Final do Super Matutão acontece neste domingo na Arena das Dunas

Publicação: 2019-12-08 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Dos campos pequenos e estádios apertados em diversas cidades ao palco da Copa do Mundo. Assim será o confronto final entre as seleções de São Gonçalo e São Pedro, que vão decidir o título da  primeira edição do Super Matutão, torneio que resgatou a tradição do futebol interiorano e que possui uma grande ligação com o jornal Tribuna do Norte, uma vez que o colunista Everaldo Lopes, com vários anos atuando no jornal, foi um dos idealizadores da competição que agora ganhou nova roupagem e passou a ser organizada pela Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF). O encontro decisivo ocorrerá hoje às 8h30, prometendo escrever um outro tipo de história num gramado por onde circularam algumas das grandes estrelas do futebol mundial.

Com atletas que sequer chegaram a condição de jogador profissional e onde muitos alimentam o grande sonho de brilhar na carreira, essa oportunidade será única, uma vez que todo o foco da imprensa e dos amantes do futebol hoje estará neste confronto São-São. A Arena das Dunas que já conhece a história das seleções de outros continentes, hoje pode estar abrindo o cortinado da fama para o povo de sua própria terra.
Troféu que marca a volta do interior ao foco das atenções, homenageia o idealizador do torneio
Troféu que marca a volta do interior ao foco das atenções, homenageia o idealizador do torneio

Para valorizar a partida, um trio de arbitragem potiguar do quadro da CBF vai comandar o jogo. Zandick Gondim Alves será o árbitro central, auxiliado por Edilene Freire da Silva e Luciana da Silva. A decisão terá transmissão ao vivo da Inter TV Cabugi para todo o estado, além do site GloboEsporte.com/rn.

O Super Matutão movimentou 24 municípios e levou aos estádios torcedores de diversas faixas etárias, com as famílias desfrutando do esporte e promovendo o bem-estar nas diversas regiões do RN. As cidades integrantes da competição possuem 1.097.959 habitantes, segundo dados do IBGE, o que representa 34,65% da população norte-rio-grandense. Com a bola nos pés ou nas orientações à beira do campo, cerca de 530 atletas disputaram a competição, além de outros profissionais, que ganham uma oportunidade em funções específicas do mundo da bola, como treinadores, auxiliares e massagistas.

Os finalistas


Em 48 partidas disputadas, a bola já balançou a rede em 113 vezes, com média de 2,4 gols/jogo. Para chegar à decisão, as equipes apresentaram cenários diferentes em campo. A seleção de São Pedro chega à decisão com o melhor ataque do torneio, com 15 gols marcados. A equipe é formada por jovens da cidade e algumas promessas de outras estados nordestinos, como Alagoas e Pernambuco. O início da caminhada foi modesta, com classificações na primeira e segunda fases por conta do primeiro critério de desempate, os cartões amarelos, contra Elói de Souza e Tibau do Sul, respectivamente. Nas quartas de final, enfrentou Santa Cruz e venceu no placar agregado por 2 a 1. Nas semifinais, passou com facilidade pela seleção de Macau, com uma goleada por 7 a 0 no primeiro duelo e 1 a 0 no segundo confronto, que foi interrompido ainda na etapa inicial em razão de uma confusão envolvendo a equipe adversária com a arbitragem.

Rubens Valério, técnico da seleção de São Pedro, fala sobre a preparação psicológica do elenco, formado por jovens da cidade e de municípios vizinhos, mas que foi buscar em outros estados jovens promessas para buscar o título do Super Matutão.

“A preparação foi muito forte e agora o momento é de preparar a mente, concentrar bastante e fazer uma final em alto nível, assim como fizemos nos últimos jogos, com 10 gols marcados e nenhum sofrido. Quando a bolar rolar, esperamos que todo o nervosismo fique longe do campo. Em nossas conversas, nossa comissão faz questão de ressaltar que disputar uma final como essa é um privilégio para esses jovens atletas”, destacou Rubens.

Do outro lado, a seleção de São Gonçalo chega em um momento de reconstrução, após mudança no comando técnico. O ex-jogador Carlos Mota iniciou o torneio, mas foi substituído na terceira fase por Koemo Barbosa, que foi campeão no antigo Matutão com o time do Palmeiras de Santo Antônio do Potengi. Em campo, a equipe contou com o regulamento em algumas etapas para avançar no torneio, como na semifinal, em que empatou em todos os critérios técnicos com a seleção de Goianinha e conquistou a vaga no sorteio.

“Já conquistei um título em 97 com o Palmeiras de Santo Antônio do Potengi, também como técnico, e agora é aproveitar mais uma oportunidade para tentar chegar ao meu segundo título e ajudar minha cidade a conquistar o sexto título da competição. Para essa final, a expectativa do grupo é movida pela ansiedade que normalmente toma conta de qualquer decisão e ainda por cima tem o fator Arena das Dunas, além da visibilidade televisiva. Todos estão encarando como uma grande oportunidade de poder aparecer e quem sabe ser contratado por uma equipe profissional”, contou Koemo.

Novidades


A primeira edição do Super Matutão trouxe o brilho do futebol interiorano e movimentou economicamente as 24 cidades participantes da competição. Segundo o presidente da Federação Norte-rio-grandense de Futebol, José Vanildo da Silva, o torneio mostrou ser uma força para o esporte norte-rio-grandense, descobrindo alguns talentos para os clubes potiguares. O dirigente exalta ainda a homenagem ao ex-jornalista e escritor Everaldo Lopes, falecido em 2018, e que foi um dos idealizadores do antigo Matutão.

“A nossa avaliação é de que competição foi satisfatória, porém precisamos acertar alguns pontos em que houve discussão durante essa primeira edição. Vamos aumentar a disputa e regionalizar ainda mais na próxima edição, que acontecerá em 2020. Os jogadores estão aparecendo e a quantidade de gols me surpreendeu bastante, isso é ótimo, pois vamos ter alguns talentos surgindo e sendo aproveitados por clubes potiguares. Eu espero que a decisão seja com muitos gols, assim como foi no restante da competição. A final vai acontecer na Arena das Dunas, palco de Copa do Mundo, e isso é um fator de inspiração para esses novos jogadores. Como prêmio ao campeão, faremos a homenagem ao saudoso jornalista Everaldo Lopes, que tanto fez pelo futebol do RN, dando seu nome ao troféu de campeão”, disse Vanildo.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários