Excentricidades sexuais são temas de romance

Publicação: 2017-04-18 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Distúrbios sexuais são bem mais comuns do que se imagina e podem causar enormes danos aos envolvidos. O tema vem à tona por meio do livro “O Sátiro e o Cordeiro”, romance de não ficção escrito pelo jovem jornalista potiguar Pedro Vale, de 25 anos. Na obra, o autor narra o drama real de duas pessoas cujos excêntricos hábitos sexuais se manifestam de maneiras praticamente opostas. O livro será lançado nesta terça-feira (18), às 18h, no Estúdio Proa (Petrópolis).
Livro é construído como uma reportagem literária
Publicado pela editora Jovens Escribas, dentro do selo Bons Costumes, “O Sátiro e o Cordeiro” reúne os perfis de Augusto, o sátiro, que lida com o vício em sexo e pornografia, e Maurício, o cordeiro, de dificuldade para se relacionar afetiva e sexualmente. Os dois têm mais de 30 anos e lidam com uma rotina instável por causa do problema.

Os dois perfis resultaram de quase seis horas de entrevistas presenciais, feitas entre os anos de 2014 e 2015, e que culminaram no Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Pedro em Jornalismo na UFRN. A ideia de abordar o tema surgiu em 2014, depois que o autor leu uma reportagem nesta TRIBUNA DO NORTE sobre o DASA (grupo de Dependentes de Amor e Sexo Anônimos) – espécie de Alcoólicos Anônimos para quem tem problemas com relacionamentos de uma forma geral.  Para a publicação em livro, o autor entrou novamente em contato com os personagens para relatar como estão vivendo hoje.

No livro, a pesquisa não é colocada de maneira direta. A narrativa é fluida, com descrições de cenas intercaladas pelos relatos dos entrevistados. “Testei escrever literatura”, afirma o autor, cujas referências transitam entre matérias da revista Piauí, o escritor Truman Capote, o gonzo jornalista Hunter S. Thompson (que não chega a ser uma influência direta) e Tom Wolfe (este sim influência direta para o livro). “Wolfe, em suas reportagens literárias entra na cabeça dos personagens, mas sem mentir. Ele está baseado nos fatos. No meu caso, eu estou totalmente atrelado ao relato dos entrevistados”.

Segundo o jornalista, o sátiro do título é uma analogia com o termo satirismo – compulsão sexual masculina, cujo correspondente feminino é ninfomaníaca. O cordeiro se refere a inocência e a traumática relação paterna que envolve o segundo caso, em que o personagem se sente inibido a se relacionar sexualmente.

“A compulsão sexual nos homens é visto muitas vezes como algo positivo, viril, aceito, mas esconde um problema real”, comenta o autor, que teve passagens pelos jornais TRIBUNA DO NORTE, Novo Jornal e revista Preá. “A inibição afetiva ou sexual é algo que tende aparecer mais na adolescência e chega na vida adulta, porque a pessoa não assume o problema, não compartilha, nem busca ajuda”.

Além do jornalismo, Pedro Vale é envolvido com a ficção. Ele é um dos cabeças do Selo Miopia. O projeto tem lançado alguns jovens escritores no formato zine, inclusive o próprio autor, que já publicou os zines de contos “Pequeno Livro da Musa Invisível” e “O Frio”. O Miopia está com um edital para publicação de zines. A ideia é selecionar entre 3 e 5 projetos, com previsão de lançamentos para o segundo semestre deste ano. O tema é livre e as inscrições podem ser feitas até o dia 1º de maio.

Serviço

Lançamento do livro “O Sátiro e o Cordeiro”, de Pedro Vale
Dia 18 de abril, às 18h
Estúdio Proa (Rua Mipibu, 518, Petrópolis)
Preço: R$ 35.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários