Federações do RN repercutem anúncios da reabertura econômica

Publicação: 2020-06-30 00:00:00
A+ A-
As Federações  do Comércio de Bens, serviços e Turismo e das Indústrias, Fecomércio RNe Fiern, respectivamente, emitiram notas após a confirmação da retomada gradual da atividade econômica no Estado. 

Créditos: Magnus Nascimento


Em nota, a Fecomércio RN frisou que 5 de maio, quando entregou ao Governo do Estado o Protocolo de Retomada, criou uma expectativa. “O setor de comércio perdeu cerca de R$ 300 milhões em faturamento e se viu obrigado a demitir mais de 10 mil pessoas. O percentual de desemprego no RN, que era de 11,2% em fevereiro, atingiu 12,3%. Estimamos que entre 10 mil e 15 mil empresas simplesmente não vão mais conseguir reabrir suas portas”, frisou.

Um levantamento feito pela Emproturn aponta que 42% das empresas turísticas potiguares já chegaram ao seu limite. Nos próximos 30 dias, 72% delas dizem que não terão mais condições de continuar funcionando. “ Foram mais de 100 dias de muita angústia para inúmeras famílias de empreendedores e seus colaboradores. A reabertura é fruto de incontáveis debates que tivemos com as autoridades. Alguns mais acalorados, alguns mais tensos. Mas todos foram válidos e nos conduziram, da melhor maneira, até aqui”, destacou.

A Fecomércio diz que “fazer desta reabertura algo definitivo e positivo é tarefa de todos. “Empreendedores, autoridades, consumidores, colaboradores. Atender os protocolos, fiscalizar sua aplicação, orientar eventuais ajustes, fazer o RN retomar o rumo do crescimento. São estes os mais novos desafios, deste período que tantos obstáculos nos tem imposto”.

A Fiern destacou que as empresas passaram pouco mais de 100 dias fechadas e que a reabertura se dará de forma lenta e gradual, seguindo as normas de segurança sanitária e protocolos. A Federação parabenizou a atitude da governadora Fátima Bezerra e dos secretários envolvidos nas discussões que culminaram na decisão. “Trazemos uma retomada com responsabilidade, com respeito à vida, às pessoas e também em defesa da retomada econômica. Não será fácil, nós sabemos. Tudo será acompanhado para que não tenhamos surpresas”, destacou a Fiern.

Veja abaixo o cronograma de reabertura das atividades comerciais, conforme detalhamento do Governo do Estado
O Governo do Estado, com base em estudos realizados pelo Comitê Científico que lhe assessora, apresentou aos participantes a Proposta de Cronograma para Abertura Gradual das atividades comerciais. Na oportunidade, o Secretário Estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier, expôs o documento aos representantes de entidades ligadas ao comércio, turismo e bares e restaurantes.

O Plano de retomada gradual, composto por três fases, terá início na quarta-feira (1º) e tem previsão de duração de 35 dias. Para cada fase de abertura está previsto um bloco de atividades a serem progressivamente liberadas. 

O objetivo é que sejam autorizadas inicialmente aquelas que economicamente se encontram em situação economicamente mais crítica, com maior capacidade de controle de protocolos e que gerem pouca aglomeração, descritas a seguir:Fase 1 (1º a 14/07):Atividades comerciais e demais serviços - Alimentação I (restaurantes, lanchonetes, food-parks) de até 300 m2; 4 pessoas por mesa; 2m mesa a mesa/ 1m entre pessoas; Proibido de consumo de bebida alcoólica no estabelecimento. Na Fase 2 (15 a 28/07):- Academias em funcionamento sem uso de ar condicionado-Centros Comerciais (sem ar condicionado central)-Galerias Comerciais. Na Fase 3 ,(29/07 a 11/08):- Academias em funcionamento com uso de ar condicionado- Shoppings (com ar condicionado)- Alimentação II (bares, restaurantes, lanchonetes, food-parks maiores que 300m2; 4 pessoas por mesa; 2m mesa a mesa/ 1m entre pessoas; Proibido de consumo de bebida alcoólica no estabelecimento. Não devem promover shows, festas e afins; É possível música ao vivo, desde que por 1 (uma) pessoa apenas (músico + instrumento).

Fração 1
Atividades de informação, comunicação, agências de publicidade, design e afins; 
Centros de distribuição, distribuidoras, depósitos; 
Atividades dos serviços sociais; 
Salões de beleza, barbearias e afins; 
Lojas de até 300 m²  com porta para a rua dos seguintes ramos: papelarias, bancas de revistas; comércio de produtos de climatização; comércio de bicicletas e acessórios; comércio de vestuário; e armarinho.

Fração 2
Serviços de alimentação de até 300 m²;
Estabelecimentos com até 600 m² e com porta para a rua dos seguintes ramos: comércio de móveis, eletrodomésticos e colchões; lojas de departamento e magazines não localizados dentro de shopping centers ou centros comerciais; agências de turismo; comércio de calçados; comércio de brinquedos, artigos esportivos e de caça e pesca; comércio de instrumentos musicais e acessórios; de equipamentos de áudio e vídeo; de eletrônicos/informática; de equipamentos de telefonia e comunicação; joalherias, relojoarias, bijuterias e artesanatos; comércio de cosméticos e perfumaria.

Regras gerais para funcionamento:
Garantir o distanciamento interno de pelo menos 1,5 m (um metro e meio) entre as pessoas;
Impedir a entrada de pessoas dos grupos de risco e infectados pelo novo coronavírus;
Impedir o acesso de pessoas sem máscaras de proteção;
Estabelecer horários alternativos para diminuir a possibilidade de aglomeração e a concentração de pessoas;
Planejar horários alternados para seus colaboradores;
Manter o teletrabalho para todas as atividades que possam funcionar nessa modalidade, conforme condição de cada empresa;
Implementar medidas de prevenção nos locais de trabalho, destinadas aos trabalhadores, usuários e clientes;
Realizar ampla campanha de comunicação social da empresa junto aos seus colaboradores, funcionários e clientes;
Cumprir o disposto na Lei Federal nº 13.589, de 4 de janeiro de 2018, bem como na Resolução nº 9 da ANVISA na hipótese de utilização de ar condicionado.

Regras comuns aos setores
Abertura em horários específicos, para que o tráfego de clientes e profissionais não coincida com o pico de movimento do transporte público;
Reabertura com quadro reduzido de empregados, podendo fazer uma escala de trabalho de dias alternados com a equipe;
Controle rigoroso da saúde dos empregados e dos prestadores de serviço, mediante aferição de temperatura, uso permanente de máscara, higienização das mãos;
Máquinas de cartão de crédito e telefones de uso comum devem estar envoltos em papel filme e deverão ser higienizados frequentemente;
Disponibilizar álcool em gel 70% para cada profissional e/ou cabine;
Disponibilizar produtos e tecnologias para higienização, etc.













Deixe seu comentário!

Comentários