Informe Publicitário
Estado investe R$ 22,5 milhões para convivência com a seca
Publicado: 00:00:00 - 31/10/2021 Atualizado: 10:02:46 - 30/10/2021
O Governo do Estado anunciou o lançamento do Plano de Mitigação dos Efeitos da Estiagem no Rio Grande do Norte, que terá um investimento inicial de R$ 22,5 milhões nos próximos três meses com ações emergenciais e estruturantes, como perfuração de poços no interior do Estado e facilitação no acesso ao crédito para produtores rurais potiguares.
Ascom
Ampliar o acesso a água é uma das prioridades do Plano de Convivência com a Seca. Além de poços, cisternas são instaladas nas comunidades rurais mais afetadas pela estiagem

Ampliar o acesso a água é uma das prioridades do Plano de Convivência com a Seca. Além de poços, cisternas são instaladas nas comunidades rurais mais afetadas pela estiagem

Entre as ações emergenciais estão o reforço no Programa RN + Água com instalação de 400 poços tubulares já perfurados em todo o RN, e outros 400 novos poços (120 pela  Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar), priorizando as regiões mais afetadas pela estiagem, no valor de R$ 9,4 milhões. Há ainda a liberação de crédito específico à aquisição de ração para os rebanhos bovino, caprino e ovino, através da Agência de Fomento do RN (AGN) no montante de R$ 9 milhões, e o pagamento do seguro agrícola Garantia Safra 2020/2021, no valor de R$ 3 milhões.

As ações estruturantes são a ampliação da área irrigada para produção de palma e feno pela Emparn, com distribuição de 9 mil fardos de feno e de 600 mil raquetes de palma, investimento de R$ 500 mil. A implantação, em parceria com prefeituras, do projeto Pecuária Sustentável, de 30 campos de multiplicação de palma e implantação de 24 sistemas de reuso de águas para irrigação de palma e forrageiras com investimento de R$ 600 mil.

O plano foi elaborado pelo Comitê Estadual de Convivência com o Semiárido do Rio Grande do Norte e inverte a perspectiva de “combate à seca”, e se volta para a “convivência com o semiárido” rico e diversificado nas suas dimensões ambiental, sociocultural e econômica.

“As consequências são graves. Estamos lançando ações não para combater a seca, que sempre vai existir no semiárido. Estamos lançando medidas para a convivência e para garantir a vida das pessoas e dos rebanhos. E são medidas decididas a várias mãos, ouvindo os representantes legítimos do trabalhador do campo e dos grandes e médios produtores", registrou Fátima Bezerra.

"O governo da professora Fátima Bezerra toma iniciativa para minimizar efeitos da estiagem. O Plano pode parecer pequeno diante de tantas necessidades, mas é gigante diante das condições financeira e fiscal do Estado, e certamente, vai contribuir para muitos agricultores e agricultoras superarem este momento difícil mantendo o plantel e sua fonte de renda", afirmou o vice-governador Antenor Roberto.

O secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sape), Guilherme Saldanha, avalia que o Plano é uma “ação de Governo importante e com medidas desburocratizadas e ágeis. "É urgente a aplicação do R$ 9 milhões financiados pela AGN para compra de ração, garantir a sobrevivência humana e dos animais", disse. A previsão é  de que o acesso ao crédito esteja liberado na primeira quinzena de novembro, segundo ele.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte