Fátima Bezerra cobra união para reequilibrar as contas do RN

Publicação: 2018-11-19 12:28:00
A+ A-
A governadora eleita Fátima Bezerra defendeu que os poderes do Rio Grande do Norte, além de empresários e sociedade, estejam unidos em prol da recuperação econômica do estado. Durante palestra na 36ª edição do seminário Motores do Desenvolvimento, nesta segunda-feira (19), Fátima disse que o equilíbrio fiscal e entre gastos e receita é fundamental para a retomada do crescimento do Rio Grande do Norte.
Créditos: Alex RégisFátima Bezerra foi uma das palestrantes do MotoresFátima Bezerra foi uma das palestrantes do Motores
Fátima Bezerra foi uma das palestrantes do Motores

Na discussão, Fátima falou sobre o que pretende fazer inicialmente em sua gestão à frente do Governo do Estado. Entre as prioridades, está a busca para que o Rio Grande do Norte entre nos parâmetros determinados pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) sobre os gastos com pessoal. No entendimento da governadora eleita, é preciso que se cortem os gastos e se amplie a receita, mas sem aumentar impostos.

"Temos que conter despesas, ampliar receitas sem aumentos de impostos. Vamos provar que é possível fazer isso sem mágica, sem soluções milagrosas. É vender ilusão dizer ao povo do Rio Grande do Norte que se resolveria isso com 'cavalo de pau' ou medida isolada. A resolução passa por um conjunto de medidas, de forma harmoniosa, com continuidade", disse Fátima Bezerra.

Segundo a governadora eleita, o Estado precisa chegar ao equilíbrio, não gastando mais do que arrecada e reduzindo o rombo financeiro. Para isso, Fátima quer o apoio dos demais poderes do Rio Grande do Norte, inclusive com a devolução de sobras ao tesouro estadual. No entendimento da senadora, é obrigação de todos a atuação para recuperação econômica do Rio Grande do Norte.

"Quero convocar os demais poderes para essa solidariedade, bem como empresários e a sociedade. A tarefa de tirar o estado desse descontrole que ele vive, e o reflexo que isso tem para os investimentos, o esforço não é só do Executivo. O Executivo vai fazer o seu dever de casa, mas não me faltará determinação para buscar todos os caminhos para que a gente tenha um pacto no Rio Grande do Norte. A hora é de solidariedade, união e compromisso. E é isso que espero dos poderes constituídos do meu estado", disse a governadora eleita.