Estudantes fazem protesto contra cortes de verbas da educação em Natal

Publicação: 2019-08-13 16:20:00 | Comentários: 0
A+ A-
Estudantes se reuniram reunidos na avenida Senador Salgado Filho em um protesto contra o contingenciamento de verbas da educação. A concentração do ato começou por volta das 15h, nas proximidades do campus central do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), no Tirol e o grupo seguiu em caminhada até a Árvore de Mirassol, onde se dispersou por volta das 18h30.
Estudantes carregam cartazes com palavras de ordem contra os cortes na educação
Estudantes carregam cartazes com palavras de ordem contra os cortes na educação

A manifestação foi convocada nacionalmente e também aconteceu em outras capitais. Na pauta dos protestos estão a valorização da educação pública e contra o contingenciamento de recursos de instituições federais de ensino, da liberação de agrotóxicos, votação da reforma da Previdência no Senado e o desmatamento da Amazônia.

Quatro viaturas e 14 motocicletas da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), mais apoio de pontos fixos, foram mobilizados para orientar o trânsito durante o protesto protagonizado por entidades estudantis, sindicatos e militantes de partido de esquerda. A Polícia Militar do RN também acompanhou a movimentação.

O protesto ocorreu de maneira pacífica e a Polícia Militar não registrou nenhum incidente. Batucada, palmas e gritos de guerra que criticam as atitudes do presidente Jair Bolsonaro dominam a manifestação. Apesar dos transtornos no trânsito muitos motoristas se solidarizaram com o protesto com acenos na buzina e punhos cerrados para fora da janela dos veículos.

A assistente social Margarete Pereira foi para a rua para defender a soberania nacional: "Defender a soberania passa pela preservação do nosso patrimônio ambiental, pela valorização cultural e científica. Só a educação torna uma sociedade soberana", sentenciou. "É uma luta ampla a favor dos trabalhadores, dos estudantes, da saúde pública de qualidade, da seguridade social; e contra as sandices desse governo Bolsonaro".

As universitárias Alana e Holda também participaram do Ato "contra o projeto Future-se e contra a intenção do ministro da educação em privatizar o ensino superior", criticaram.

A aposentada Iracema Saboia de Castro se integrou ao Ato público em defesa da educação pública, na tarde desta terça-feira em Natal, "para lutar junto com essa juventude que está na rua defendendo o futuro e contra os ataques a direitos básicos como saúde e educação".

Ela também acrescentou que está protestando pelo "direito de fazer cocô todo dia", uma crítica jocosa às recentes declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre estratégias de preservação do meio ambiente.

Outra pauta presente no ato desta tarde defende "o respeito aos povos indígenas. Estou de índio por reconhecer que, neste momento, eles são o contingente em maior perigo e se não nos manifestarmos eles estarão ainda mais vulneráveis", disse Osvaldo Oliveira, artista visual e publicitário.



Atualizada às 18h49



continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários