Europa confirma primeira morte por Coronavírus; é o primeiro caso fora da Ásia

Publicação: 2020-02-16 00:00:00
A+ A-
A ministra de Saúde da França, Agnes Buzyn, anunciou a primeira morte de uma pessoa com coronavírus na Europa. A ministra disse neste sábado (15) ter sido informada na noite passada da morte de um paciente de 80 anos que estava hospitalizado no país desde 25 de janeiro.

O paciente, um turista chinês da província de Hubei - a mais afetada na China -, tinha uma infecção no pulmão causada pelo coronavírus (Covid-19). Ele chegou à França em 16 de janeiro e foi hospitalizado em 25 de janeiro, no Hospital Bichat, na capital francesa, sob rigorosas medidas de isolamento. A sua condição deteriorou-se rapidamente. A filha do turista chinês também foi hospitalizada, mas autoridades disseram que a expectativa é de que ela se recupere. Esta morte é "a primeira [morte] fora da Ásia e a primeira na Europa", disse a ministra Agnes Buzyn durante uma conferência de imprensa.

China
A China anunciou neste sábado (15) a morte de 143 pessoas nas últimas 24 horas no país devido ao coronavírus Codiv-19, elevando para 1.523 o número de vítimas mortais da epidemia na China continental.

De acordo com a Comissão Nacional de Saúde, o número de infetados no interior da China (que exclui Macau e Hong Kong) cresceu de 2.641 para 66.492. No mesmo período em análise, 1.373 pessoas receberam alta hospitalar.

Por outro lado, só na província chinesa Hubei, epicentro do novo coronavírus, designado Covid-19, foram reportadas mais 139 mortos nas últimas 24 horas, elevando para 1.457 o número de pessoas mortas na província, segundo os dados da Comissão de Saúde de Hubei.

As autoridades chinesas isolaram várias cidades da província de Hubei, no centro do país, para tentar controlar a epidemia, medida que abrange cerca de 60 milhões de pessoas.
O coronavírus Covid-19 provocou até agora 1.527 mortos e infectou cerca de 65 mil pessoas em todo o mundo. A esmagadora maioria dos casos ocorreu na China, onde a epidemia foi detectada no final do ano.

Além de 1.523 mortos na China continental, registra um morto na região chinesa de Hong Kong, um nas Filipinas e um no Japão e, hoje, na França. No Brasil, o número de casos suspeitos investigados caiu para quatro, segundo o Ministério da Saúde.

Tóquio (AE) - Os Estados Unidos anunciaram que os norte-americanos a bordo de um navio de cruzeiro em quarentena serão levados de volta para casa em um voo fretado no domingo. Cerca de 380 norte-americanos estão a bordo do navio Diamond Princess, que está ancorado em Yokohama, cidade portuária a sudoeste de Tóquio. Até agora, 285 pessoas do navio tiveram teste positivo para o coronavírus, após 67 novos casos terem sido detectados no sábado.

A aeronave chegará ao Japão no domingo, e as pessoas serão transportadas para a base da Força Aérea de Travis, na Califórnia, com alguns passageiros seguindo para a base da Força Aérea de Lackland, no Texas, disse a embaixada dos EUA no Japão, em uma carta aos passageiros e à tripulação que foi postada online no sábado.

Depois de chegar nos EUA, todos precisarão passar por mais duas semanas de quarentena, segundo a carta. Os passageiros farão um check-up antes de serem autorizados a embarcar no voo fretado, e aqueles que apresentarem sintomas de doença não poderão embarcar no avião, disse a embaixada.

O Ministério da Saúde do Japão autorizou o desembarque de 11 passageiros na sexta-feira, dizendo que maiores de 80 anos ou com condições médicas subjacentes, bem como aqueles que estavam em cabines sem janelas durante a quarentena de 14 dias, podem ficar em uma instalação designada em terra. A quarentena no navio deve terminar na quarta-feira, o que significa que as pessoas poderão sair do barco se estiverem saudáveis. Separadamente, o governo japonês disse neste sábado que um voo fretado para trazer japoneses de Wuhan - a cidade chinesa no centro do surto do vírus - sai no domingo e volta na segunda-feira. Esse seria o quinto avião com essa finalidade destinado pelo Japão.




Deixe seu comentário!

Comentários