Cookie Consent
Natal
Fila de cirurgias eletivas no Estado tem 18 mil pessoas
Publicado: 00:01:00 - 01/06/2022 Atualizado: 07:57:42 - 01/06/2022
A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN) realizou, desde setembro de 2020 até maio deste ano, mais de 18 mil cirurgias eletivas no Rio Grande do Norte. Desse total, 15 mil foram feitas de julho de 2021 a maio passado. Os procedimentos aconteceram dentro do programa Mais Cirurgias, Mais Saúde, criado para agilizar a realização de procedimentos no RN. A pasta estima, no entanto, que o número de pessoas à espera de uma eletiva é de 18 mil pessoas. 

Magnus Nascimento
Sesap disse que investimento no período foi de R$ 20 milhões, com recursos do SUS

Sesap disse que investimento no período foi de R$ 20 milhões, com recursos do SUS


Para os procedimentos já realizados, o investimento aproximado é de R$ 20 milhões, com recursos complementares, alocados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em coletiva de imprensa realizada na terça-feira (31), a Sesap explicou que o maior número de procedimentos foi realizado no Hospital Regional Mariano Coelho, em Currais Novos, no Seridó Potiguar. Por lá, foram feitas mais de 6 mil cirurgias até maio. Outro destaque, segundo a pasta, é o Hospital Regional Lindolfo Gomes Vidal, em Santo Antônio, na região Agreste, com a realização de 1 mil cirurgias. A unidade foi reestruturada com um novo centro cirúrgico.

Além disso, a Sesap ressalta os procedimentos no Hospital Regional Hélio Morais Marinho, de Apodi (com 629 cirurgias), e no Hospital Regional Nelson Inácio dos Santos, em Assu (com 185 procedimentos). “A unidade de Apodi estava subutilizada para cirurgias eletivas e os serviços foram retomados. Já em Assu, pela primeira vez a unidade, em mais de 20 anos, realizou cirurgias ortopédicas”, afirmou a coordenadora de Regulação da Sesap, Renata Nascimento.

“O número de operações realizadas no hospital de Santo Antônio mostra sua importância para a região, mesmo sendo uma unidade pequena”, conclui a gestora, em seguida. Além disso, de acordo com a Sesap, o Hospital Walfredo Gurgel, em Natal, realizou 1.686 cirurgias; o Deoclécio Marques, em Parnamirim, contabilizou 1.118 procedimentos; o Tarcísio Maia, em Mossoró, na região Oeste, contabiliza 427, com foco na área de traumas ortopédicos.

As cirurgias eletivas no Rio Grande do Norte foram suspensas algumas vezes desde março de 2020, início da pandemia de covid-19 no Estado. Em setembro daquele ano, os trabalhos foram retomados, dentro do programa Mais Cirurgias, Mais Saúde, com a realização de 3.666 procedimentos, que se somam às 15 mil cirurgias contabilizadas de julho do ano passado para cá. 

Depois de iniciado o programa, em setembro de 2020, os trabalhos foram suspensos em abril do ano passado, por causa de um novo repique da pandemia, sendo retomados, portanto, em julho de 2021. Atualmente, a estimativa é de que 18 mil pessoas ainda aguardem na fila por um procedimento eletivo. A expectativa, segundo o secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, é manter o ritmo das cirurgias, como vem sendo feito, para dar vazão à demanda.

A Sesap informou que iniciou, em 2019, um processo de apuração da demanda reprimida por cirurgias eletivas no Rio Grande do Norte. Na época, segundo a pasta, somente no Hospital Universitário Onofre Lopes (Huol), a fila era de 15 mil pessoas. A atuação do programa Mais Cirurgias, Mais Saúde, inclui, além da rede própria da Sesap, os hospitais universitários do RN.

O acompanhamento sobre a situação da fila é feito por meio da ferramenta Regula Cirurgias, que ainda não foi totalmente implementada, mas que já é responsável pelos resultados divulgados, segundo a coordenadora de Regulação, Renata Nascimento. "Esse novo sistema vem nos dando finalmente a possibilidade de gerir as filas e ter um quadro fiel da situação, acabando com um problema histórico", pontua.

Sesap avalia positivamente os resultados 
Para o titular da Secretaria de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia, os números do programa Mais Cirurgias, Mais Saúde apontam para um indicativo de resultados positivos em relação aos serviços de cirurgias eletivas no Rio Grande do Norte.

“São cirurgias que estão sendo ofertadas em todas as regiões do RN, em raticamente todos os hospitais da rede, além de hospitais municipais e outros que aderiram ao programa. Inclusive, o fato de os hospitais municipais estarem realizando cirurgias é algo inédito no Estado. O balanço que nós fazemos disso tudo é que é extremamente positivo. Temos um programa consolidado”, avaliou o secretário.

“Herdamos um passivo de muitos anos que não se realizavam respostas adequadas a essa demanda. O programa vai continuar, as cirurgias serão ampliadas e gargalos assistenciais ainda existentes serão resolvidos. O ‘Mais Cirurgias, Mais Saúde’ manterá seu ritmo e já estamos com processos para incluir novos hospitais, com o objetivo de diminuir o tempo de espera para a população", destacou Cipriano, em seguida.

A governadora Fátima Bezerra (PT), comemorou os resultados. "Assumimos a gestão tendo esse desafio em mãos e agora alcançamos essa importante quantidade de cirurgias. Isso é resultado de um grande trabalho, que teve uma pandemia no percurso, mas mesmo assim vem entregando mais dignidade e respeito para todos que aguardavam na fila há tanto tempo", afirmou.

As cirurgias foram distribuídas em 19 unidades de saúde integrantes do programa, fator bem avaliado pela coordenadora de Regulação da Sesap, Renata Nascimento. “Essa distribuição faz com que a população não tenha que viajar tanto tempo para conseguir uma cirurgia.

Imagina o desconforto que era, anteriormente, um paciente ter que retornar, logo após o procedimento, para a sua residência no interior?”, indaga.

“Hoje nós estamos garantindo que a maior parte das necessidades da população seja garantida na sua própria região de Saúde. Aliás, isso faz parte de um princípio do SUS para a integralidade da atenção dentro da região onde o paciente vive. Estamos trabalhando para qualificar e ampliar esse acesso por especialidade em todas as áreas do Estado”, completou Renata Nascimento.

As cirurgias realizadas envolvem áreas como ortopedia, neurocirurgia, cirurgias biliares (de vesícula), ginecológicas, pediátricas, vasculares e urológicas.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte