Exames iniciais descartam caso de coronavirus no RN

Publicação: 2020-02-14 00:00:00
A+ A-
Ícaro Carvalho
Repórter

O primeiro caso investigado para aferir a suspeita de coronavírus no Rio Grande do Norte está praticamente descartado. A TRIBUNA DO NORTE confirmou que o paciente é um jovem de 25 anos, modelo, que deu entrada no Hospital Giselda Trigueiro, em Natal, alegando estar com sintomas da doença. Ele está isolado e recebeu visita de familiares na manhã desta quinta-feira (13) e deve ter alta nos próximos dias.

Créditos: Magnus NascimentoPaciente chegou ao Hospital Giselda Trigueiro sem encaminhamento de unidade de sua cidadePaciente chegou ao Hospital Giselda Trigueiro sem encaminhamento de unidade de sua cidade


De acordo com informações do diretor da unidade, o infectologista André Prudente, o homem, natural de Baía Formosa,  afirmou que teve contato com chineses no último dia 20 de janeiro, em um hotel na praia de Pipa, em Tibau do Sul, na Grande Natal. Os exames iniciais, de urina, sangue e respiratórios, descartam a hipótese do vírus oriundo da China.

“Ele está muito bem, praticamente descartado o caso, deve ser outra doença respiratória comum. Vínculo epidemiológico muito fraco, colhemos exames e vamos aguardar. Mas não há motivo de pânico porque provavelmente não é um caso de coronavírus”, afirmou à TRIBUNA DO NORTE.

"Não há evidências que ele tenha realmente a doença. Obviamente que o exame define, demora um pouco a ficar pronto, que está sendo feito na Fio Cruz, no Rio de Janeiro. Esses exames chegam em cinco dias. Epidemiologicamente ele não tem critérios para a doença", acrescentou.

Ainda de acordo com o diretor André Prudente, o homem alegou ter leucemia e procurou um hematologista nesta quarta-feira para falar dos sintomas, sendo encaminhado para o Giselda Trigueiro.

“O tempo que ele relata ter se encontrado com os chineses, já é um tempo meio fora do período de transmissão. O próprio quadro clínico dele, não teve alterações típicas da doença. 99% de chance de ser descartada. Obviamente que tem que ser investigado, como tem o relato de contato com os chineses, possivelmente doentes, porque não conseguimos encontrá-los, mas clinicamente está descartado", disse.

Atualmente, ele está numa ala isolada da unidade, preparada especificamente para casos da doença. O RN foi o primeiro Estado do Brasil a ter um protocolo oficial por parte das autoridades em Saúde para o coronavírus.

“Quando surgiram os casos na China, que a OMS lançou o alerta de risco de pandemia, o RN começou a se precaver e já montou uma estrutura para possíveis chegada de casos”, completa André Prudente.

Uma coletiva de imprensa está marcada, nesta sexta-feira, às 8h30, na Escola de Governo, para apresentar todas as informações apuradas sobre o caso do paciente.

Redes sociais
Na tarde desta quinta-feira, relatos e boatos em redes sociais começaram a circular levantando a possibilidade de que o paciente tenha inventado que estivesse com os sintomas. Uma das fontes ouvidas pela TRIBUNA DO NORTE afirmou que há a possibilidade de que o paciente tenha mentido sobre os sintomas e possibilidade de ter sido acometido pelo coronavírus. O relato de situações inconsistentes sobre o possível encontro com os chineses em dois hotéis diferentes, aliado aos resultados iniciais dos exames, fizeram com que os médicos praticamente descartassem o caso.

Créditos: DivulgaçãoAndré Prudente fala possibilidade de caso descartadoAndré Prudente fala possibilidade de caso descartado


O caso fez com que a prefeitura de Tibau do Sul emitisse uma nota para esclarecer o caso. Em comunicado oficial, a prefeitura disse que “é importante destacar que o paciente não é morador da cidade e não passou pelas Unidades Básicas de Saúde tampouco pela Unidade Mista de Saúde da cidade”.

“A Prefeitura também afirma que a equipe da Unidade Mista do Município está preparada e treinada para o acolhimento de pacientes com os possíveis sintomas da doença. O setor de epidemiologia de Tibau do Sul já está realizando o levantamento dos locais onde o paciente passou e com quem teve contato. É importante destacar que não basta apenas apresentar os sintomas, já que são parecidos com o da Influenza, é preciso fazer um percurso epidemiológico do paciente para saber se ele teve contato ou não com chineses ou outras pessoas que viajaram até aquele país”, completou o comunicado.

Brasil registra seis casos suspeitos
O número de casos suspeitos de coronavirus caiu no Brasil. Segundo o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde (MS), o número caiu de 11 para seis no País.

Os casos suspeitos estão concentrados nas regiões Sudeste e Sul, com três investigações em São Paulo, uma no Paraná e duas no Rio Grande do Sul. Até agora, 40 casos já foram descartados em todo o Brasil, que permanece sem registro da doença.

Todas as notificações foram recebidas, avaliadas e discutidas com especialistas do Ministério da Saúde, caso a caso, junto com as autoridades de saúde dos estados e municípios. Esses descartes aconteceram principalmente por causa do resultado positivo para outros vírus respiratórios.

Para manter a população informada a respeito do novo coronavírus, o Ministério da Saúde atualiza diariamente, os dados na Plataforma IVIS, com números de casos descartados e suspeitos, além das definições desses casos e eventuais mudanças que ocorrerem em relação a situação epidemiológica.

Veja como se dá a transmissão do vírus

Como o novo coronavírus é transmitido?
As investigações sobre transmissão do novo coronavírus ainda estão em andamento, mas a disseminação de pessoa para pessoa está ocorrendo.

Alguns vírus são altamente contagiosos (como sarampo), enquanto outros são menos. Ainda não está claro com que facilidade o novo coronavírus se espalha de pessoa para pessoa.

Apesar disso, a transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

Gotículas de saliva;

Espirro;

Tosse;

Catarro;

Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;

Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Os coronavírus apresentam uma transmissão menos intensa que o vírus da gripe e, portanto, o risco de maior circulação mundial é menor.

O vírus pode ficar incubado por duas semanas, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

Como prevenir o novo coronavírus?
O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;

Realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;

Utilizar lenço descartável para higiene nasal;

Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;

Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

Manter os ambientes bem ventilados;

Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;

Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

Quais são os sintomas do novo coronavírus?
Os sinais e sintomas clínicos do novo coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias.

Os principais são sintomas são:
Febre.

Tosse.

Dificuldade para respirar.












Deixe seu comentário!

Comentários