Evento esclarece sobre tratamento de doenças intestinais raras

Publicação: 2019-10-06 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A Associação Nacional de Pacientes de Doenças Inflamatórias Intestinais (DII Brasil) realiza em Natal, na próxima quarta-feira (10), o Encontro de Pessoas com Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa. A convite da entidade, as médicas Lívia Medeiros e Suelene Suassuna falarão, respectivamente, sobre o atendimento dessas doenças no Sistema Único de Saúde (SUS) e as indicações para a colocação da bolsa de ostomia. O evento tem entrada franca e tem início às 10h, no auditório Mariano Coelho, quarto subsolo do Hospital Universitário Onofre Lopes, localizado em Petrópolis.

O encontro integra o projeto Mutirão Norte-Nordeste, realizado pela DII Brasil. “Visitaremos todos os Estados do eixo Norte-Nordeste para conhecer de perto a realidade de cada um deles, levar informações aos pacientes e capacitação aos gestores”, afirma Patrícia Mendes, presidente na entidade. Durante o evento, Patrícia vai explicar a importância das associações de pacientes.

 As doenças inflamatórias intestinais acometem 13,25 pessoas a cada grupo de 100 mil habitantes no País, segundo estimativas da Sociedade Brasileira de Coloproctologia. Entre essas enfermidades, destacam-se a Doença de Crohn e a retocolite ulcerativa, que provocam diarreia, dor abdominal, urgência em evacuar, aumento na frequência dos movimentos intestinais e até sangramento retal. De caráter crônico, ambas são diagnosticadas por volta dos 30 anos, provocando hospitalizações recorrentes e a incapacitação para o trabalho, tendo grande impacto na qualidade de vida do paciente.

 As doenças inflamatórias intestinais, como Crohn e retocolite ulcerativa, afetam homens e mulheres indistintamente.  Até hoje, a origem dessas enfermidades não é totalmente conhecida. Ao lado da predisposição genética, o meio ambiente exerce um papel importante no desencadeamento dessas inflamações, que são mais comuns em moradores de grandes centros urbanos.

 A retocolite ulcerativa provoca inflamação e úlceras no revestimento do cólon ou no intestino grosso. Já a Doença de Crohn atinge todo o intestino. Em 30% dos pacientes ataca o intestino delgado (íleo) e, em 40%, a região ileocecal, que fica na transição entre os intestinos delgado e grosso.

Serviço


Encontro de Pessoas com Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa. Dia 10, às 10h, Auditório Mariano Coelho, do Hospital Universitário Onofre Lopes, localizado em Petrópolis. Participação da nutricionista Carla Monteiro e Gizelly Leonez, respectivamente presidente e vice-presidente da DII RN; e das médicas Lívia Medeiros e Suelene Suassuna.    

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários