Empresas descartam escala de navio de luxo em Natal

Publicação: 2014-04-16 00:00:00
Renata Moura
Editora de economia

Empresas responsáveis por um cruzeiro marítimo que vai transportar torcedores estrangeiros no Brasil, durante a Copa do Mundo,  reiteraram ontem que, para assistir a jogos em Natal, o grupo vai desembarcar em Recife e viajar até a capital potiguar de ônibus. “O roteiro geral do navio já está definido e, devido à restrição operacional do porto de Natal para receber navios dessa dimensão, não haverá escala nesse destino”, afirmou ontem a MSC Cruzeiros, que fretou o navio à operadora mexicana Mundomex.
O navio MSC Divina não passa sob a Ponte Newton Navarro e logística alternativa foi rejeitada
Havia a expectativa de que o navio ancorasse no porto de Natal, mas a altura da ponte Newton Navarro, inferior à da embarcação, impediu a aproximação do cruzeiro. O navio tem 67 metros de altura, enquanto a ponte, aberta em 2007, tem 55 metros de altura. Uma alternativa foi apresentada aos operadores de turismo, mas foi rejeitada.

saiba mais

De acordo com Maria José Laris, executiva da Mundomex, foi cogitada a possibilidade de o cruzeiro parar antes da ponte, em Natal, e de os torcedores serem transportados em barcos menores até o terminal de passageiros. A operadora, no entanto, rejeitou a solução porque seria demorada. “O navio usaria três ou quatro barcos para transportar 3.500 passageiros. Essa operação demoraria, no mínimo, três horas. Tansportar o grupo de ônibus foi a melhor solução que estudamos”, diz.

Na tarde de ontem, a Companhia Docas do RN (Codern), que administra o porto de Natal, afirmou em entrevista coletiva que as negociações não estavam encerradas e que ainda havia a expectativa de escala do navio – possibilidade que a  Mundomex e a MSC descartaram, ao serem questionadas pela TRIBUNA DO NORTE.

Alternativa
A Codern diz ter sido procurada pela MSC no dia 2 de abril. A empresa teria exigido uma alternativa para diminuir a distância e o tempo de percurso dos turistas até o porto. Segundo o presidente da Codern, Pedro Terceiro de Melo, a Codern aprovou uma nova opção e a Marinha encaminhou à empresa.

A logística seria a mesma, mas o ponto de fundeio – que é a área delimitada para a atracação do navio - foi aproximado. Antes, o navio ficaria a 10 milhas do porto. Agora, ficaria a 2 milhas e meia. O percurso até o porto teria o tempo reduzido para entre 15 e 20 minutos.

De acordo com Terceiro, um documento com os detalhes foi enviado à MSC na sexta-feira  (11), mas a empresa ainda não havia dado resposta. “Em querendo, é possível atracar e fundear, os passageiros serem transportados por lanchas e serem bem recebidos no terminal”, reforçou o consultor da Agência Porto, Fabrizio Pierdomenico, que está elaborando para a Codern um estudo relacionado à movimentação de mercadorias.

Procurada após a entrevista coletiva pela TRIBUNA, a MSC não confirmou nem negou que tenha pedido uma nova solução à Codern, mas assegurou que a escala do navio em Natal está descartada. Maria José Laris, da Mundomex, frisou que “não há negociações com Natal e que vai transportar os passageiros até a cidade de ônibus”.

Os torcedores vão desembarcar em Recife e percorrer 280 km por terra até Natal, em cerca de cem ônibus e em regime de “bate e volta”. Eles virão a capital para a estreia do México na Copa, contra Camarões, no dia 13 de junho. Também virão no dia 24 de junho, quando o Uruguai enfrenta a Itália na Arena das Dunas.