Exportações no RN cresceram 109,5% em setembro ante agosto deste ano

Publicação: 2020-10-10 00:00:00
Com a safra de melões e melancias rumo ao meses de pico, as exportações do Rio Grande do Norte mostraram forte recuperação no mês de setembro passado e ficaram 109,5% acima do volume registrado em agosto deste ano. Relatório do Centro Internacional de Negócios (CIN), da Federação das Indústrias do RN (Fiern), divulgado nesta sexta-feira (9), mostra que o Estado exportou, no mês passado, um volume correspondente a US$ 26,250 milhões, ante os US$ 12,526 milhões no mês anterior.

Créditos: Alex RégisExportações cresceram em setembro deste ano, puxadas principalmente pela sagra do melãoExportações cresceram em setembro deste ano, puxadas principalmente pela sagra do melão

Melões, melancias, tecidos de algodão, mangas e outros produtos de animais impróprios para alimentação humana foram os itens com maiores valores exportados respectivamente em setembro. No acumulado de janeiro a setembro as exportações ficaram 18,5% menores que as do ano passado, considerando os itens regulares da pauta. Melões, sal, fuel oil, melancias, tecidos de algodão e peixes foram os produtos com maiores valores exportados no período respectivamente. No comparativo com setembro de 2019, o valor das exportações cresceu 1,.8%.

 O relatório do CIN/Fiern, divulgado nesta sexta-feira (9) mostra que, no total, de janeiro a setembro, as exportações importaram em US$ 180.882 milhões  ante US$ 221.934 milhões do mesmo período do ano passado, considerando a pauta normal de produtos, uma queda de 18,5%.  O resultado da Balança Comercial, ou seja, o saldo entre exportações e importações, no acumulado deste ano, foi de US$ 46,795 milhões, ante US$ 100,307 milhões de igual período do ano passado. Uma redução de 53,3%.

Na balança comercial, as importações cresceram 10,2% e a corrente de comércio ficou 8,4% menor que no mesmo período de 2019, subtraído o valor dos itens extraordinários que distorciam a variação da balança deste ano em relação àquele ano. De acordo com os dados do relatório, no mês de setembro, o Rio Grande do Norte exportou 17.593 toneladas de melão, o que equivale a US$ 10,668 milhões de dólares. No caso da melancia, foram exportadas  11.106 toneladas, cerca de US$$ 4,5 milhões.

No acumulado, de agosto a setembro, foram exportados mais de 103 mil toneladas das duas frutas, que juntas responderam por mais de US$ 54 milhões no valor total das exportações do Estado, que foi de US$ 180,8 milhões. Os embarques dessas frutas devem terminar em meados de março de 2021.

No acumulado dos nove meses, os produtos mais exportados foram os melões (US$ 42 milhões), o sal marinho (US$ 25,7 milhões), óleo combustível (US$ 15,7 milhões), melancias (US$ 12,3 milhões), produtos de origem animal para alimentação não humana (US$ 9,3 milhões) e os mamões (US$ 6,3 milhões). Os principais destinos dessas mercadorias foram os Estados Unidos, que lideram o comércio com o RN com um volume de negócios da US$ 44 milhões, seguidos da Holanda, Espanha, Reino Unido e Cingapura.

Já as importações somaram US$ 20,8 milhões. Compras de misturas de trigo e centeio e de  transformadores dielétricos  lideram as importações entre janeiro e setembro.  A argentina permanece na liderança de país que mais vende para o RN. Este ano, a nação vizinha já negociou mais de US$ 36,3 milhões com o Estado. A China já é o segundo, com um volume importado de US$ 19,7 milhões. Os Estados Unidos vêm logo em seguida com US$ 18,6 milhões.

Créditos: Reprodução