do Norte (Assurn) sabatinou, ontem, dois candidatos a governador do Rio Grande do Norte nas eleições de outubro deste ano, o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) e a senadora Fátima Bezerra (PT). Na ocasião, o presidente da instituição, Luiz Antônio de Moura, entregou uma pauta de reivindicações desse setor do mercado varejista. A pauta foi entregue aos candidatos com questões relacionadas à insegurança, dificuldade de competitividade em comparação a redes de supermercados em outros estados e o custo dos impostos para alguns produtos como pescado e hortifrútis.

“O setor de supermercado gera em torno de 100 mil empregos diretos, talvez hoje o maior empregador do Estado”, afirmou Luiz Antonio Moura, acrescentando que o comércio responde por 44% do ICMS arrecadado no Estado, sendo que 70% disso dos supermercados. 

Ele informou que o governador Robinson Faria (PSD) não pode comparecer ao evento, que ocorreu no Villa Park, no Tirol, devido a incompatibilidade com a agenda previamente definida.

Moura afirmou, na abertura da sabatina, que esse era um momento importante para a classe empresarial e para a política do Rio Grande do  Norte: “A diretoria da Associação entende que temos duas opções, ou nos omitimos e continuamos reclamando da vida,  ou a gente participa para tentar mudas as coisas”.

Então, segundo Moura, a Assurn está fazendo a segunda opção, “vai participar e ajudar naquilo que for necessário e que for da sua competência”.

As pautas entregues pela Assurn aos candidatos Carlos Eduardo e Fátima Bezerra incluem a redução dos custos de ICMS com o diferencial de alíquotas na aquisição de equipamentos, móveis e máquina e redução sob produtos sujeitos à substituição com valor acima do preço de mercado.

O segmento empresarial dos supermercados também pleiteia a adoção de créditos de ICMS na aquisição de peixes, crustáceos e moluscos pescados no Rio Grande do Norte, bem como isenção  de hortifrutis, crédito de energia referente à industrialização nos supermercados e crédito sobre embalagens e substituição das sacolas convencionais por biodegradáveis.




continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários