Executivo admite complementação da folha salarial

Publicação: 2013-07-26 00:00:00
O Governo do Estado admitiu ontem que o decreto publicado visa remanejar recursos para cobrir déficit de pessoal. “Os R$ 50 milhões serão retirados das dotações de custeio e investimento em vários setores”, disse a nota encaminhada à TRIBUNA DO NORTE. De acordo com o comunicado, “como o Governo vem alertando desde o ano passado via Secretaria de Planejamento, isto deve-se aos aumentos concedidos a algumas categorias e também às ações judiciais”.

O Executivo já projeta um déficit na rubrica que reserva o pagamento dos servidores de R$ 450 milhões, se considerados os meses restantes do ano. Um argumento amplamente difundido pelos interlocutores da governadora, é que isso se deve, entre outras coisas, a uma frustração nas principais fontes de receita – como Fundo de Participação dos Estados (FPE) e Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) – que pode chegar a outros R$ 450 milhões.

 Durante a reunião com a equipe de secretários, no início da semana, Rosalba Ciarlini comunicou que fará um corte de 20% nos gastos. Na ocasião, ela deixou claro que tentará evitar o desgaste de atrasar a folha de pessoal a qualquer custo. Alguns secretários argumentaram a inviabilidade de enxugar despesas, mas o que ouviram foi um “não há outro jeito”.  O foco é buscar meios de amenizar a receita aquém e pôr um freio nos gastos fora do controle. As medidas de contenção serão efetivadas via decretos e também por meio de projetos de lei .