Festival Curta Caicó chega à segunda edição e vai exibir 50 filmes

Publicação: 2019-06-13 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter

Em Caicó, quem quiser ver filme tem que recorrer à internet. Ir a uma locadora alugar fita, por exemplo, é coisa de dez anos atrás. Ir ao cinema aí é algo bem mais antigo. Desde os anos 90 não existem mais salas de exibição na cidade. O Cine São Francisco deu lugar a uma igreja. E o Rio Branco, que já foi apontado como um dos maiores do Rio Grande do Norte, virou agência da Caixa Econômica. Em meio a esse cenário, surgiu no ano passado o evento Curta Caicó, um festival de filmes que foi muito bem recebido na região do Seridó. Em 2019 ele chega a sua segunda edição apresentando avanços. A abertura do evento é nesta quinta-feira (13), a partir das 18h, no Centro Cultural Adjuto Dias. Mas a programação se estende até domingo (16), nos três turnos e com entrada gratuita.

Documentário em curta-metragem Tingo-Ligo, de Wallace Yuri, aborda a cultura do cavaco-chinês. A produção potiguar integra a principal mostra competitiva
Documentário em curta-metragem “Tingo-Ligo”, de Wallace Yuri, aborda a cultura do cavaco-chinês. A produção potiguar integra a principal mostra competitiva

A programação está distribuída em quatro mostras principais (todas batizadas com nomes de antigos cinemas da cidade). São elas a Cine Rio Branco (nacional) e Cine São Francisco (potiguar), ambas de caráter competitivo; Cine Pax, dividida em sessões temáticas (diversidade, curtas fantásticos e matinê); e Cine Alvorada, composta por filmes produzidos no Seridó – segundo os organizadores, a grande novidade desta edição.

“Ano passado exibimos dois curtas produzidos na região. Neste ano recebemos a inscrição de 11 filmes. Destes, selecionamos sete, sendo que de sete municípios diferentes”, conta o diretor geral do Curta Caicó, Raildon Lucena. “Pra nós do Seridó, essa mostra é uma das coisas mais legais do festival, porque fomenta o audiovisual da região, motiva o pessoal a produzir e pode levar ao surgimento de uma cadeia produtiva”.

Além dos sete curtas seridoenses foram selecionados outros 33, sendo 11 para cada uma das outras mostras. “Percebemos que o festival despertou interesse. Houve um aumento no número de inscrições. Ano passado foram 415, neste ano foram 535, de todos os cantos do país”, conta o diretor do evento. A programação ainda conta com duas mostras parceiras: a Mostra Sesc RN e a Mostra Identidades (Canal Futura/UERN).

Parcerias, aliás, é algo fundamental para a existência do Curta Caicó. O evento, realizado pela Referência Comunicação, não dispões de nenhum patrocínio por edital, apenas apoios, como o Governo do Estado, Fundação José Augusto, SESC RN, CERES - UFRN, UERN, Canal Futura, Calle, Óticas Mirna, Brisanet, Unicords, as associações locais ACCIRN, ABDeC e Setcenas, e da empresas de audiovisual Elo Company e Místika. Estas duas últimas, por sinal, estão garantindo as premiações das mostras competitivas. No caso da Elo Company, a empresa irá conceder um prêmio aquisição, onde se coloca como distribuidora do filme vencedor em território nacional pelo período de 12 meses. E a produtora Místika premiará com R$ 5 mil em serviços de pós-produção de imagem o realizador do filme vencedor.

Além desses prêmios, o Curta Caicó irá entregar o Prêmio da Associação de Críticos de Cinema do RN para o Melhor Curta Potiguar, e a lista de melhores filmes escolhidos pelo Júri Popular. A programação do festival ainda compreende debates e oficinas, como a oficina de atuação, com Márcia Lohss; oficina Documentando, com Marlom Meirelles; e oficina Criadores de Formatos Audiovisuais, com Márcio Motokane.

Caicó quer mais cinema
Cidade que já foi bem servida de salas de cinema, Caicó amarga mais de 25 anos sem uma. Cine Rio Branco, São Francisco, Pax e Alvorada todos fecharam. Hoje, quando a população quer ir ver alguma estreia o destino é Patos, na Paraíba, distante 100 km do município seridoense. A cidade de 220 mil habitantes conta com três salas de cinema. Segundo Raildonn Lucena, que foi recentemente à Patos ver 'Vingadores: Ultimato', na sala de exibição só tinha caicoense.

A atriz Clotilde Tavares no elenco de O Morador do 1101
A atriz Clotilde Tavares no elenco de “O Morador do 1101”

“Muita gente também vai à Natal, mas é mais distante. É uma pena essa situação de Caicó, porque aqui o cinema já foi bastante popular. Era um importante lazer da população”, lamenta Raildon. Ele informa que circula na cidade a história de que existe um projeto de construção de algumas salas, mas desconfia que isso vá pra frente. “É uma demanda antiga da população. Algumas pessoas comentam. Mas não sei até que ponto é só um boato”.

O diretor do Curta Caicó vê na cidade um crescente interesse das pessoas por audiovisual. O que pode ser visto nas sessões do festival, sempre disputadas. E quem participa do evento sai motivado a produzir. Neste ano três escolas inscreveram curtas produzidos por alunos. E até um professor passou a oferecer a disciplina de cinema para estudantes.

“Há 40 anos foi filmado em Caicó o filme 'Boi de Prata', até então segundo longa produzido em todo o Rio Grande do Norte. Mas quase nada se criou depois. Até que nos últimos anos as coisas mudaram. No festival passado estreamos o curta 'P's', uma ficção baseada na peça de mesmo nome da Cia Trapia. O filme tem sido exibido em alguns festivais. Espero que daqui pra frente surjam novos projetos. O Curta Caicó está ai pra motivar”, comenta Raildon.

Programação
Mostra Cine São Francisco - Competitiva Potiguar

A Parteira – Catarina Doolan

Tingo Lingo – Wallace Yuri

Codinome Breno – Manoel Batista

Enquanto o Sol se Põe – Márcia Lohss

O Morador do 1101 – Carito Cavalcanti, Fernando Suassuna e Eli Santos

Reflexo – Felipe Rocha

Autômato do Tempo – Rubens dos Anjos

Derradeiro – Renata Alves

Sem Retrato e sem Bilhete – Babi Baracho

O Grande Amor de um Lobo – Adrianderson Barbosa e Kennel Rógis

L´Evasion – Rômulo Sckaff

Mostra Cine Rio Branco - Competitiva nacional
Nova Iorque (PE) – Léo Tabosa

Sessão Especial (CE) – Gabriela Queiroz

Rasga Mortalha (PB) – Patrícia de Aquino

Casulo (MG) – Rafael Aguiar

Riscados pela memória (DF) – Alex Vidigal

Entremarés (PE) – Anna Andrade

Flores (RJ) – Diego dos Anjos

A Sombra Interior (RS) – Diego Tafarel

Menino Pássaro (SP) – Diogo Leite

Uma Passagem em 3 tempos (PB) – Rebeca Souza

O Malabarista (GO) – Iuri Moreno

Mostra Cine Alvorada - Seridó
O Resgate de Valentin –  J. Júnior (Florânia)

Nuvens de Maio – Dynho Silva (Lagoa Nova)

Caritó – Joelma de Azevedo e Danúbio Silva (Jardim do Seridó)

Mézclate – Rickardo Medeiros (Caicó)

Stalker – Francis Davis (Currais Novos)

Berro –  Alex Macedo e Riely Silva (Parelhas)

Groxo Man – Espedito Victor (São João do Sabugi)

Mostra paralelas:

Mostra diversidade
Um Corpo Feminino (RS) – Thaís Fernandes

Majur (MT) – Rafael Irineu

Uma História das Cores (RJ) – Victor Hugo Fiuza

Culpado (RJ) – Alexia Maltner

Mostra de curtas fantásticos
A Confeitaria (PR) – Cleide Piasecki

A Retirada para um Coração bruto (MG) – Marco Antônio Pereira

#Júri (MT) – Samantha Col Debella

Matinês do Cine Pax
Zana, o Filho da Mata (AM) – Augustto Gomes

A História de João Valente e Zé Baixinho (BA) – Aragonez Fernandes e Simário Seixas

Uma Balada para Rocky Lane (PE) – Djalma Galindo

Você Conhece Derreis? (PB) – Veruza Guedes





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários