Natal
Fé conectada
Publicado: 00:00:00 - 20/04/2014 Atualizado: 10:04:41 - 19/04/2014
Daísa Alves - repórter

Após os três dias sepultado, e em seguida ressuscitado, Jesus Cristo apareceu aos seus discípulos e ordenou: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura”. A determinação tem sido cumprida ao longo dos anos pela igreja, e nos últimos tempos tem encontrado renovação em seus métodos. As instituições religiosas e os seus membros se apropriam das mídias sociais e aparatos tecnológicos para fins de evangelização, divulgação de agenda das congregações e, até, em sua liturgia.
Membros da pastoral de comunicação da paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Neópolis, atuam fortemente nas mídias sociais digitais
Hoje, no domingo de páscoa,  os cristãos rememoram a  obra redentora de Cristo, o messias, enviado por Deus, que se entrega como oferta viva para reconciliação de Deus com o homem. A proclamação deste evangelho, realizada inicialmente pelos discípulos, com anúncio porta a porta – e por vezes em multidões -, bem poderia ter sido potencializada com o compartilhar por mídias como Facebook, Twitter, Instagram, WhatsApp.

O que não foi possível para a época, hoje está sendo pouco a pouco agregada a rotina das igrejas – desde a divulgação de um cartaz de evento, até a veiculação de uma celebração. O investimento tem  grandes chances de força e potencialização, especialmente no Brasil. Segundo últimos dados disponíveis do Ibope Media, o número de usuários da internet no país alcançou, em 2013, 105 milhões de brasileiros. Destes, 57,2 milhões de usuários acessam regularmente a Internet.

Para Erika Zuza, consultora de media trainnig e mestre em TV Digital, as instituições religiosas, ao fazerem uso das mídias sociais, lidam agora com uma nova dinâmica de comunicação, inerente ao meio virtual. “Agora, não é uma comunicação da igreja para o público somente. Mas sim, a igreja se comunica com o público e o público comunica entre si”, figura. “Deve-se ter a consciência que a mídia social  é comunicação e envolve o diálogo.  Um local que se fala e ouve o que o outro tem a dizer, e está preparado para os elogios e críticas”. Mas toda ação, deve ter seus cuidados. “Uma instituição na mídia tem intenção de visibilidade, mas exige responsabilidade”. Ela acrescenta ainda, que não adianta para uma instituição religiosa apenas possuir uma conta numa mídia social, ou um de um site, é preciso estar atuante nas atualizações. 

PAPA
Há alguns anos a Igreja Católica tem procurado estreitar a comunicação com os seus fiés. Inclusive, o próprio papa tem uma conta no twitter, bem visitada e atualizada constantemente. @Pontifex_pt é a versão em português do perfil do papa Francisco no twitter. O pioneiro foi o papa Bento XVI, com o primeiro post: "Queridos amigos, é com alegria que entro em contacto convosco via twitter. Obrigado pela resposta generosa. De coração vos abençoo a todos", em dezembro de 2012. Hoje, a conta contém mais de 1 milhão de seguidores.

 O próprio vaticano também se articula na rede, até mesmo com aplicativos para dispositivos móveis. Lançado em 2013, o “The Pope App”, permite o acompanhamento das atividades do pontífice. Nesse mesmo ano, o 47º Dia Mundial das Comunicações Sociais, teve como tema: Redes sociais: portais de verdade e de fé; novos espaços de evangelização. Em que o papa propagou apoio ao uso do virtual para evangelização.

A Arquidiocese de Natal não deixa a desejar na sua participação virtual; tem uma conta no twitter, no facebook e ainda um site. Neles podem ser encontradas divulgações, fotografia de eventos, mensagens e informações das paróquias e setores da cidade.

Comunidade Shalom usa redes para divulgação
Na Comunidade Católica Shalom Natal, a mídia social é utilizada, principalmente, para divulgação de eventos. De tal forma, que além da Fanpage oficial da missão, foram criadas páginas dos grandes eventos; Renascer, Paixão de Cristo e Halleluya Natal, vinculados à pagina geral.

A comunidade com cerca de 2 mil membros, possui um grupo de comunicação especializado, que não faz uso somente do Facebook, mas tem conta no twitter e instagram. Para todo o ano, contam com uma equipe de cinco pessoas na parte de criação, a fim de alimentar as páginas. Na época dos eventos, são formadas equipes temporárias, variando entre quatro a quinze pessoas.
Luiz Eduardo Andrade, assessor de comunicação da Shalom Natal
Antenada
Para Luiz Eduardo Andrade, assessor de comunicação da Shalom Natal, a igreja está sempre “antenada” com o que acontece no mundo, e não poderia deixar de acompanhar o advento da internet. “Temos que levar ao homem a mensagem de Cristo. Temos que que ir ao encontro do homem aonde ele estiver. Não apenas no ambiente da igreja, temos que ir além”, destaca.

Igreja foi articulada nas mídias sociais digitais

Em meados de 2011, ainda pelo não mais atual Orkut, o pastor da Igreja de Cristo no Brasil (ICB), Francinilson Melo, sistematizou uma nova proposta para implantação de uma  congregação – da mesma denominação. O meio virtual proporcionou uma facilitação para a comunicação com um leque de pessoas, que vieram a se identificar relacionalmente e posteriormente, se tornarem membros. Existia tanto o perfil pessoal do pastor, como um da igreja – que teve contatos até com  protestantes de outros países.
Pastor da Igreja de Cristo no Brasil (ICB), Francinilson Melo
Mas o virtual não subtraiu a necessidade do encontro pessoal. “Saímos das mídias sociais, para um encontro constante nas casas e em dois anos estava formada uma igreja, com templo próprio”. Numa nova fase, já integrada ao Facebook, o uso dos grupos ampliou a relação virtual, com a substituição dos tradicionais informativos, por postagens. “Um boletim, tradicionalmente, sairia uma vez ao mês, ou no máximo semanal. No grupo, atualizamos quase que diariamente”. A congregação ICB Jardim Emaús, hoje possui 70 membros, mas no hall de participantes do grupo, tem quase o quádruplo, são mais de 300 no grupo.

Os aparatos tecnológicos também fazem parte do culto. A ICB Jardim Emaús, em celebrações especiais, veicula o culto por transmissão online. Além disso, um retroprojetor constrói um cenário no altar, dando a impressão de uma tela de led, com imagens, durante as músicas, que remetem a mensagem. Francinilson recorda da passagem bíblica que Jesus fala aos discípulos que no futuro se faria obras maiores que as dele. “Apor meio das mídias, as obras de Jesus são mais propagadas, num local que não tem limite de alcance”.

Missas são transmitidas pela net e padre está nas redes
Em menos de três meses, o padre Antônio Nunes já contabiliza mais de nove mil curtidas na sua página pessoal do Facebook. Bem próximo à quantidade de seguidores do twitter, conta que possui desde 2010, e atualmente tem quase 10.400 seguidores. O pároco confessa que teve resistência, inicialmente, para aderir às mídias sociais, pela rapidez que se instalou na vida da sociedade. “Foi algo rápido demais, ainda não me sentia preparado para utilizar”, diz. O incentivo veio dos membros da pastoral de comunicação da paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Neópolis, e pela força da juventude participante.
Padre Nunes, pároco de Neópolis, tem perfil em várias redes
Nas contas são compartilhadas mensagens, imagens religiosas, convites para rezas, além da divulgação de seu programa na rádio “Fé na Vida” e a programação da sua paróquia. Na paróquia Nossa Senhora Aparecida, até meados de 2011, o único veículo de comunicação era a revista “Sal da Terra”. Até surgir a necessidade de expansão para as mídias sociais. Segundo Rodrigo Galvão, um dos coordenadores da paróquia de comunicação (pascom), a primeira ideia foi veicular as informações da revista por meio de site página do Facebook, criado em 2012. Logo, o envolvimento com a rede se expandiu para instagram e youtube. “A adesão das mídias foi quase automático”, diz. Mais de 6.600 pessoas já curtiram a fanpage da paróquia, visitada em sua maioria por pessoas que residem no Brasil, mas há fãs também em países da América e Europa. Cerca de 61%  do público é formado por jovens entre 18 e 24 anos de idade. Além da página oficial, cada segmento da paróquia tem um grupo virtual a fim de discussões e organização de eventos. O foco agora é transmitir as missas em tempo real via internet.







Leia também