'Flor de Jambú' serve o Pará autêntico

Publicação: 2019-02-08 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A identidade culinária do norte do Brasil é tão forte e saborosa quanto seus temperos, ingredientes e paladares. A conexão de Natal com essa gastronomia ainda é tímida, mas ganhou um reforço de peso com a chegada do restaurante ‘Flor de Jambú’, aberto dezembro passado em Ponta Negra. A casa é 100% paraense, da administração aos itens do cardápio, sendo uma experiência completa para iniciantes e iniciados nas iguarias nortistas.

Bolinho de maniçoba, feito com a folha moída da mandioca
Bolinho de maniçoba, feito com a folha moída da mandioca

O Flor de Jambú é um projeto de família. No caso, a família de Talita Carvalho e Tamara, que trocou o Pará pelo Rio Grande do Norte há cinco anos. A mãe, Ivete, é cozinheira de mão cheia e já teve restaurante em Capanema, interior do estado. “Quando nossa mãe veio pra Natal de vez,  a ideia de abrir um restaurante típico se fortaleceu na nossa cabeça”, conta Talita, ressaltando que também sentia falta desse tipo de comida na capital potiguar.

A relação com o mercado paraense facilitou o acesso às matérias-primas dos pratos. Tudo é trazido de lá, incluindo o camarão e o caranguejo usados nas receitas. As iguarias com seus nomes indígenas bem evidentes despontam em todo menu. A começar pelas entradas, com o bolinho de maniçoba (a folha moída da mandioca), camarão empanado na farinha de tapioca, casquinho de caranguejo, unha de caranguejo (coxinha com massa de macaxeira), pirarucu de casaca (peixe frito com banana e ovos), e o famoso tacacá, o caldo feito de tucupi, jambu, goma de mandioca e camarões. 

Dona Ivete, Talita Carvalho e Tamara recriam sabores do Pará
Dona Ivete, Talita Carvalho e Tamara recriam sabores do Pará

Os pratos principais trazem a maniçoba (folhas de mandioca moídas e cozidas com arroz branco), vatapá, risoto de pato (desfiado com arroz ao molho de tucupi, jambu e queijo), pato no tucupi (cozido também com jambu), filhote ao molho (peixe ao molho de tapereba com geleia de jambu), e a chapa paraense, um mix de camarão, filé de Go (um peixe) e charque, acompanhado de açaí na tigela. O açaí da casa, vale salientar, é o puro, bastante diferente daquele adocicado que se popularizou no comércio.

Tudo na casa é acompanhado de seus respectivos molhos, criados pela chef Jeise. São eles de tucupi (sumo extraído da raiz da mandioca), tapereba (cajá), muruci (fruta), geleia de jambu, pasta de alho, e pimenta. De sobremesa tem a tortelete de castanha do Pará (servida com doce de cupuaçu) e a delícia de bacuri (com leite condensado e creme de leite). Os sucos também seguem a experiência paraense, com cupuaçu, bacuri, graviola, tapereba, cacau, e muruci.

Tacacá, caldo famoso com camarões, tucupi e jambu
Tacacá, caldo famoso com camarões, tucupi e jambu

O restaurante também é o único lugar de Natal onde se encontra a desejada – e desafiadora – cachaça de jambu. Ela tem teor alcoólico alto e a característica do seu ingrediente principal, a erva jambú, que deixa lábios e língua formigando, com a sensação de anestesia. Aprecie com moderação. Talita ressalta que muita gente pensa a cozinha paraense como picante demais, mas não é isso. “É uma comida muito bem temperada, essa é a diferença”, diz.

Serviço:
Flor de Jambu. Rua Pedro Fonseca Filho, 32, Ponta Negra (próximo ao Camarões). Aberto de terça a domingo, das 17 às 22h. Tel.: 99108-7705.






continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários