FNE, administrado pelo BNB, prevê R$ 1,44 bilhão para investimentos no RN em 2021

Publicação: 2020-09-25 00:00:00
O Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), administrado pelo Banco do Nordeste, deve disponibilizar R$ 24,1 bilhões para os diversos setores e segmentos da economia regional, em 2021. A projeção de rateio dos recursos do FNE para 2021 propõe a destinação de, no mínimo, 5% dos recursos para cada um dos nove estados da Região e de 2,5% para o norte de Minas Gerais e norte do Espírito Santo. De acordo com a proposta, o semiárido permanece como espaço prioritário, área para o qual devem ser destinados 50% dos recursos ingressos. Para o estado do Rio Grande do Norte, a expectativa de aplicação é R$ 1,44 bilhão. 

Créditos: Magnus NascimentoDo volume de recursos, maior montante está previsto para financiamentos no setor de comércioDo volume de recursos, maior montante está previsto para financiamentos no setor de comércio

Do total, os maiores volumes seriam direcionados para Comércio e Serviços (R$ 550 milhões); Infraestrutura (R$ 402,2 milhões); e Pecuária (R$ 225 milhões). O restante dos recursos vai para: Indústria (R$ 110 milhões); Agricultura (R$ 79,2 milhões); Turismo (R$ 50 milhões); Agroindústria (R$ 18 milhões) e Pessoa Física (R$ 7,3 milhões).

Dos R$ 24,1 bilhões, um total de R$ 1,68 bilhão contempla exclusivamente a infraestrutura de saneamento básico e logística da área de atuação do Banco, os nove estados da Região e o norte de Minas Gerais e do Espírito Santo. O montante é uma estimativa calculada sobre as disponibilidades projetadas até o momento, podendo sofrer alterações até o final do ano.

A proposta foi apresentada nesta quinta-feira (24), durante Encontro Regional com parceiros dos Estados e representantes dos setores produtivos, em evento virtual transmitido pelo Canal do Banco do Nordeste no YouTube, e será submetida ao Conselho Deliberativo (Condel) da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), em reunião a ser realizada até 15 de dezembro próximo.

Na abertura da live, o diretor de Planejamento do Banco do Nordeste, Bruno Ricardo Pena de Sousa, destacou que, por meio do FNE, o BNB investiu na Região, somente no período de 2016 a agosto deste ano, o total de R$ 106 bilhões. Ressaltou, ainda, que "cerca de 250 instituições foram representadas nesse esforço de pensar um planejamento robusto e participativo, apesar das restrições impostas pela crise sanitária". 

Também participaram da reunião a coordenadora-geral de Gestão dos Fundos Constitucionais de Financiamento do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), Ana Borges de Assis, e o superintendente de Desenvolvimento da Sudene, Evaldo Cruz Neto.

A proposta de programação do FNE para 2021 leva em consideração as orientações gerais do MDR, bem como as diretrizes e prioridades estabelecidas pela Sudene e inclui nas prioridades setoriais e espaciais o saneamento básico, cujo marco legal foi aprovado este ano, assim como os municípios das bacias do Rio Parnaíba, do Rio São Francisco e da área de influência do Programa de Integração do São Francisco (PISF), os Arranjos Produtivos Locais (APLs) e as Rotas de Integração.