Viver
Espetáculo de grupo potiguar vence 31º Prêmio Shell de Teatro como melhor dramaturgia
Publicado: 13:05:00 - 13/03/2019 Atualizado: 13:08:48 - 13/03/2019
O espetáculo “A Invenção do Nordeste”, do grupo potiguar Carmin  vence mais um prêmio de alcance nacional. O texto de autoria de Henrique Fontes e Pablo Capistrano conquistou o 31º Prêmio Shell de Teatro na categoria Dramaturgia. O espetáculo também foi recentemente vencedor do Cesgranrio de Teatro, como melhor espetáculo de 2018. A peça aborda o estereótipo do ”nordestino”.

José Teles Fagundes
O espetáculo “A Invenção do Nordeste”, do grupo potiguar Carmin  vence mais um prêmio de alcance nacional. O texto de autoria de Henrique Fontes e Pablo Capistrano conquistou o 31º Prêmio Shell de Teatro na categoria Dramaturgia.

O espetáculo “A Invenção do Nordeste”, do grupo potiguar Carmin vence mais um prêmio de alcance nacional. O texto de autoria de Henrique Fontes e Pablo Capistrano conquistou o 31º Prêmio Shell de Teatro na categoria Dramaturgia.



A cerimônia de premiação aconteceu na noite dessa terça-feira (12), no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro.
A noite foi de homenagem ao diretor Aderbal Freire-Filho, vencedor do Prêmio Shell de melhor direção em 2013 por “Incêndios”. O artista recebeu um troféu especial por seu “espírito livre, inovador e combativo sempre em prol do teatro brasileiro”. Os vencedores foram definidos pelo júri Ana Achcar, Ana Luisa Lima, Bia Junqueira, Moacir Chaves e Patrick Pessoa.

“A Invenção do Nordeste” é uma obra de auto-ficção baseada no livro homônimo do Dr. Durval Muniz de Albuquerque Jr. (“A invenção do Nordeste e outras histórias”), dirigida por Quitéria Kelly, com dramaturgia de Henrique Fontes e Pablo Capistrano. Henrique Fontes também protagoniza o espetáculo, ao lado de  Mateus Cardoso e Robson Medeiros.

A história é contada através de um diretor contratado por uma grande produtora para realizar a missão de selecionar um ator nordestino que possa interpretar com maestria um personagem nordestino. Depois de vários testes e entrevistas, dois atores vão para a final e o diretor tem sete semanas para deixá-los prontos para o último teste. Durante as 7 semanas de preparação, os atores refletem sobre sua identidade, cultura, história pessoal e descobrem que ser e viver um personagem nordestino não é tarefa simples.


Confira a lista completa de vencedores:

AUTORIA – Henrique Fontes e Pablo Capistrano por “A Invenção do Nordeste”

DIREÇÃO – André Lemos por “Esperança na Revolta”

ATOR – Otto Jr. por “Tebas Land”

ATRIZ – Nena Inoue por “Para não morrer”

CENÁRIO – Doris Rolemberg por “A Última Aventura É a Morte”

FIGURINO – Ney Madeira e Dani Vidal por “Bibi – Uma Vida em Musical”

ILUMINAÇÃO – Elisa Tandeta por “Um Tartufo”

MÚSICA – Pedro Luiz, Larissa Luz e Antônia Adnet por “Elza”

INOVAÇÃO – Coletivo 2ª Black por criar um espaço de encontro, pesquisa, troca de saberes e apresentações de experiências cênicas de artistas negros.






Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte