Cookie Consent
Esportes de Primeira - Itamar Ciríaco
Fator casa
Publicado: 00:01:00 - 07/05/2022 Atualizado: 22:48:21 - 06/05/2022
Itamar Ciríaco - itamar@tribunadonorte.com.br

O fator casa é, segundo todas as pesquisas, extremamente importante na definição de resultados, no futebol. América e ABC jogam em casa, nesse fim de semana, e não podem deixar passar a oportunidade de vencerem seus jogos e subirem na classificação. Os duelos não são fáceis. O Alvirrubro recebe o Retrô, líder do Grupo C da Série D do Campeonato Brasileiro. O time foi vice-campeão pernambucano e derrubou quase todos os grandes no estadual daquele estado. Além disso, tem 100% de aproveitamento e já está com o time montado há mais tempo. No América, João Brigatti ainda não pode ser cobrado pelo resultado, mas o time sim. Os jogadores precisam dar uma resposta aos torcedores, após a derrota absurda para o Afogados da Ingazeira. No domingo, o ABC recebe o Volta Redonda. Contra o Altos, uma derrota dolorosa. O time começou bem, mas caiu de produção e perdeu por 2 a 1 no Piauí. É necessário se recuperar em Natal. O técnico Fernando Marchiori, que já era considerado quase um semideus, cometeu erros no jogo anterior e isso pode ser bom para que todos ponham os pés no chão. Os cariocas vêm de duas vitórias seguidas e estão empolgados. É fazer valer o fator casa e que os potiguares vençam.

Tráfico
O atacante Jobson, com passagens por clubes como Botafogo, Atlético-MG e Bahia, foi levado a uma delegacia na quinta-feira, em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, devido a uma investigação a respeito de tráfico de drogas na região. Policiais do 33º BPM encontraram dois suspeitos em uma casa com 16 trouxinhas de maconha e 12 pinos contendo pó branco.

Estudo
A empresa Sports Value divulgou seu estudo anual sobre as finanças dos TOP 20  clubes do Brasil, Depois de um 2020 muito difícil, com perdas de receitas de mais de R$ 1 bilhão, clubes se recuperaram e atingiram faturamento conjunto de R$ 7 bilhões. As receitas cresceram 47% em 2021 em relação a 2020.  Destaque extremamente positivoEstudo foram as receitas com patrocínios, que passaram, pela primeira vez, dos R$ 800 milhões.

Estudo 1 
Os principais impactos foram os recursos com direitos de TV e premiações que passaram de R$ 1,7 bilhão em 2020 para R$ R$ 3,4 bilhões em 2021. Nesse valor está incutido o valor da TV que não foi ingressado em 2020. As transferências apresentaram queda de 7% em 2021. 

Estudo 2
Os custos com futebol dos clubes atingiram R$ 4,9 bilhões, frente aos R$ 4,4 bilhões de 2020. Em 2019 os custos estavam em R$ 4,7 bilhões. Atualizados pela inflação os custos com futebol de 2019, a valores atuais, eram de R$ 5,5 bilhões. Isso significa que os clubes vem conseguindo manter certo controle orçamentário. Os déficits de 2021 que foram de R$ -1,06 bi em 2020 se convertem em superávits de R$ 534 milhões em 2021. As dívidas que tinham passado dos R$ 10 bilhões em 2020, foram reduzidas em 4%, e estão em R$ 9,8 bilhões para os TOP 20 times. Dívidas fiscais cresceram 2% e agora somam R$ 2,8 bilhões.

Estudo 3
O Flamengo atingiu faturamento de R$ 1,08 bi, crescimento de 62%. Sem o impacto das transferências a evolução foi de 80% em relação a 2020. Os R$ 950 milhões gerados em 2019 atualizados pela inflação representam R$ 1,1 bi. Custos com futebol atingiram R$ 693 milhões, alta de 12%. O futebol representa 64% das receitas. Clube fechou com o maior superávit do futebol brasileiro, R$ 177 milhões e dívidas foram reduzidas em 43%.

Estudo 4
O Palmeiras atingiu a maior receita de sua história, R$ 910 milhões, crescimento de 71%. Sem o impacto das transferências a evolução foi de 101% em relação a 2020. Ano com muitas premiações em dólar alavancou seus números. Custos com futebol atingiram R$ 618 milhões, alta de 19%. O futebol representa 68% das receitas. Clube fechou com superávits de R$ 123 milhões e dívidas foram reduzidas em 23%.

Estudo 5 
O Atlético-MG atingiu faturamento de R$ 505 milhões crescimento de 268%. Sem o impacto das transferências a evolução foi de 271% em relação a 2020. O clube apresentou novos números de receitas de 2020, bem abaixo dos apresentados no ano passado. Custos com futebol atingiram R$ 522 milhões, alta de 67%. O futebol representa 103% das receitas. Clube fechou superávit de R$ 102 milhões, graças aos recursos imobiliários e dívidas subiram 6%.

Estudo 6 
O torcedor deve prestar atenção a algumas coisas importantes nesse estudo. Primeiro a concentração de renda segue em alta. Segundo, apesar da Covid-19, já houve recuperação. Terceiro, nossos clubes potiguares precisam estar atentos à profissionalização. Exemplo disso é o quadro abaixo. Clubes como Cuiabá e Remo, aparecem com grandes investimentos.

Confira: 
Estes clubes apresentaram receitas que podem levá-los, em futuros estudos, a participarem dos TOP 20.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte