Escolas terão empreendedorismo como componente curricular

Publicação: 2019-11-09 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Com o objetivo de estimular o interesse pelo empreendedorismo entre os estudantes do ensino médio, a Secretaria de Estado da Educação, da Cultura desenvolverá, em todas as escolas de ensino médio profissionalizante da rede estadual, a aplicação do componente curricular de Empreendedorismo. A disciplina será realizada por meio de uma parceria com o programa Despertar, iniciativa Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-RN), e contemplará estudantes da 1ª e 2ª séries do ensino médio.

Alunos do Centro Estadual de Educação Profissional Lourdinha Guerra, em Parnamirim (RN)
Alunos do Centro Estadual de Educação Profissional Lourdinha Guerra, em Parnamirim (RN)

Prevista para ser ofertada a partir do quarto bimestre escolar, que se inicia no mês de outubro, em 63 escolas de ensino médio no Estado que trabalham a educação profissional, a disciplina Empreendedorismo será realizada por meio de uma metodologia que estimule nos estudantes uma visão empreendedora do mercado de trabalho, para que eles possam identificar suas potencialidades, bem como contribuir com o seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Além disso, esse componente curricular abordará conteúdos que antes eram restritos somente aqueles que participavam do programa Despertar, desenvolvido pelo Sebrae em parceria com as Secretarias Estaduais de Educação e cujo objetivo é estimular a cultura do empreendedorismo entre os alunos do ensino médio. “Queremos dar aos nossos jovens oportunidades para que eles possam construir seu futuro. Trabalhar com o empreendedorismo na escola permite aos estudantes terem noções básicas sobre o mercado, vivenciando, entre outras coisas, o trabalho em equipe e princípios de liderança”, explica Getúlio Marques, secretário de Educação do RN.

Para o assessor pedagógico da Suep, Frederico Affonso, a iniciativa trata-se também de uma ação inclusiva, pois, possibilita aos estudantes da rede pública de ensino, acesso a conteúdos formadores, fundamentais à educação empreendedora. “Nós esperamos que essas escolas de educação profissional tenham uma prática mais significativa, e com essa assessoria do Sebrae a buscamos otimizar o tempo e a qualidade dessas aulas que são ofertadas para os alunos da rede pública”, destaca o assessor.

Aplicação
A aplicação da disciplina será realizada por meio de 22 encontros presenciais, divididos em 44 horas em sala de aula e 16 horas para atividades de campo. Como encerramento do componente curricular, será realizada uma Feira de Empreendedorismo, na qual os alunos apresentarão propostas de projetos inovadores desenvolvidas ao longo das aulas.

Antes da implantação da disciplina, no entanto, os professores de ensino profissionalizante das escolas estão passando por uma fase de formação, na qual os conteúdos do programa Despertar são apreendidos, para que sejam abordados em sala de aula. Essa capacitação divide-se em dois momentos, sendo o primeiro online por meio de uma plataforma do Sebrae, e o segundo presencialmente, na sede do Sebrae de cada região.

Após essa formação, prevista para ser finalizada no mês de setembro, a disciplina começa a ser implantada como componente obrigatório. A mediação a nível regional para formação dos professores é realizada pelas Diretorias Regionais de Educação e Cultura, unidades gestoras da SEEC, de cada região.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários