Expectativa de estabilidade

Publicação: 2019-06-25 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Luiz Antônio Felipe
laf@tribunadonorte.com.br

Para os próximos 12 meses, a expectativa mediana dos consumidores para a inflação manteve-se estável em 5,4%. Alta de 0,2 ponto percentual em relação ao mesmo mês do ano anterior. Em sua análise,  Viviane Bittencourt, que coordena a Sondagem do Consumidor, da FGV/IBRE, diz que nos últimos meses, as expectativas dos consumidores sobre inflação vinham sendo influenciadas por uma percepção conjuntural de aceleração de preços dos alimentos, além do aumento da incerteza econômica. Como a perspectiva que nos próximos meses estes preços recuem, e da mudança da bandeira na energia elétrica, é possível que a expectativa de inflação volte a cair".

Transações
O Brasil teve superávit em transações correntes de US$ 662 milhões, em maio, somando em 12 meses um saldo negativo de 0,75% do Produto Interno Bruto (PIB). Com o dólar e o euro em alta, o gasto de turista brasileiro no exterior encolhe 8,93% em maio. Os brasileiros gastaram em viagens US$ 1,471 bilhão. Os estrangeiros que vieram aqui deixaram US$ 418 milhões.

Projeção
O mercado reduz a projeção de crescimento do PIB de 2019 de 0,93% para 0,87%. Para 2020 foi mantida a projeção de expansão de 2,20%.  A mediana das projeções dos economistas do mercado para a inflação oficial em 2020 recua para 3,94% na pesquisa semanal Focus, do Banco Central. É a primeira alteração na projeção para o próximo ano, desde que o Conselho Monetário fixou a meta de inflação em 4.00%.

Lucro
A Caixa Econômica Federal registra lucro líquido de R$ 3,9 Bilhões no primeiro trimestre de 2019, nada menos do que 23% Superior ao mesmo período de 2018.  A Caixa é o maior banco brasileiro em número de clientes. No primeiro trimestre de 2019, início da nova gestão, começou o processo para redirecionar a estratégia, baseada nas propostas de ser um banco rentável.

Rentabilidade
As empresas estrangeiras lucram mais no Brasil que na China. O crescimento menor da região é compensado por mão de obra barata e rentabilidade mais elevada. Essa análise põe por terra duas observações anteriores. Uma de que a China tinha mão de obra mais barata, mantida pelo governo. A outra dizia que o Brasil tem os encargos sociais e os tributos mais caros do mundo o que afastava os investidores.

Medidas mais duras
O Governo do Estado apresenta ao Banco Mundial as medidas adotadas na busca pelo equilíbrio fiscal. A equipe econômica do Governo do RN esteve reunida sexta-feira, com representantes do BM, em mais uma etapa do processo de adesão do Estado ao Plano de Equilíbrio Fiscal (PEF), encaminhado pelo Governo Federal ao Congresso Nacional. Esse plano prevê empréstimos aos Estados com nota C na capacidade de pagamento e com garantia da União.

Equilíbrio
O Governo do Estado quer o crescimento sustentável das despesas e a Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2020, como pontos de partida para o equilíbrio fiscal e financeiro do Estado nos próximos anos e para a adesão do RN ao PEF, que no período de quatro anos pode render ao Estado R$ 1,3 bilhão.

Inverno
Previsão de redução das chuvas nesta primeira semana do inverno no Hemisfério Sul, particularmente no sertão nordestino. O fenômeno El Nino está atuando o elevando as temperaturas em outras regiões do Brasil, a Europa e no restante do mundo.

Destinos
Pesquisa do Ministério do Turismo revela os destinos brasileiros mais procurados em junho e julho. A Sondagem feita com 2 mil agências de viagens indica que 17,8% delas trabalham com a possibilidade de contratar novos funcionários. Fortaleza, Maceió, Natal, Gramado, e Rio de Janeiro estão nas 10 primeiras posições.

Tarifas
O Radar das Tarifas Aéreas da Federação do Comércio do RN mostra que as passagens aéreas continuam caras na comparação com outros estados. Falta uma maior concorrência, com outras empresas aéreas disputando o mercado.

Alta estação
Com as férias escolares do meio do ano, oficialmente começando a alta estação de julho promete ser movimentada. As companhas aéreas estão programando mais vôos, dentro da nova política de incentivo do combustível de aviação do Governo do Estado.

Defensivos
O Diário Oficial da União traz o registro de mais 42 defensivos agrícolas. O objetivo do Ministério da Agricultura e Pecuária é aumentar a concorrência e baratear custo dos produtos. A maioria dos registros é de genéricos, de produtos com princípios ativos já autorizados no país. Na lista há apenas um ingrediente ativo novo, eficiente contra ervas daninhas.






continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários