Formosa, uma baía que faz jus ao nome

Publicação: 2019-02-08 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O nome fala por si só: Baía Formosa. Bela enseada localizada a 94 km de Natal, é um lugar de múltiplos atrativos. A natureza exuberante do local leva ao visitante o azul ensolarado do litoral, convivendo com o verde da rara mata atlântica conservada, ao lado de falésias e dunas avermelhadas. A região também é point dos surfistas – com direito a campeão mundial saído de suas ondas. O capítulo desta semana do “Bora Veranear”, websérie da TV Tribuna, pegou mais um  caminho do litoral sul para curtir todos os formosos atrativos da única baía potiguar.

São cerca de 26 km de praias semi-desertas cercadas por 2.365 hectares de mata atlântica e um rico manguezal
São cerca de 26 km de praias semi-desertas cercadas por 2.365 hectares de mata atlântica e um rico manguezal

Um dos charmes de Baía Formosa é o seu clima de paraíso pouco explorado, quase selvagem. Mesmo assim, a região conta com uma boa estrutura formada por hotéis (para todos os bolsos), pousadas, casas de veraneio que ficam à disposição para aluguel, além de uma orla onde é possível encontrar restaurantes e quiosques para todos os gostos. São cerca de 26 km de praias semi-desertas cercadas por 2.365 hectares de mata atlântica e um rico manguezal.

As prainhas da região oferecem ao visitante um cenário calmo, com águas limpas e cristalinas, sendo umas mais propícias para o banho e outras para o esporte. A praia mais frequentada é a do Pontal, famosa por ser um dos pontos mais frequentados da orla pelos adeptos do surf. Até campeonatos nacionais já foram realizadas na área. E é considerada a “sétima melhor onda do Brasil” pelos especialistas.

Outras praias da região são a Baía dos Golfinhos, onde fica a colônia dos pescadores e os golfinhos visitam diariamente; a Praia da Cacimba, que é a central da região, e conta com uma cacimba de água doce usada por banhistas, surfistas, e moradores da região; e a Praia de Bacupari, que é de mar aberto, proporcionando boas ondas para o surf, além de abrigar o farol.

Ainda nas redondezas, os turistas adoram dar uma esticada até Sagi – de preferência de buggy. Apesar do clima desértico, há bares e restaurantes para curtir. A área é cercada por muito verde e tem por limites o rio Grajau e a Mata Estrela, a maior reserva de mata atlântica em áreas de dunas. No interior da mata está a Lagoa Araraquara, também conhecida como Lagoa Coca-Cola, por ter águas escuras.

O ambiente rico em surfistas acabou gerando os próprios talentos da região, como é o caso do jovem mestre Ítalo Ferreira. Quando não está viajando para participar da etapa de algum circuito mundial, o potiguar está praticando em Baía Formosa, onde nasceu. O potiguar está entre os 34 melhores surfistas do mundo. Ganhou o primeiro campeonato aos 11 anos. Foi campeão da etapa Rip Curl Bells Beach 2018, derrotando Mick Fanning na final, e campeão da etapa de Keramas em Bali 2018, com performance na qual assumiu a liderança do circuito.

Uma parada quase obrigatória é o Museu Marítimo:  iniciativa de moradores da região, é um lugar de estrutura simples, onde são exibidos restos mortais da fauna marítima da região, como ossos de tubarão e cascos de tartarugas, entre outras curiosidades. A entrada é gratuita, e o visitante pode comprar uma camiseta no local para sustentar o projeto.

A natureza é parte integrante de qualquer estabelecimento em Baía Formosa, caso do Hotel Chalemar, localizado à beira-mar. O local oferece 45 chalés com vista para o mar, ao lado da Praia do Pontal, o point dos surfistas. Possui duas piscinas, bar e restaurante para 200 pessoas, e um café da manhã completo todos os dias. O hotel se compromete com a preservação ambiental da região, usando energia solar, madeira certificada, dispositivos de redução de energia, e reúso de águas.

No quesito gastronomia, Baía Formosa também é muito bem servida. Para comer e beber, um dos points é o Restaurante e Cachaçaria Nativos. É uma casa ampla e aconchegante localizado em Sagi. O cardápio destaca os frutos do mar nas mais diversas variações. Entre as iguarias estão o camarão ao champanhe, risoto de camarão, os pastéis (de camarão, carne seca), além das muitas cachaças de variados sabores, cujos barris podem ser vistos no restaurante.

O Bora Veranear 2019 tem patrocínio de O Boticário, Natal Card, Potiguar Turismo, Matersol, Pirangi Villas, Unimed Natal, Ster Bom, Johnny Coiffeur, e apoio da prefeitura de Natal.

Assista ao 5º episódio do #BoraVeranear:

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários