Estadual

Publicação: 2021-02-23 00:00:00
Vicente Estevam (interino) - jrvicente@tribunadonorte.com.br

Vira e mexe alguém fala que o Campeonato Estadual é isso, é aquilo, etc. Também, vez por outra, a afirmação é de que o nível técnico é muito baixo. Ora, é óbvio que a questão econômica e a falta de uma política de renovação de talentos locais que tenham oportunidades reais nos times é uma das partes dessa equação. Então, sabemos que essa situação de nível de atletas não será resolvido neste momento. Mas, nada de sentar e chorar. A hora é de pensar em iniciar projetos vencedores e buscar fazer o melhor na nossa principal competição local. Além do mais, se falta um pouco, ou muito, de técnica, o que está em disputa vale muito para os clubes, principalmente ABC e América, que precisam se manter em atividade com um bom calendário em 2022. E, tudo começa no Estadual. Não se enganem. Pode haver sim emoção, com pouca técnica. O interesse das torcidas também está na luta contra o principal rival. Conquistar o título renova o ego e mantém as paixões. Ou seja, além do calendário, ser campeão estadual também aquece o coração.

Gramado
A assessoria da Arena das Dunas revela que o gramado da praça esportiva recebeu um tratamento especial para o início da temporada de futebol no Rio Grande do Norte. A partida entre América e Força e Luz abre oficialmente a temporada no próximo dia 25 de fevereiro, quinta-feira, às 15h. Ainda em fevereiro, no domingo, dia 28, será a vez de América x Santa Cruz, às 16h. A expectativa é para que a Arena das Dunas receba pelo menos 10 jogos na primeira fase do 1º turno do Campeonato Estadual - Copa Cidade do Natal. América, Santa Cruz e Força e Luz inscreveram a Arena das Dunas como mando de campo. Segundo a Arena, estão mantidos os protocolos de segurança e sanitário definidos pelas autoridades públicas no combate à pandemia do coronavírus. A direção do local informou que ainda não tem data para abertura das arquibancadas para o torcedor. Apenas a imprensa e quem vai trabalhar nos jogos têm acesso à arena.

Vôlei
O Rio Grande do Norte é destaque no Canal Vôlei da CBV, apesar da campanha complicada do Unimed/Aero. No próximo sábado, Pela Superliga B masculina, às 19h, na tela do Canal Vôlei Brasil: Anápolis Vôlei (GO) x Brasília Vôlei/Upis (DF) e Unimed/Aero (RN) x SMEL Araucária/ASPMA/Berneck (PR). Mas o esporte já tem atrações hoje na telinha. Nesta  terça-feira (23.02), serão mais cinco jogos da Superliga Banco do Brasil feminina. O SporTV 2 transmite Sesc RJ Flamengo (RJ) x Itambé/Minas (MG), às 19h, e Dentil/Praia Clube (MG) x Sesi Vôlei Bauru (SP), às 21h30. Às 20h, três partidas estarão o Canal Vôlei Brasi: São José dos Pinhais/Aiel (PR) x Curitiba Vôlei (PR), Pinheiros (SP) x Fluminense (RJ) e São Caetano (SP) x São Paulo/Barueri (SP).

Feminino
O América conquistou o título estadual no feminino. Jogando ontem (22), na Arena das Dunas, o Alvirrubro venceu o União por 4 a 3 na disputa de penalidades. Segundo colocado da fase de grupo, o time americano só contabilizou uma derrota, conquistou seis pontos em uma campanha com duas vitórias. Marcou 15 gols e só sofreu um, justamente contra no jogo contra o União, resultando em um aproveitamento de 66,7%. Com o título, o time americano vai representar o Rio Grande do Norte na Série A2 do Brasileirão.

Justiça
A Justiça do Trabalho de Minas Gerais concedeu, nesta segunda-feira, uma liminar a favor do zagueiro Dedé, que permite a rescisão do contrato do defensor com o Cruzeiro. O juiz Fábio Gonzaga de Carvalho, da 48ª Vara do Trabalho, acatou o pedido do jogador, que requereu o rompimento unilateral do vínculo - previsto para se encerrar em dezembro deste ano -, alegando atrasos no repasse Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Justiça 1
No início de janeiro, Dedé ingressou com uma ação na Justiça do Trabalho cobrando do Cruzeiro um valor superior a R$ 35 milhões, referentes ao não pagamento de verbas trabalhistas, além da rescisão do contrato. De acordo com a defesa do jogador, o Cruzeiro deve ao zagueiro seis meses de salário (R$ 450 mil por mês), 10 de direitos de imagem (R$ 300 mil por mês) e quatro de depósito de FGTS. Além disso, segundo o zagueiro, há outras pendências referentes a 2019.

Bronca
No entanto, o primeiro pedido de liminar para a interrupção do vínculo, ajuizado no dia 4 de janeiro, foi indeferido pela Justiça. Na decisão, o desembargador do trabalho Paulo Maurício Ribeiro Pires lamentou a argumentação de Dedé, que na ação trabalhista disse que estava em uma situação semelhante à de escravo. "Sob outra ótica, lamenta-se a afirmação inicial de que o impetrante, cuja remuneração aduz corresponder a R$ 750.000,00 (e que ao menos parcialmente foi incontroversamente paga ao longo dos anos), esteja sendo submetido a permanecer como um 'escravo'. Lastimável comparação, notadamente em se considerando o crítico momento sócio-econômico por que passa a esmagadora maioria da população brasileira, em razão das consequências da pandemia que vem assolando o mundo, correspondente à disseminação da COVID-19 - muitos almejando meramente obter um emprego em que receba o salário mínimo, no ano corrente reajustado para o montante de R$1.100,00", afirmou o magistrado.










Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.