Evidências do Descobrimento do Brasil no RN

Publicação: 2019-07-14 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Tânia Maria da F. Teixeira
Historiadora e sócia do IHGRN

Diante das evidências apresentadas por Cascudo e Lenine Pinto, surgiram pesquisadores aderindo à teoria de que a Esquadra Portuguesa comandada por Cabral não teria condições, nem tempo, de chegar ao Sul da Bahia sem passar na costa do potiguar.

Cascudo publica em 1944, Informações de Historia e Etnografia, onde trata da Intencionalidade no Descobrimento do Brasil, indagando sobre a corrente marítima que poderia ter desviado Cabral de sua rota às Índias.

Essa corrente é a Golf Stream, sentido Sul/Norte na costa da África, na altura do Golfo da Guiné. Faz a curva em direção ao Brasil, nas proximidades do Cabo de São Roque, se bifurca, ora segue para o Norte e contorna o continente Sul-americano, formando a Corrente das Guianas; ora desce até o limite de São Paulo e Paraná, onde completa sua curva até a Costa da África. Essa corrente foi a responsável pela navegação rumo ao Oriente.

Lenine Pinto em “Reinvenção do Descobrimento do Brasil”, 1998, evidencia que: Segundo a Carta de Caminha, o tempo gasto pela esquadra de Cabral na travessia entre o arquipélago de Cabo Verde até Porto Seguro, foi de 30 dias, de acordo com a Tabela de Lizard, utilizada hoje na navegação à vela. Com esse tempo, a esquadra só pode ter chegado à costa potiguar. Para chegar ao sul da Bahia seria necessário 45 dias.

Caminha se refere ao abastecimento de água em abundância, de boa qualidade e de fácil acesso. A costa de Touros é rica em lagoas e como era época de chuvas, a abundância e a qualidade era melhor. No Sul da Bahia o abastecimento seria em rios, onde a pressão do mar é muito grande e só se consegue água boa a 6 km. Evidencia-se a importância das aguadas, por estarem assinaladas em diversos mapas.

Lenine admite que o Pico do Cabugi seja o monte descrito por Caminha. Nesse quesito eu discordo. Hoje é possível avistar o Pico do Cabugi da nossa costa desmatada. Porém à época do descobrimento, com árvores de mais de 20 metros ver qualquer elevação seria impossível. Acredito que, na Costa de Touros podia ter uma elevação, hoje transformada num grande parque de duna, em razão do desmatamento e dos ventos fortes e constantes.

Mapa de Cantino, 1502, a mais antiga carta em que aparece o Brasil e a linha do Tratado de Tordesilhas, está assinalado em manuscrito "Cabo de São Jorge" (seu dia é 23/04) e tem uma bandeira com as quinas de Portugal, denotando lugar importante. Lenine pergunta se essa denominação não poderia ter sido dada por alguém que participou da frota de Cabral e que estava nessa data na costa do Brasil". Depois, o Cabo de São Jorge seria denominado de Cabo de São Roque pela 1ª Expedição Exploratória de 1501, que por ali passou em 17/08, (dia do referido santo). Essa expedição tinha a incumbência de nomear os acidentes geográficos.

O Marco de Touros é um Padrão de Posse, usado para assinalar a pertença daquelas terras a Portugal. Desde meados do século XV foram colocados diversos padrões na costa da África. Lenine indaga: "Como é que Cabral, com o encargo de estabelecer uma cabeça de ponte no Brasil, relaxaria a inclusão de padrões nos equipamentos da frota, um procedimento tão corriqueiro que até o usineiro Gabriel Soares o reconhece?". Nesse ponto não há dúvida, Portugal oficializou a posse do Brasil quando chantou o Padrão de Posse na Praia do Marco.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários