Equivoco do ministro

Publicação: 2019-11-09 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira, afirmou, durante visita ao Rio  Grande do Norte na quinta-feira, que o Estado receberia mais de R$ 771 milhões provenientes da cessão onerosa do megaleilão do pré-sal, dos quais R$ 423 milhões para o governo e R$ 348 para os municípios. Mas, ontem, ele divulgou uma nota na qual afirmou que os números estavam os números estavam equivocados. “O repasse correto, após o leilão da última quarta-feira (06), é de quase R$160 milhões para o Estado do Rio Grande do Norte e R$ 131 milhões para os municípios”, informou os números corretos.  “Pelos motivos citados, peço desculpas publicamente à governadora Fátima Bezerra e ao povo potiguar pelo equívoco e aproveito a oportunidade para ressaltar que o Governo Federal tem como a transparência uma das principais diretrizes de trabalho”, acrescentou ministro.

Reprovação ao extremismo
A Fiern divulgou uma nota ontem na qual afirma que, “em respeito ao debate democrática, “reprova os ato extremistas que tentaram impedir e tumultuaram a realização da sessão solene a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, em homenagem ao ex-deputado Rogério Marinho, secretário especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia”. A nota afirma que a manifestação atingiu não apenas o homenageado, mas também os convidados da ALRN, que tiveram dificuldades de acesso ao local da homenagem “e se notabilizou pela intolerância”. “O diálogo e a convivência respeitosa entre os contrários são valores dos quais não podemos abrir mão, sob pena de nos perdermos como sociedade plural e verdadeiramente afeita aos princípios democráticos”, destaca o texto e conclu em seguida: “o deputado Rogério Marinho tem uma história de luta pelo Rio Grande do Norte que merece respeito.”

Pedido expulsão
O deputado federal General Eliéser Girão informou ontem nas redes sociais que o PSL instaurou procedimento a partir de um pedido de expulsão contra o parlamentar. Segundo o general Girão, o motivo da iniciativa foi ele “ter pedido, juntamente com a maioria dos deputados [da legenda], transparência e lisura nas contas do partido.”

Enfrentamento às manchas
A governadora Fátima Bezerra recebe neste sábado os senadores que integram a Comissão de Acompanhamento das Ações de Enfrentamento às Manchas de Óleo no Litoral Brasileiro. Na programação, está prevista uma visita à praia de Barra de Tabatinga, em Nísia Floresta, para avaliar os impactos ambientais, sociais e econômicos da poluição, além de reunião com senadores e representantes de órgãos ambientais. Estão confirmadas as presenças dos senadores Fabiano Contarato (ES), Humberto Costa (PE), Jean-Paul Prates (RN) e Randolfe Rodrigues (AP).

Título de cidadania
O ex-ministro e ex-deputado Henrique Eduardo Alves será homenageado em Monte Alegre no próximo dia 25 de novembro, com o título de cidadão montealegrense. A concessão do título foi aprovada à unanimidade pela Câmara Municipal.

Favorável à decisão
O presidente do Conselho Federal da OAB, , afirmou que a entidade cumpriu sua atribuição ao propor uma “Ação Declaratória de Constitucionalidade” contra a prisão a partir da condenação em segunda instância. O presidente  OAB também elogiou a decisão do Supremo Tribunal Federal. “A decisão do STF reafirma que não pode haver justiça, não pode haver democracia, se forem relativizados ou desrespeitados os direitos fundamentais estabelecidos na Constituição. O direito de defesa e a presunção de inocência de cada cidadã e cidadão saem fortalecidos desse julgamento”, disse. “Nosso sistema de Justiça hoje honrou as palavras de dr. Ulisses na promulgação da nossa Constituição: 'Quanto a ela, discordar, sim. Divergir, sim. Descumprir, jamais. Afrontá-la, nunca'”, destacou.

Contra a decisão
A Associação Nacional de Procuradores da República lamentou a decisão do  STF contra a prisão a partir da condenação em segunda instância. “A decisão de quinta-feira retoma uma experiência negativa, responsável por reforçar a morosidade da Justiça e incentivar a proliferação de recursos protelatórios como antídoto para evitar o cumprimento de penas estabelecidas pelas instâncias ordinárias”, afirma a entidades representativa dos procuradores, em nota.

Localizado pela Veja
O porteiro que associou o presidente Jair Bolsonaro a Élcio Vieira de Queiroz, um dos acusados de matar a vereadora Marielle Franco, mora em área dominada por milícia na zona oeste do Rio. A revista Veja localizou Alberto Jorge Ferreira Mateus em uma casa simples na Gardênia Azul, bairro da região administrativa de Jacarepaguá. "Eu não estou podendo falar nada”, disse Alberto.





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários