Falta de vacina pentavalente adia data da campanha nacional

Publicação: 2019-07-13 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O recolhimento de lotes da vacina pentavalente que apresentaram resultados de análise insatisfatórios pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, o INQS, resultou no atraso da Campanha Nacional de Multivacinação. Originalmente prevista para acontecer no mês de agosto, a campanha foi adiada para o período que vai de 7 a 25 de outubro. O comunicado foi feito através de um ofício circular distribuído pelo Ministério da Saúde às secretarias municipais.

Das dez vacinas obrigatórias e disponibilizadas na rede pública de saúde para crianças, apenas duas conseguiram atingir meta do Ministério da Saúde
A vacina pentavalente imuniza contra tétano, difteria, coqueluche, Influenza tipo B e Hepatite B

De acordo com a Secretaria do Estado de Saúde Pública (Sesap), responsável pela distribuição das vacinas para os municípios, o RN possui estoques para atender eventuais demandas extras dos municípios durante o mês de julho. Caso a situação não seja regularizada durante o mês corrente, no entanto, o fornecimento da vacina para o mês de agosto é incerta.

A coordenadora de imunização da Sesap, Katiuscia Roseli, afirma que, até o momento, o Ministério não forneceu prazos ou estimativa para regularização da situação. “Fazemos a gestão de acordo com a necessidade dos municípios. Temos quantidade no estoque estadual que pode atender os municípios onde eventualmente venha a faltar a vacina, mas não sabemos ainda como ficará a situação no mês de agosto", diz.

A vacina pentavalente é responsável pela imunização contra cinco doenças: tétano, difteria, coqueluche, Influenza tipo B e Hepatite B. Ela deve ser tomada em três doses, aos 2, 4 e 6 meses de idade, e é aplicada gratuitamente através do Sistema Único de Saúde (SUS).

Ao todo, três lotes de vacinas fabricadas pela empresa indiana Biologicals E. Limited foram oficialmente interditados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que fez a publicação através do Diário Oficial da União na última quinta-feira (11). As vacinas reprovadas no teste não chegaram a ser distribuídas ou utilizadas pela população.

De acordo com a publicação, a vacina pentavalente obteve "resultado insatisfatório do ensaio de aspecto", teste realizado pelo INCQS que avalia características como cor, odor e características de embalagem das vacinas que serão distribuídas. Com a adição desses três lotes, sobe para cinco o número de lotes interditados da vacina pentavalente produzida pela Biologicals E. Limited em três meses.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS), diferente da campanha nacional de imunização contra a Influenza, a Campanha de Multivacinação não possui metas, e está focada principalmente na atualização da carteira de vacina das crianças, que devem tomar o máximo possível de vacinas pendentes indicadas para cada faixa etária.

O Ministério afirma que esteve reunido com a Organização Panamericana de Saúde para definir novas entregas para o Brasil. A aquisição da vacina pentavalente no Brasil acontece através de um fundo da Organização, pois não há vacinas desse tipo com registro no Brasil.

Na capital, a SMS garante que há estoques disponíveis da vacina para atender à demanda regular pelos próximos dois meses. Até esse período, a Secretaria espera que o Ministério tenha regularizado a situação dos lotes e faça uma nova distribuição.


continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários