Fila assusta e eleitor desiste de votar

Publicação: 2014-10-06 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Por conta da dificuldade e da morosidade do funcionamento do sistema biométrico de reconhecimento do eleitor, muitas pessoas desistiram, no decorrer da tarde, de exercerem o direito de voto. Um desses casos foi o do cirurgião dentista Harrison de Almeida Dantas, que foi duas vezes a seção de número 148, da 3ª Zona Eleitoral, na Escola Estadual Jorge Fernandes, em Potilândia. Harrisson Dantas afirmou que foi ao meio-dia e depois voltou às 16 horas, mas por conta da fila, desistiu de votar, preferindo pagar, posteriormente, a multa no valor de R$ 3,50.

A coordenadora dos trabalhos da Justiça Eleitoral na Escola Jorge Fernandes, Rosimar Praxedes de Góis, afirmou que afora, isso, não houve muitos problemas nesse local. Segundo ela, essa dificuldade de reconhecimento biométrico das digitais, ocorreu mais nas seções 148 e 149, “onde os eleitores tinham mais idade, nas seções com mais eleitores jovens a votação estava sendo rápida”.

Fiscal da coligação “União pela Mudança”, Elisabeth de Paiva Lopes disse que ocorreu muitas desistências na periferia. Ele citou o bairro do Planalto. “Percorri várias seções por lá e as pessoas desistiam de votar por conta da demora”, contou.

No Caic do Planalto/Cidade Satélite, Hideraldo Santiago disse que demorou 1h20 para entrar e votar na seção eleitoral. O filho dele, chegou a passar 1h50. “A seção funcionava com três mesários, um ficava com a máquina de biometria e os outros três só olhando, acho que tinha de ter uma máquina para cada mesário”, reclamava.

Como o voto é obrigatório, Santiago disse que terminou esperando entrar, “mas se o voto não fosse obrigatório, não  teria vindo”. O comerciante Jefferson Rafael de Melo não desistiu de votar, mas confirmou “que muitas pessoas voltaram, depois que viram a fila”.

Para Jefferson de Melo, ao  invés de melhorar o sistema, que já era bom, com a identificação manual do eleitor, o sistema biométrico que lê a digital do eleitor, “piorou o sistema, que ficou moroso”. Ao contrário do sistema manual, que o eleitor vai sendo chamado a medida que um vai entrando na cabine de votação, no sistema biométrico, o eleitor só é chamado para o mesário, depois que o eleitor que está votando, termina de digitar o seu último voto.

Já às 17 horas, quando se encerrou a votação, os portões do Caic foram fechados, ai os mesários de algumas sessões eleitorais, que ainda tinham eleitores na fila, distribuíram fichas a partir do último eleitor que estava na fila até aquele que estava à entrada da seção eleitoral.

Magnus NascimentoHarrison de Almeida Dantas, foi duas vezes a seçãoHarrison de Almeida Dantas, foi duas vezes a seção

#Desistindo do voto
O cirurgião dentista Harrison de Almeida Dantas, que foi duas vezes a seção de número 148, da 3ª Zona Eleitoral, na Escola Estadual Jorge Fernandes, em Potilândia. Harrisson Dantas afirmou que foi ao meio-dia e depois voltou às 16 horas, mas por conta da fila, desistiu de votar, preferindo pagar, posteriormente, a multa no valor de R$ 3,50. “Do mesmo jeito que tenho direito de votar, também tenho o direito de não votar”, justificava-se.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários