Espanhol encontrado morto em apartamento teria deixado casa de pôquer com R$ 2 mil

Publicação: 2013-02-24 08:55:00 | Comentários: 2
A+ A-
O empresário espanhol Francisco Angel Moreno Matellano, de 61 anos, encontrado morto na manhã de ontem em seu apartamento em Ponta Negra, teria deixado uma conhecida casa de pôquer em Natal com R$ 2 mil, por volta das 4h de sexta-feira, em seu veículo, segundo o proprietário do estabelecimento.

Matellano, segundo a mulher dele, Eliane Caetano Pereira, em depoimento à Polícia Civil, era um frequentador bastante assíduo de casas de pôquer. O espanhol, segundo ela, já tinha perdido dois apartamentos no Brasil e muito dinheiro. Ainda assim tinha muitas dívidas de jogo.

Eliane, que mora no mesmo condominio, mas em outro apartamento, teria ido até o apartamento do espanhol horas depois e sem obter respostas, teria caminhado até a janela e avistado sangue. Ela teria chamado um vizinho, que estava passando uma temporada no condomínio, e pedido para ele arrombar a porta. O empresário, que era dono do Edifício Residencial Porto Novo, foi encontrado morto no banheiro com um grande corte na garganta, na cabeça e nas mãos, o que segundo a perícia, indicaria sinais de defesa.

Marcas de sangue também foram encontradas nos puxadores das gavetas, armários e no colchão, o que segundo a perícia, indica que o suspeito do crime estava procurando algo. O dinheiro que Matellano levava da casa de pôquer não foi encontrado nem no seu corpo nem no local do crime.

A Polícia Civil ainda não tem pistas dos suspeitos, mas usará as informações do celular da vítima como ponto de partida. Pegadas também foram encontradas nas marcas de sangue e serão analisadas. O caso será investigado pela 15ª Delegacia.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários

  • simonrn

    esses estrangeiros que vem pra natal o fazem para consumir drogas, procurar prostitutas ou lavar dinheiro oriundo de atividades ilegais. É esse o turista que atraímos e ainda achamos bom.

  • sidneylettieri

    Não obstante a reportagem em tela vejo a necessidade de maior fiscalização da permanência de estrangeiros no RN, seja temporário ou permanente. Eu mesmo já tive que me aproximar de um deles, restaurante em Ponta Negra, e perguntar: '' os senhores estão no meu País ' e respeitem as minhas amigas" um respondeu: '' tenho visto eterno no Brasil " e respondi: continua em solo brasileiro e há regras a cumprir se não pode ser revogada"