Fla perde e terá que vencer no Rio

Publicação: 2017-12-07 00:02:00 | Comentários: 0
A+ A-
O Flamengo terá que vencer, por dois gols de diferença, o jogo na próxima quarta-feira, no Rio de Janeiro, para ficar com o título. Os ingressos, para o jogo no Maracanã, já estão esgotados e a massa Rubro-negra terá que apoiar o time, principalmente após a derrota de ontem, por 2 a 1, diante do Independiente, rival da decisão, na Argentina, no estádio Libertadores da América. O empate dá o título ao time platino. Um resultado pela mesma diferença de gols leva o jogo para a prorrogação e depois penalidades.

No início do primeiro tempo e no final da segunda etapa o Fla dominou o jogo e criou boas jogadas pela direita com o ala Pará
No início do primeiro tempo e no final da segunda etapa o Fla dominou o jogo e criou boas jogadas pela direita com o ala Pará

Os 17 minutos finais do primeiro tempo acabaram por prejudicar inclusive o segundo tempo da equipe carioca no jogo de Buenos Aires. Até os 28 minutos da etapa inicial, quando tomou o gol de Gigliotti, o Flamengo era dono da partida. Tinha marcado 1 a 0 logo no início e dominava as ações em campo, sem se preocupar com a pressão que vinha das arquibancadas lotadas.

Aliás, essa pressão não surtiu efeito nos jogadores rubro-negros, ao menos em princípio. O time brasileiro foi para o ataque desde os minutos inicias. Acuou a equipe argentina e durante vários minutos, apesar dos gritos que vinham da arquibancada, dominou o jogo.

O domínio demorou pouco para se transformar em vantagem. Aos oito minutos, Paquetá sofre falta na esquerda do ataque. Trauco cobrou falta na área, e o capitão Réver subiu livre lá no terceiro andar para mandar para o fundo da rede. O goleiro Campaña nem se mexeu.

Doze minutos depois, a bola foi cruzada na área do Independiente, Juan apareceu livre e quase alcançou para marcar o segundo do Flamengo.

Apenas aos 21 minutos o time da casa produziu uma jogada que assustou o time flamenguista. Sanchez Miño apareceu bem na área. A bola foi levantada com perigo e Willian Arão cabeceou para afastar o perigo do gol de César, que cinco minutos depois fez uma grande defesa na cobrança de falta de Gastón Silva.

Apesar disso, na jogada seguinte, aos 28 minutos, no primeiro contra-ataque do jogo, o Independiente puxa a jogada até o ataque e o atacante Gigliotti recebe na área. Ele chutou forte entre a defesa do Flamengo, sem chance para o goleiro César.

Esse lance transformaria o fim da primeira etapa, que passou a ter o domínio do time da casa e influenciaria o início do segundo tempo, que teve controle do Independiente. Ditando o ritmo de jogo, o time da Argentina conseguiu virar o marcador. Ezequiel Barco apareceu bem pela esquerda, passou livre de marcação para cruzar. Meza apareceu entrando na área livre de marcação e chuta para o fundo do gol, num golaço do time da casa, empolgando ainda mais seu torcedor.

O gol da equipe argentina também empolgou os jogadores em campo. O domínio, nos minutos subsequentes ficou evidente. As jogadas rápidas, com troca de passes deixava os jogadores brasileiros aflitos. No entanto, apesar do domínio, o terceiro gol não vinha e, aos poucos, o time da casa se acomodou com o resultado e também sentiu o desgaste físico de um jogo rápido e duro.

O Flamengo então voltou a dominar, como no início da partida. O técnico Reinaldo Rueda tirou Diego e colocou Vinícius Júnior para dar mais verticalidade ao time carioca. Em parte a mudança deu certo. O time brasileiro ganhou poder ofensivo, no entanto não traduziu o domínio em gols e saiu da Argentina derrotado.

Ficha técnica

Independiente-ARG (2): Campaña; Bustos, Franco (Amorebieta), Silva e Tagliafico; Rodríguez, Meza (Domingo), Barco, Sanchez Miño e Martin Benítez (Juan Martínez); Barco e Gigliotti Técnico: Ariel Holan

Flamengo-BRA (1):
César; Pará, Réver, Juan e Trauco; Cuéllar, Willian Arão e Diego (Vinicius Jr); Everton Ribeiro, Lucas Paquetá (Everton) e Felipe Vizeu Técnico: Reinaldo Rueda

Local:
Estádio Liberadores de América, em Avellaneda (Buenos Aires)
Árbitro: Mario Diaz de Vivar (PAR)


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários