Fátima sugere toque de recolher nacional para conter pandemia

Publicação: 2021-03-08 08:36:00
A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, quer que todos os estados do país tenham medidas uniformes no combate à pandemia do novo coronavírus. Em entrevista concedida à GloboNews, na manhã desta segunda-feira (8), a gestora potiguar disse que a união nas ações daria mais legitimidade aos governantes e sugeriu um toque de recolher nacional.
Créditos: Adriano AbreuFátima Bezerra sugere um esforço conjunto dos governadores para conter pandemiaFátima Bezerra sugere um esforço conjunto dos governadores para conter pandemia

Mais uma vez criticando a condução do Governo Federal no enfrentamento à pandemia, Fátima Bezerra cobrou que o Congresso Nacional acelere a aprovação de uma legislação que viabilize o auxílio emergencial, além de contribuir para a desburocratização na compra de vacionas pelos estados. Porém, segundo ela, isso não é o suficiente.

Segundo Fátima, 22 dos 27 unidades da federação estão com medidas restritivas de circulação de pessoas e o isolamento social, de acordo com a governadora, é a forma mais eficientes para conter a pandemia antes da vacinação em massa da população. Por isso, ela cobra que os governantes tomem as medidas conjuntamente, minimizando o desgaste que todos têm enfrentado junto à população.

"O Pacto Nacional em Defesa da Vida é a sugestão que estamos dando para uniformizar ao máximo as medidas que estão e vigor. De 27 estados, temos 22 com adoção de medidas restritivas, e esse pacto poderia começar com o toque de recolher a nível nacional, associada a diversas outras medidas voltadas a conter a pandemia", disse a governadora.

Segundo ela, no entanto, a sugestão não é para atacar o Governo Federal, e sim para contribuir com a contenção à pandemia. "O pacto não é contra ninguém, é a favor da vida. Se as medidas forem uniformizadas e tomadas de forma nacional, terão mais legitimidade e ajudarão bastante no diálogo com a sociedade. Essas medidas duras que estamos tomando nenhum gestor gostaria de fazer. Estamos fazendo por absoluto senso de responsabilidade e de necessidade", disse a governadora.

Sobre o decreto da Prefeitura do Natal, que flexibilizou parte das medidas impostas e sugeridas pelo Governo do Estado, Fátima disse que lamentava, mas que faria cumprir o toque de recolher.

"Infelizmente, o prefeito da capital destoou, logo na capital que é o epicentro da covid, e publicou outro decreto flexibilizando outras medidas. Nesse assunto, a autoridade sanitária é o Governo Estadual e nós estamos fazendo valer nosso papel", disse.

Até o momento, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social não divulgou o balanço referente às intervenções das forças de segurança durante os primeiros dias de vigência do toque de recolher no estado.

Leia também: