Escolas ficam fechadas ou com turnos reduzidos

Publicação: 2011-03-23 00:00:00 | Comentários: 6
A+ A-
O primeiro dia após o fim da greve dos professores da rede municipal de Natal foi igual aos dias de paralisação para centenas de estudantes, ou seja, sem aulas. A reportagem da TRIBUNA DO NORTE percorreu na manhã de ontem cinco unidades de ensino do Município, das quais duas estão funcionando em horário reduzido, devido à falta de merenda, e as outras três sequer iniciaram as aulas, por problemas de infraestrutura e carência de pessoal.

É o caso do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Fátima Medeiros, em Nova Natal. A equipe de educadores sequer entrou em greve, mas até ontem não havia condições de iniciar as aulas. As pias de várias salas estão danificadas, sem as cubas, faltando torneiras e algumas caíram no chão, pondo em risco a segurança das crianças. Ao lado do pátio, uma cisterna é fechada com uma tampa removível e um professor tem de ficar ao lado da estrutura o tempo inteiro, para evitar acidentes. De acordo com os servidores, falta ainda material pedagógico, de limpeza e a merenda repassada foi insuficiente. O portão de entrada caiu, quase atingindo um funcionário, e agora está amarrado com cordas, sem qualquer garantia de que o problema não vá se repetir.

Enquanto não há previsão de retomadas das aulas, alunos como a pequena Karen Isabel, de 4 anos, aguardam pela chance de reiniciar os estudos. “A ‘bichinha’ está doida para estudar. Ela quer conhecer as crianças, brincar, ter aulas. Me disseram que iam começar hoje, mas pelo jeito nada. Por que será?”, questiona a avó da estudante, Maria de Fátima Campêlo.

No mesmo conjunto, o Cmei Maria Abigail também não iniciou as aulas. Ao invés de ficarem no portão da unidade, onde sequer há identificação do centro, os pais têm se concentrado nas ligações para a direção, em busca de informações. O telefone não para e a única notícia que os funcionários podiam repassar aos interessados, até a manhã de ontem, é de que algumas telhas foram deixadas no local, com vistas às obras.

No Maria Abigail será preciso mudar a cobertura de parte do prédio e ainda há problemas de infiltrações, mofo, banheiros com encanamento entupido, descargas e luminárias quebradas, além de goteiras nas salas e falta de materiais de ensino, higiene, limpeza e de expediente. Ainda assim, a direção acredita que os problemas possam ser sanados esta semana e as aulas retomadas o quanto antes.

O secretário Municipal de Educação, Walter Fonseca, afirmou que as obras “emergenciais” já estão sendo realizadas.

Foi autorizada uma ordem de serviço para a reforma de 28 CMEIs, cujo valor não foi especificado. As obras, executadas pela empresa AOS Construtora, serão iniciadas ainda esta semana em algumas unidades. A médio prazo, a reforma das escolas irá obedecer a vistorias técnicas. Para isso, a SME  abrirá licitação para contratação de empresa responsáveis por vistoria e obras.

Contratação

O Secretário destacou que a secretaria abrirá um processo seletivo para contratação temporária de professores, no intuito de suprir as carências.

“O Ministério Público já autorizou (a contratação temporária), mas por quatro meses no máximo, que é para concluirmos o semestre”, explicou.

Walter Fonseca declarou não ter ainda o número exato de vagas que serão abertas na seleção, porém o último levantamento divulgado apontava para a necessidade de 160 profissionais.

Dúvida - maior e mais novo Cmei ainda sem data para funcionar

Enquanto os futuros alunos do Cmei Arnaldo Arsênio de Azevedo passaram a manhã de ontem brincando de bola e de pipa pelas ruas do conjunto Leningrado, no bairro do Planalto, no prédio da unidade de ensino havia apenas dois cachorros da raça pitbull, fazendo a guarda do local. A “segurança canina” foi a solução encontrada pelo único vigia do estabelecimento, para impedir o roubo de estruturas do centro, mas virou motivo de preocupação das mães, com medo de que os filhos possam se aproximar do portão e serem mordidos. Este é o maior e mais novo Cmei da rede municipal, e ainda não tem data para entrar em funcionamento.

Falta de merenda reduz horário nas escolas de Natal

Na Escola Municipal Iapissara Aguiar, no conjunto Panatis, os alunos do turno matutino foram liberados ontem às 10h da manhã. De acordo com a direção, a medida teve de ser tomada diante da falta de merenda para os estudantes. Por conta do mesmo problema, o turno vespertino também funcionaria de maneira improvisada, somente até 16h.

A diretora, Aldeíze Pereira, confirmou que uma das salas, a de número 7, continua sem condições de receber os alunos, já que apresenta infiltrações e a rede elétrica está danificada, o que provoca alagamentos em dias de chuva e até a possibilidade de os alunos sofrerem choques nas paredes. As turmas estão sendo distribuídas nas outras salas. Representantes da Secretaria de Educação já teriam ido ao local, porém até a manhã de ontem a equipe de engenheiros não havia visitado o Iapissara.

No conjunto Nova Natal, o expediente da Escola Municipal Professor Amadeu Araújo foi ainda mais curto. Os alunos da manhã foram liberados às 9h e os da tarde ficariam apenas até as 15h30. “Isso é horrível para nós que somos donas de casa e temos muitas tarefas para fazer. Só dá tempo para deixar nossos filhos aqui e já temos de voltar para pegar”, critica Fátima Regina de Oliveira.

A diretora, Maria Rosilandy Feitosa, e a vice-diretora, Celina Amorim, confirmaram que a expectativa é de os recursos para a aquisição da merenda chegarem à escola nesta quarta-feira, o que possibilitaria a normalização dos horários a partir de amanhã. Porém, mesmo resolvida a carência de alimentos, o turno vespertino ainda sofre com a falta de professores. 

Um levantamento realizado pela direção, e que seria entregue ainda ontem à SME, apontava para a falta de 13 docentes ao todo, incluindo três de Matemática, dois de Português, dois de História, dois de Artes, dois de Ciências, um de Geografia e um de Inglês. Em ambas as escolas, mesmo com a falta de merenda os turnos noturnos estão funcionando normalmente, por se tratarem de alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários

  • paineto

    MUITO BEM BORBOLETA INCOMPETENTE E MENTIROSA. Faz propaganda enganosa na TV mentindo para a sociedade sobre a greve dos professores, e agora que a greve acabou a sociedade natalense está vendo a REALIDADE DOS FATOS: As escolas deterioradas, carteiras quebradas, paredes que dão choque nos alunos, falta de material, falta de professores...ENFIM UMA PORCARIA DE EDUCAÇÃO PÚBLICA.

  • manesmann

    Como vão contratar professores temporários se há professores de educação infantil do ultimo concurso esperando para serem chamados?

  • cantina_real

    micarla vc é uma vergonha como prefeita, entenda isso de uma vez por todas, peça pra que todas as mães matriculem seus filhos em escolas particulares e paga para as escola faz igual vc fez as ame\'s de natal uma espécie de empresa que cuida da educação pensa em alguma coisa enquanto a cidade não afunda na tua gestão seja humilde pede pra sair da prefeitura socorro!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • romeicagondim

    Respondendo a dona Maria de Fátima Campêlo. Dona Maria, sabe pq as aulas aind anão começaram? Pq a nossa prefeita é uma mentirosa e incompetente. E o Ministério Público é conivente com as arbitrariedades dela. Micarla diz que está tudo bem, pra mascarar a realidade, mas esquece que as pessoas que estão sendo prejudicadas sentem na pele, independente do papo bonito dela. As escolas estão sucateadas, sem verba, sem professores ( pq a bonita não pagou os contratados, e eles se recusam a trabalhar de graça, pois não confiam mais na palavra desta mulher). E o Ministério Público, que deveria tomar as providências, se faz de cego pra melhor passar, mas é tão culpado quanto ela pelas condições estarem assim. Por irresponsabilidade da prefeita e negligência do MP, crianças, como a netinha de dona Maria, estão sem aula por tempo indeterminado.

  • clebersergio1

    PV, Partido da Vergonha, esse é o significado, ainda dizem que o culpado é a gestão anterior, Micarla pede pra sair!!!!!!!!!

  • rafael_andrade99

    O senhor secretario poderia efetivar os educadores infantis aprovados no ultimo concurso, ao inves de contratar professores temporarios, pois isso não resolve o problema. Chega de medidas paleativas, enquanto isso quem sofre a a população que necessita dos serviços basicos do municipio.