"Evitei cartão para poder jogar no estádio do Palmeiras", diz Gabriel Jesus

Publicação: 2017-10-06 09:15:00 | Comentários: 0
A+ A-
Os próximos dias serão marcantes para o atacante Gabriel Jesus. Titular da seleção brasileira aos 20 anos, o jogador do Manchester City viverá a emoção de treinar e jogar no estádio do Palmeiras, clube no qual começou a sua carreira. A oportunidade de retornar aos espaços do clube lhe deixou preocupado nesta quinta-feira, pois, se tomasse cartão contra a Bolívia, em La Paz, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, ele cumpriria suspensão e não poderia jogar.

O ex-palmeirense é uma das maiores revelações das categorias de base da equipe e pelo time profissional ganhou em 2015 a Copa do Brasil e no ano passado levou o Campeonato Brasileiro. O jogo com o Chile, na terça, pelas Eliminatórias, será no Allianz Parque e no domingo à tarde seleção brasileira irá treinar no CT do time alviverde. "Será especial voltar ao Palmeiras. É o lugar onde me tornei jogador de futebol, fiz muitos amigos e conquistei coisas importantes", disse.

Como já tem um cartão amarelo acumulado nas Eliminatórias, Gabriel Jesus ficou relembrando essa informação o tempo todo durante o empate sem gols com a Bolívia. "A felicidade é tanta de voltar ao Palmeiras que fiquei até com medo de levar cartão no jogo. Eu procurei evitar situações perigosas", disse o atacante, que tem quatro gols marcados na competição.

Antes de se apresentar à seleção, o jogador comentava com o companheiro de time no Manchester City, o volante Fernandinho, sobre a ansiedade de voltar ao Palmeiras. Neste ano Gabriel Jesus visitou o clube enquanto se recuperava de uma fratura no pé e foi ao Allianz Parque acompanhar a partida entre o time e o Atlético Tucumán, pela Copa Libertadores.

O encontro com o Chile, na terça, será em condições bem mais favoráveis do que as enfrentadas em La Paz. Foi a estreia de Gabriel Jesus na altitude. "É complicado jogar aqui. Eu cansei um pouco no fim. Você sofre uma falta, cai e quando levanta fica tonto. Até mesmo o time deles sentia a altitude", comentou.

Estadão Conteúdo

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários