Fátima quer recuperar a dívida ativa

Publicação: 2018-08-10 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A senadora Fátima Bezerra, candidata ao governo pelo PT, disse, durante a sabatina na Assurn, que atuará, caso seja eleita governadora do Rio Grande do  Norte, para aumentar a arrecadação como forma de tirar o Estado da crise fiscal. Ela disse que vai aperfeiçoar os instrumentos de combate à sonegação e tentar resgatar a dívida ativa que hoje é de R$ 7 bilhões, mas só 0,25% desses tributos são recuperados, o que corresponde a R$ 25 milhões. A candidata estima que a taxa de recuperação pode ir para até 3%. Fátima Bezerra admitiu que isso não resolve a situação fiscal do Estado, mas ajuda. “É verdade que 90% dela foi embora, é moeda podre, mas tem uma parte que é recuperável”.

Fátima Bezerra afirma que é preciso ampliar de 0,25% para 3% a recuperação da dívida ativa
Fátima Bezerra afirma que é preciso ampliar de 0,25% para 3% a recuperação da dívida ativa

Fátima Bezerra considera a situação fiscal do Estado “gravíssima” e disse que “já está estudando uma série de providências, pois desde abril que estamos debruçados no nosso programa de governo”.

Outra medida que Fátima Bezerra pretende adotar, é o aperfeiçoamento do Proadi, o programa de incentivos fiscais do Estado e sua ampliação para financiar micros, pequenas e médias empresas.

Ela disse que vai aperfeiçoar a máquina arrecadadora, “mas fiquem tranquilos, não vou aumentar impostos de maneira nenhuma, antes que comece qualquer boato, quero deixar muito claro, que não vamos aumentar impostos”.

“Eu me sinto à vontade para dizer isso, porque o empresário que dá conta de sua responsabilidade e paga em dia os seus tributos, esse empresário fica muito revoltado quando vê determinados procedimentos que o governo não deveria ter de maneira nenhuma”, disse.

A senadora petista informou, ainda, que em breve vai lançar a sua plataforma de governo na internet, “de forma que as pessoas possam interagir” e dar a sua opinião e sugestões para a administração pública do Estado.

Em relação à segurança pública, Fátima Bezerra disse que é preciso ampliar o policiamento, mas também tem de haver investimento em inteligência, bem como pressionar o governo federal para que regulamente o Sistema Único de Segurança Pública (Susp).

Fátima Bezerra declarou para os empresários, que para tirar o Estado da situação de inépcia fiscal “não tem uma saída isolada, uma proposta milagrosa, uma varinha de condão mágica, não existe isso”.

Segundo ela, o que pretende fazer no governo “é um conjunto de medidas, adotadas de forma harmônica para fazer o dever de casa, que é a despesa caber na receita”.




continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários