Errinhos, errões

Publicação: 2020-01-16 00:00:00
A+ A-
Vicente Serejo
serejo@terra.com.br

Créditos: DivulgaçãoCOLUNACOLUNA

Outro dia, a pretexto de comentar a vida de cronista e as pedras que enfrenta em cada vereda, um amigo registrou o que chamou de ‘errinhos’ os erros que saem aqui e sujam o caminho das palavras. Os ‘errinhos’, reconheço, são frutos do seu jeito leve, mas também de notar que apesar da sujidade das manchas, não interferem. Da minha parte, prefiro culpar Alzheimer, o alemão, que algumas noites fica vagando nos salões da alma misturando tudo.

E ele, o alemão, no seu requintado robe de chambre, é um tipo ardiloso que não alerta a memória. Nas velhas edições, os autores faziam constar um colofão, ali, no verso da última página, alertando contra os erros inevitáveis. Se a palavra, às vezes, corre mais depressa do que os dedos, nem sempre é impecável na corrida. Pior são os erros de propriedade, quando o cronista não encontra a palavra certa para o sentido desejado, e só vai notar no dia seguinte.

Por certo, escrever não é um ofício tão fácil, mas é menos difícil do que escrever bem, certo? Entre escrever certo e escrever bem há um abismo. O escrevinhador de jornais, e é bem o caso deste cronista, imagina que sendo apenas escrevinhador conta com a boa indulgência dos leitores. Parece justo. O jornalista não sofre quando escreve, ao contrário dos escritores que reclamam do martírio na trilha da perfeição de estilo, o que não aflige a nós, jornalistas.

Dirá alguém exigente no manejo do léxico que tudo isto explica, mas não justifica. Também é verdade. O leitor não merece ser vítima dos impropérios que fogem dos dedos e ganham o mundo. Feito em redação de jornal e afeito a usar a palavra como quem faz pão sem cuidar de dosar bem o fermento, escrever é sempre a tentativa de vencer o abismo e saltar no vazio. Como um trapezista enlouquecido que voa no salto mortal sem antes colocar a rede.

Pode ser que tenhamos ‘errinhos’, mas certamente também ‘errões’. É como se fizesse parte da vida esse pobre destino de ser mal acabado, equilibrando-se entre os erros de grafia e redação. Não tenho medo dos erros. Durmo com eles e sei que amanhã será o mesmo dia e não outro. Não remeto para o dia seguinte, num jogo de escapismo ou de fuga, o que sei que virá de novo. Noutras palavras, noutras frases, às vezes até no desvão de um nome próprio.

Assim tem sido. E será. Não tenho títulos para temer feri-los ou manchá-los. Por mim, ainda que não mereça o perdão de todos, não prometo o que a sisudez chamava antigamente de um estilo escorreito. Sou preso às regras da concisão e da clareza, protocolos dos antigos manuais que foram modelando esse jeito de registrar as coisas do mundo. Gosto das palavras. Não viveria sem elas. Mas, sei que são sedutoras e fugidias nas mãos de um escrevinhador.

NOME - Anotem esse nome: Gilton Sampaio, professor-doutor da UERN e atual presidente da Fundação Estadual Pesquisa, Fapern. Pode ser a estrela do PT em Pau dos Ferros este ano.

SÉCULO - O professor e escritor Humberto Hermenegildo trabalha numa edição crítica do “Livro de Poemas” de Jorge Fernandes para os cem anos da Semana de Arte Moderna, 1922.

LAGOAS - A defesa civil da Prefeitura precisa fazer a revisão rigorosa em algumas lagoas de captação de Natal. Em inverno rigoroso basta uma falha no bombeamento para o transbordo.

AVISO - Os técnicos da Prefeitura de Natal vão discutir o projeto de engorda e urbanização de Ponta Negra com a comunidade do bairro. Vai ser dia 29 de janeiro, segundo a sua agenda.

CORAGEM - A cantora Gretchen confirma o fim do casamento com o empresário português Carlos Marques. Segundo as redes sociais, é seu 17º casamento que chega ao fim. E haja luta!

BRILHO - Na edição de ‘Veja’ que está nas bancas o convidado da ‘Página Pessoal’ é nosso Ítalo Ferreira, o campeão mundial de Surf. O esporte nos tira, assim, desse anonimato feroz.

FESTA - Este 2020 é ano bissexto e por isso tem aniversário do conselheiro Haroldo Bezerra que nasceu dia 29 de fevereiro, data que só aparece no calendário de quatro em quatro anos.

ENGASGO - Até agora não há data para a retomada das obras de asfaltamento da Hermes da Fonseca/Salgado Filho. O prefeito Álvaro Dias é médico, só ele acabará com esse engasgo.

GERALDO - O documentário sobre a trajetória política do ex-governador Geraldo Melo em fase de gravação. Duração de quarenta minutos. Depoimentos de irmãos, amigos e políticos de sua atuação. O homem, o jornalista, o planejador, o governador e o senador da República.

AGENDA - Será em fevereiro, depois do carnaval, a sessão solene de homenagem póstuma ao advogado Eider Furtado que ocupava a Cadeira 16 da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. Já no dia 24 de abril, toma posse na ANL o juiz Ivan Lira de Carvalho na Cadeira 34.

ESTILO - O ex-deputado Rogério Marinho fez, nas redes sociais, duras críticas ao presidente francês, Emmanuel Macron, por ter recuado na reforma da previdência. Deve ter sido, quem sabe, o resultado de não ter contatado Marinho. E o povo francês deveria agradecer a Deus.






Deixe seu comentário!

Comentários