Força do agronegócio

Publicação: 2018-06-07 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Luiz Antônio Felipe
laf@tribunadonorte.com.br

O Plano Agrícola e Pecuário (2018/2019), anunciado ontem pelo Governo Federal,     destina R$ 194,3 bilhões, com crédito a juros reduzidos para custeio, vendas e investimentos. Do montante,  R$ 151,1 bilhões vão para o crédito de custeio, sendo R$ 118,8 bilhões com juros controlados (taxas fixadas pelo governo) e R$ 32,3 bilhões com juros livres (negociação entre a instituição financeira e o produtor). Para investimentos sáo mais R$ 40 bi. Além desses recursos  estão sendo destinados R$ 2,6 bilhões para o apoio à comercialização (AGF, contratos de opções, Prêmio para Escoamento do Produto, Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural) e R$ 600 milhões em subvenção ao seguro rural.

Mercado
A equipe econômica do governo Temer vai precisar de muita habilidade para evitar consequências piores. Segundo analistas, o ambiente de negócios vem se deteriorando mesmo com o anúncio do Tesouro Nacional de manter, por mais três sessões, o plano de recompra de títulos públicos. Ontem, ainda pela manhã, o dólar ficou perto de R$ 3,85 enquanto os juros dispararam. 

Disposição
Cerca de 62% dos brasileiros estão dispostos a comprar no Dia dos Namorados, projetam o SPC Brasil e a CNDL. A pesquisa estima que 93,5 milhões de pessoas devem presentear na data e comércio espera injeção de quase R$ 15,6 bilhões, sendo os shopping centers os principais centros de compras, com 36% das citações. Os consumidores vão gastar quase R$ 167 por presente.

Projeção
A Boa Vista SCPC estima crescimento de apenas 2,5%, nas vendas do Dia dos Namorados. O crescimento deve ser menor do que nas datas anteriores, Dia das Mães e Páscoa. Uma das justificativas seria a greve dos caminhoneiros e também a pela queda na confiança do consumidor (o popular liseu). 

Sebrae
O Empretec comemora 25 anos com uma programação especial reunindo empresários de renome, durante dois dias de ações. O Empretec é um  curso que usa uma metodologia da ONU,  promovido em cerca de 40 países. A programação de hoje será transmitida em tempo real pelo link: www.sebrae.com.br

Atividade desacelera
A paralisação dos caminhoneiros derruba a atividade do comércio em maio, aponta levantamento da Serasa Experian. Os segmentos de veículos e combustíveis foram os setores mais atingidos e mesmo assim, o acumulado do ano registra expansão de 6,3%. O movimento dos consumidores nas lojas de todo o país recuou 2,2% em maio na comparação com abril/18, quando efetuados os devidos ajustes sazonais. Foi o pior resultado mensal do ano até agora. Na comparação com  maio de 2017, a atividade varejista cresceu 2,7%, a alta interanual mais fraca deste ano.

Desempenho
No acumulado do ano até maio de 2018, o segmento de móveis, eletroeletrônicos e informática foi o que mais cresceu em comparação com o mesmo período do ano passado: 14,3%. O segmento de veículos, motos e peças registrou alta interanual acumulada de 3,8%.

Os donos postos e distribuidoras insistem em uma redução de ICMS para baixar R$ 0,46 do diesel. Em alguns estados a queda do valor fica entre R$ 0,38 e R$ 0,41. Os caminhoneiros ameaçam nova greve caso tabela de frete seja alterada.  Os estados descartam reduzir a alíquota do ICMS alegando dificuldades orçamentárias.

Estarão abertas até amanhã, as inscrições, para a capacitação de interessados em atuar no mercado de energia eólica. O Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (Cerne), em parceria com a Universidade Potiguar (UnP), oferecerá  na UnP da Nascimento de Castro, em Natal. Informações em www.cerne.org.br/cursos ou no: (84) 2010-0340.

No ano passado foram instalados mais 2,02 gigawatts (GW) de energia eólica no país, segundo dados da ABEEólica, associação do setor. Atualmente, os ventos respondem por 8,2% de toda a energia gerada no País. A capacidade instalada chegou a 13 GW no início de 2018. Para se ter uma ideia, essa quantidade pode abastecer seis de cada dez casas no Nordeste. O  governo prevê uma expansão de 125% até 2026.

Combustível
A Potigás discute a possibilidade do RN   desenvolver o Biogás, com o objetivo de ampliar a participação do Biogás na matriz energética do RN.  O presidente, Beto Santos e um grupo técnico de colaboradores da companhia, participa até  amanhã, do Fórum Sul Brasileiro de Biogás e Biometano, em Foz do Iguaçu. O Biogás é uma mistura de gases obtida normalmente através do tratamento de resíduos domésticos, agropecuários e industriais.

Eletro
A produção da indústria eletroeletrônica também dá sinais de recuperação, com alta de 19% em abril. A área eletrônica permanece como destaque, mas o segmento elétrico também cresceu. O desempenho foi estimulado, principalmente, pela  na área eletrônica, com 32%. A área elétrica voltou a ter contribuição positiva, com  7,9%, reagindo à queda de março (-7,8%).

Baixa Renda
A inflação vai “pegando pressão” buscando espaço para se fortalecer. A inflação pelo IPC-C1 (baixa renda) sobe 0,60% em maio ante 0,31% em abril, revela a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O consumo baixo ainda segura a inflação no Brasil. Os governos endividados pegam dinheiro no mercado que encarece os juros, enquanto as reformas também não passam no Congresso.

Água
O Programa Cisternas do Governo Federal entrega 4.094 equipamentos no Rio Grande do Norte, desde 2016, para estoque de água potável, produção da agricultura familiar e uso nas escolas do potiguares. Foram 2.430 famílias favorecidas com reservatórios para consumo humano e outras 1.496 com cisternas para produção agrícola.

Emprego
O Sine é responsável por empregar 233 pessoas no Rio Grande do Norte, nos três primeiros meses  de 2018. Os dados são do Boletim de Políticas Públicas de Emprego, Trabalho e Renda, do Observatório Nacional do Mercado de Trabalho. No período, 159.932 pessoas conquistaram uma vaga no País, sendo que 11,3% das colocações foram de trabalhadores solicitantes do seguro-desemprego.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários