Flamengo vence Fluminense e abre vantagem na final do Carioca

Publicação: 2020-07-12 18:11:00
O Flamengo saiu na frente na final do Campeonato Carioca. Favorito, o rubro-negro aproveitou vacilos do Fluminense para vencer o jogo de ida da decis√£o por 2 a 1, neste domingo, mesmo sem passar perto das boas apresenta√ß√Ķes do ano passado. Pedro e Michael marcaram os gols do Fla, diante das arquibancadas vazias do Maracan√£, no Rio de Janeiro.
Créditos: Divulgação/FacebookFluminense joga bem, mas é superado pelo FlamengoFluminense joga bem, mas é superado pelo Flamengo

Com o resultado, o Fla conquistou a vantagem de jogar por um empate na quarta para assegurar o título do Estadual. Para levar o troféu, o Flu precisa de uma vitória por dois gols de diferença. Em caso de triunfo do tricolor por um gol de vantagem, o Carioca será definido nos pênaltis.

Para a final√≠ssima, o rubro-negro ter√° um desfalque de peso. Gabriel levou cart√£o vermelho nos instantes finais da partida deste domingo por demorar para sair de campo, no que seria a √ļltima substitui√ß√£o do jogo. Como j√° tinha cart√£o amarelo, o atacante foi exclu√≠do de campo, no √ļnico momento pol√™mico da partida.

O clássico repetiu o equilíbrio do Fla-Flu de quarta-feira, quando os dois times decidiram a Taça Rio, com vitória do Flu. Foi justamente este resultado que exigiu a disputa das duas partidas da final do Carioca, neste domingo e na próxima quarta, às 21 horas, novamente no Maracanã.

Sem empolgar ao longo dos 90 minutos, o Fla foi mais eficiente em suas investidas no ataque e soube tirar vantagem sobre os erros do rival. O segundo gol foi quase um resumo da partida: após seguidas chances desperdiçadas no ataque, o Flu cedeu o contragolpe e o adversário "matou" o jogo nos segundos seguintes, na etapa final.

Como tem sido comum na retomada do futebol, o jogo n√£o contou com torcida no Maracan√£. A partida foi transmitida pela FluTV, em raz√£o do mando de campo do tricolor. Mas a pol√™mica que envolveu o tema nas √ļltimas semanas ficar√° para tr√°s porque o Fla, mandante da segunda partida da final, j√° confirmou acordo para o SBT fazer a transmiss√£o em n√≠vel nacional.

O primeiro jogo da final contou com desfalques de peso em ambos os times. O Flu jogou sem Fred, Paulo Henrique Ganso, Nino e Wellington Silva. Horas antes da partida, o clube informou que um jogador teve exame confirmado para covid-19, sem revelar o nome. Fred e Ganso j√° estavam cortados, por les√£o, nos √ļltimos dias.

Pelo lado do Fla, Bruno Henrique foi poupado devido a dores na panturrilha esquerda. Gerson e Everton Ribeiro começaram no banco de reservas. As novidades da equipe foram Gustavo Henrique, Diego, Vitinho e Pedro.

O jogo

Mais confiante após a vitória sobre o rival, nos pênaltis, na final da Taça Rio, o Flu começou melhor e mais ofensivo. Adiantou a marcação, mostrou maior volume de jogo no meio-campo e foi o primeiro a buscar o ataque. Era uma postura mais arriscada em comparação ao clássico disputado na quarta-feira passada.

O Fla manteve o estilo mais cauteloso, ap√≥s a atua√ß√£o ap√°tica do √ļltimo jogo. Mas foi o time que levou mais perigo ao longo dos primeiros 45 minutos. Aos 15, Gabriel arriscou forte chute de fora da √°rea e exigiu bela defesa de Muriel.

O susto na defesa tricolor equilibrou o duelo. Mais atento, o rubro-negro passou a buscar mais o ataque. E, aos 28, balançou as redes. Em boa trama perto da área, Diego viu Pedro sozinho pela esquerda e fez o passe preciso. O atacante bateu colocado, sem chance para Muriel.

Ganhando embalo, o Fla quase anotou o segundo, com o mesmo Pedro, aos 34. Após cruzamento de Filipe Luís na área, Arrascaeta falhou na tentativa de uma bicicleta e a bola sobrou para o atacante, que dominou de costas, mas finalizou fraco.

O intervalo, contudo, pareceu esfriar o ímpeto do Fla. Do outro lado, o Flu parecia era mais atento em campo. Aos 6, Dodi acertou forte chute de longe e Diego Alves quase se complicou para fazer a defesa. Na sequência, aos 13, Yago Felipe desperdiçou chance incrível na pequena área ao bater forte diante do goleiro rival. Diego Alves fez a defesa à queima-roupa

Um minuto depois, em contra-ataque pela esquerda, Eg√≠dio cruzou e Evanilson se antecipou a Gustavo Henrique, completando para as redes com facilidade. O empate aumentou a preocupa√ß√£o de Jorge Jesus, que j√° preparava tr√™s substitui√ß√Ķes no Fla. De uma tacada s√≥, colocou Michael, Everton Ribeiro e Gerson em campo, aos 16.

Neste momento, o Flu era superior ao rival rubro-negro. As chances de gol surgiram com rapidez. Aos 26, Yago perdeu outra boa oportunidade, em chute rasteiro dentro da √°rea. Diego Alves salvou o Fla, que respondeu de forma contundente.

Na sequência da jogada, o rubro-negro puxou rápido contra-ataque, com Gabriel. Egídio falhou na marcação e o atacante avançou na defesa tricolor e encontrou Michael totalmente livre na área. O atacante só empurrou para as redes, garantindo importante vantagem para o Fla no segundo jogo da final, na próxima quarta-feira.

FICHA T√ČCNICA:

FLUMINENSE 1 x 2 FLAMENGO

FLUMINENSE - Muriel; Gilberto, Matheus Ferraz, Dig√£o e Eg√≠dio; Dodi (Michel Ara√ļjo), Hudson e Yago Felipe (Yuri Lima); Nen√™ (Miguel), Marcos Paulo (Caio Paulista) e Evanilson (Fernando Pacheco). T√©cnico: Odair Hellmann.

FLAMENGO - Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Gustavo Henrique e Filipe Luís; Willian Arão, Diego (Everton Ribeiro), Vitinho (Gerson), Arrascaeta (Michael); Gabriel e Pedro (Pedro Rocha). Técnico: Jorge Jesus.

GOLS - Pedro, aos 28 minutos do primeiro tempo. Evanilson, aos 14, e Michael, aos 27 minutos do segundo tempo.

CART√ēES AMARELOS - Rodrigo Caio, Marcos Paulo, Matheus Ferraz, Vitinho, Gilberto e Gerson.

CARTÃO VERMELHO - Gabriel.

√ĀRBITRO - Wagner do Nascimento Magalh√£es.

RENDA E P√öBLICO - Jogo sem torcida.

LOCAL - Est√°dio do Maracan√£, no Rio de Janeiro (RJ).

Estad√£o Conte√ļdo